Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A 'Crença' na Homeopatia...




A CRENÇA na Homeopatia...

Homeopatia está muito longe de ser uma terapia médica, e não dispõe de nenhuma comprovação científica... Aliás, e na verdade, a Homeopatia foi totalmente descartada pela ciência... Só resta a seus seguidores CRER... Mas crer em que e porque?

A homeopatia como um resquício dos tempos do xamanismo, do curandeirismo, e da alquimia... Os resultados atribuídos à homeopatia não passam de efeito placebo... Como amplamente demonstrado... Só não vê quem não quer, e o pior cego é o que pode, mas não quer ver...

James Randi, famoso critico da ‘crença homeopática’, em suas apresentações, toma o ‘medicamento’ homeopático ‘Calms Forte’, tranqüilizante, calmante, para dormir... Randi toma dois vidros inteiros em suas apresentações, 64 cápsulas, e nem boceja... Na bula diz ‘dose máxima 2 cápsulas a cada 8 horas, em caso de overdose ligue para o Centro de Controle de Envenenamento’... Randi já fez isso dezenas e dezenas de vezes... Sem nunca chamar o Centro de Envenenamento... Na verdade, quem acredita em Homeopatia, está padecendo de uma intoxicação severa e clássica: a superstição...

Mas existem pessoas muito mal intencionadas, ou muito mal informadas, ignorantes ao extremo, e que não dispõe sequer, de conhecimentos básicos em Química Analítica – nível ‘Ensino Médio Escolar’ -, que alegam que os medicamentos homeopáticos foram cientificamente testados... Isso não é verdade... Em absoluto... E a verdade diz o contrário...  Em agosto de 2005, a revista científica The Lancet publicou os resultados de análises com produtos homeopáticos ‘placebo-controlados’, e em experimentos médicos convencionais, baseados no "Programa para Avaliação de Medicinas Alternativas" do Governo da Suíça... No artigo os pesquisadores apresentam sua conclusão de que afinal "os efeitos clínicos da homeopatia são nada mais que efeitos placebo"...

O Parlamento da Grã-Bretanha também encomendou uma análise da eficácia de remédios homeopáticos... Os resultados não deixam dúvida de as explicações científicas para a homeopatia não são convincentes... O governo britânico recomendou a interrupção imediata desse tipo de ‘remédio’ no serviço público de saúde daquele país, mas os interesses econômicos em jogo são poderosos, em uma indústria que fatura alto, vendendo nada por muito...

Estes são dois, entre muitos estudos científicos conduzidos por entidades governamentais, instituições acadêmicas, e entidades científicas públicas e privadas, sem nunca, e jamais, atestar minimamente a eficácia dos ‘produtos homeopáticos’... No Brasil, no entanto, a Homeopatia e os ‘remédios’ homeopáticos estão aí, nas prateleiras, nos consultórios, nos catálogos dos planos médicos... E ainda dizemos ser um país laico... Mantendo vários feriados religiosos, permitindo que ‘seitas’ como a Homeopatia figure no quadro de terapias de nossa saúde pública - assim como a ‘psicanálise freudiana-yunguiana-lacaniana’, outra renomada ‘seita’...

Sanctus ignorantia...

Na pesquisa de qualquer fármaco, um trabalho científico deve ter algumas características específicas para ter valor real... Deve, pois, ser:

1. Duplo-cego (ou seja, nem o terapeuta, nem o paciente sabem o que vai ser tomado, placebo ou fármaco);

2. Randomizado (pacientes com mesmo diagnóstico são sorteados aleatoriamente para uso de placebo ou fármaco em estudo; 

3. Preferencialmente multicêntrico (com trabalhos feitos em institutos de saúde diferentes para ver se método é reprodutível);

4. Feito por pesquisadores independentes e sem vínculos de interesse.

O Número de Avogadro, ou constante de Avogadro:




Foi descoberto – brilhantemente – pelo cientista italiano, Amedeo Avogadro, em 1811, e que diz, entre outras coisas, que em uma substância diluída ‘23x’, restará apenas a chance de encontrar uma molécula da substância original... E ele estava correto... Mas a Homeopatia ignora este princípio, assim como outros princípios, amplamente estampado em nosso mundo, em nossa realidade química... A Homeopatia dilui substâncias muito além da Constante de Avogadro, em até 30x, onde nada mais existe, há muito tempo... Não me causa espanto que em seus rótulos, os produtos homeopáticos digam ‘sem efeitos colaterais’... Seria melhor, e mais correto dizer apenas ‘sem efeitos’...

Samuel Hahnemann (reputado como ‘recriador’ da Homeopatia, na transição dos séculos XVIII e XIX), sem qualquer base científica para a época, utilizou um processo de diluições seqüenciais para preparar seus medicamentos... Ele diluía extratos de certas ervas e minerais naturais, à razão de uma parte de medicamente para dez partes de água, o que resultava em concentração (ou diluição) de 1:10; agitava a solução e, então, diluía por outro fator de dez, resultando ao final em uma diluição de 1:100... Uma terceira repetição do processo produzia diluição de 1:1.000 e assim por diante... Cada diluição subsequente adicionaria outro zero à direita... Ele repetia o processo várias vezes... Diluições extremas são rapidamente obtidas por esse método... Por meio da química analítica, sabe-se que o limite de diluição é alcançado quando sobra apenas uma molécula do medicamento no meio veículo... À luz dessa evidência, efetivamente além desse ponto, nada mais pode restar para ser diluído...

Em um sem número de medicamentos homeopáticos, por exemplo, a diluição de 30X é basicamente o padrão... A notação 30X significa que a substância foi diluída em uma parte em dez e 'agitada, e o processo, então, repetido sequencialmente trinta vezes' - ridículo e risível, se não fosse grave... A diluição final é de uma parte de medicamento em 1030 - um nonilhão - partes de água... Isso está - um pouco - além do limite de diluição... Para ser exato, em uma diluição de 30X seria necessário beber 7.874 galões [30 m³ ou 30.000 litros] da solução para se esperar encontrar apenas uma única molécula de medicamento... Sacou?

Comparado a muitas preparações homeopáticas, mesmo 30X é concentrado... O Oscillococcinum, o remédio homeopático padrão para a gripe, é produzido a partir de fígado de pato, mas o seu uso generalizado na homeopatia cria pouco risco à população de patos: a diluição padrão é de ‘200C’... ‘C’ significa que o extrato é diluído em uma parte em cem e agitado, repetindo-se duas centenas de vezes... Isso resultaria em uma diluição de uma molécula de extrato para cada   10400  moléculas de água — isto é, 1 seguido de 400 zeros... Isso é piada... Deveria ser... Mas isso, infelizmente é a Terapia da Homeopatia...

Hahnemann, seguramente, não estava ciente dos limites da ultradiluição, e isso porque ele desconhecia o número de Avogadro... Ele desconhecia muita coisa... Talvez até mesmo o bom senso...

A homeopatia teve sucesso em uma época onde os tratamentos eram particularmente perigosos... Os médicos ainda tratavam os pacientes com sangria, lavagens e freqüentes doses de mercúrio e outras substâncias tóxicas e venenosas... Pura ignorância... Se o ‘nostrum’ - poção - infinitamente diluído de Hahnemann não fazia nenhum bem, ao menos não fazia nenhum mal, rsrsrs, sem efeitos colaterais, e sem nenhum efeito... Os ‘modernos homeopatas’ concordam que realmente não há nenhuma molécula de medicamento em seus remédios, e isso já é um avanço, como diz a ‘Química do Ensino Médio Escolar’... Pergunte ao seu filho, ele deve saber... Mas ainda teimam e dizer que – por milagre - o líquido inexplicavelmente se "lembra" da substância após o processo de diluição... Se vamos nesta linha, então tudo é possível...

Mas, estudos realizados na Universidade de Toronto ‘demonstraram’ existir a tal "memória da água" sem a presença do soluto, embora, persistente por apenas 50 femtosegundos (1/20.000.000.000.000 de segundo)... Acho que não podemos chamar isso, de fato, de memória...


A memória da água, pasmem vocês, também parece se comportar de forma curiosamente seletiva, pois ‘só se lembra dos ingredientes que o preparador do medicamento deseja’... Supondo que a amostra inicial de água, com a qual se dilui pela primeira vez um medicamento homeopático, contivesse eventuais traços de impurezas (ferrugem de canos ou outros elementos indesejáveis), e sempre existem impurezas, devemos considerar que os seus efeitos também seriam ‘dinamizados’... Mesmo que um preparador atestasse ser pura 100% = sem impurezas - a amostra de água inicial, o próprio argumento da memória da água indicaria que efeitos de contaminações passadas poderiam estar presentes, ainda que nenhuma molécula de impureza fosse detectada... Entendeu?

Dráuzio Varella, renomado médico e crpitico da Homeopatia
Nos últimos anos, cientistas, céticos, e homens de bem, alertaram contra a falácia da Homeopatia, consumindo diante de suas audiências, grandes quantidades de ‘medicamentos’ homeopáticos a fim de demonstrar sua completa ineficácia... Além de James Randi, Richard Saunders, Peter Bowditch entre outros, consumiram caixas e caixas inteiras de pílulas homeopáticas para dormir, no começo de suas palestras públicas, e terminaram suas palestras mais ativos do que começaram... Um grupo de céticos belgas, realizou uma conferência de imprensa na qual tentaram cometer suicídio coletivo tomando diluições homeopáticas de veneno... Ninguém nem passou mal... Os britânicos repetiram a dose, mas não deu certo... Continuam vivinhos para testemunhar a falácia dos produtos homeopáticos...

Fracassou o suicídio homeopático britânico...



Consultas realizadas por homeopatas costumam ser mais demoradas e seus questionários mais extensos do que o convencional... Estas características conferem subjetivamente ao paciente um atendimento mais "humanizado" proporcionando um ambiente de maior confiança e empatia por parte de ambos, fortalecendo a relação médico-paciente... Sabe-se que este tipo de relação aumenta a eficácia dos efeitos placebos de toda e qualquer terapia, seja alopática, homeopática ou outra qualquer, ‘ventopática’ [a cura pelo vento], ‘nadopática’ [a cura por nada], ‘nãoseipática’ [a cura por sei lá o que]...

Outra piada é o diagnóstico homeopático... Se uma pessoa apresenta queixa de dor de cabeça, as causas catalogadas pelos neurologistas podem chegar a mais de uma centena... Ou seja, diversas doenças podem ser a causa de sintomas comuns... É absolutamente impossível e improvável, de que um homeopata – que não conhece a Química Básica - consiga apenas através de uma consulta clínica classificar dentro de estritos critérios médicos todos os pacientes para toda uma vasta gama de queixas (e normalmente sem exames adicionais)... Para tanto os homeopatas se valem de teorias empíricas próprias de funcionamento de órgãos e sistemas orgânicos, o que equivale a desprezar todo o conhecimento médico vigente, e não raro, assassinar, além da Química, a Biologia...  

Evidentemente os pacientes que serão estudados com a finalidade de comprovação científica, deverão ser – naturalmente - catalogados pelas suas doenças e não pelas suas queixas (sintomas)...

A Homeopatia é sem dúvida similar a qualquer tradição religiosa, espiritual, seita, etc, e seus argumentos não passam de práticas consolidadas dogmaticamente, e sem questionamentos, como uma oração ou mantra... Sendo que, o seu dito conhecimento, está pautado apenas nas palavras de seu Messias, ou seja, nas afirmações de Hahnemann...

Acriticamente, clientes da Homeopatia são na verdade, fiéis seguidores...

Um dos piores absurdos, protagonizados por pais inconseqüentes – ou ignorantes -, é de bebês com Homeopatia... E a Homeopatia alega – irresponsavelmente - que os seus ‘tratamentos’ funcionam em bebês, animais domésticos e plantas, o que seria a prova de que a Homeopatia não age por efeito placebo, pois estes não estariam suscetíveis a tal efeito... Além do inegável truque da subjetividade nesta alegação, bebês e animais domésticos estão sim sujeitos aos efeitos benéficos do aumento de cuidados e atenção por parte dos ‘preparados’ homeopáticos... E o efeito placebo não está no bebê ou no cãozinho, está em quem observa... Para alguém ministrar homeopatia em um bebê, tem que ser um crente fervoroso...

Além disso, as evidências a respeito geralmente são baseadas em dados subjetivos por parte de ‘pesquisadores’ cientes do tratamento e interessados em sua comprovação, o que fere os princípios da análise isenta, e sempre acarreta em má interpretação dos resultados... Esses problemas de interpretação seriam eliminados através de estudos aleatorizados, caso-controle, duplo-cegos... Mas tais práticas, científicas, ferem o principio do dogma e da crença homeopática... Afinal, tem que funcionar... Não estão interessados na verdade ululante diante de seus olhos...

A aceitação da homeopatia como uma forma autônoma e válida de medicina depende da legislação de cada país... Eis o panorama em 2010 (segundo o Wikipédia):
- Austrália: à semelhança do que ocorre no Reino Unido, a homeopatia é legalizada como prática médica, por ato do parlamento;
- Bélgica: a homeopatia é reconhecida, desde que praticada por médicos. Cerca de 25% da população belga utiliza por vezes medicamentos homeopáticos;
- Brasil: a partir de 1979 a homeopatia passou a constar no Conselho de Especialidades Médicas da Associação Médica Brasileira e em 1980, do rol de especialidades do Conselho Federal de Medicina, deixando de fazer parte das medicinas alternativas e passando a constituir parte do que hoje se chama medicinas integrativas. O SUS - Sistema Único de Saúde - a inclui em suas rotinas de atendimento e hoje está estabelecida como política de Estado. Há no País médicos veterinários e odontólogos, além de farmacêuticos e psicólogos, que trabalham oficialmente com homeopatia. Há também a formação em homeopatia ministrada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) onde não se exige graduação na área de saúde, e nem mesmo um curso superior, formando os chamados "terapeutas homeopatas", atividade que tem causado muita controvérsia. Todavia são poucas as faculdades de medicina no país que reconhecem a homeopatia como especialidade médica. A maior parte dos cursos de medicina (sobretudo os das universidades públicas e particulares de ponta) não reconhecem esta modalidade e nem a introduzem em suas ementas. Entre as poucas universidades que permitem o ensino de tais práticas, a maioria deixa a critério dos alunos a opção entre estudá-las ou não, ao definirem as disciplinas relacionadas ao método como eletivas;
- Espanha: a homeopatia é reconhecida como especialidade médica, sendo ensinada nas universidades de Sevilha, Valladolid, Múrcia, Barcelona, Bilbao e Málaga;
- EUA: depois de ter sido popular no começo do século XX e ter declinado, a homeopatia ressurge, com escolas de formação em vários estados. Na década de '80 havia cerca de 1.000 médicos homeopatas, e outros três mil profissionais usando homeopatia, inclusive dentistas, veterinários e psicólogos;
- França: a homeopatia segue as regras estabelecidas por Philippe de Lyon, que só aceita as potências até CH30. Estes medicamentos, prescritos por médicos, são reembolsados pelo sistema público de saúde. Quase todas as farmácias francesas vendem medicamentos homeopáticos;
- Índia: há mais de 120 escolas de homeopatia, ligadas a universidades e a hospitais, das quais 19 são mantidas pelo governo;
- Países Baixos: a homeopatia não tem reconhecimento oficial, mas uma lei de 1996 garante o direito de cada pessoa escolher entre o tratamento pela medicina oficial ou por outra forma de terapia;
- Portugal: a Ordem dos Médicos não reconhece a homeopatia como especialidade médica. No entanto, existem duas associações, uma em Lisboa (SPH) e outra no Porto (SPMH), que aceitam apenas médicos como membros. As farmácias em Portugal vendem medicamentos homeopáticos com autorização do Infarmed;
- Reino Unido: a homeopatia é legalizada como prática médica. Um ato do parlamento britânico de 1950 (Ato da Faculdade de Homeopatia) reuniu as leis e regulamentos sobre a prática da homeopatia;
- República Checa: há cerca de mil médicos homeopatas clássicos, que não receitam apenas remédios homeopáticos porque as companhias de seguro não cobrem os gastos;
- Romênia: a homeopatia foi legalizada em 1969, e é exercida apenas por médicos. Há cerca de setecentos homeopatas no país.

É mole ou quer mais... Assim caminha a humanidade... Infelizmente a passos de formiga...

PENSO, LOGO RIO !!!
OU CHORO !!!

Carlos Sherman

ASSUNTOS CORRELATOS

JOSÉ SARAMAGO, PRÊMIO NOBEL, CRÍTICO DA HOMEOPATIA...

DR. HOUSE, RSRSRSRS, CRÍTICO MORDAZ DA HOMEOPATIA...

IGNORÂNCIA, QUANDO ESTE ATO SIGNIFICA O SEU PONTO DE VISTA



HOMEOPATIA, PODE PARECER LEGAL, MAS AINDA ASSIM CONTINUA SENDO SOMENTE ÁGUA...


Nenhum comentário:

Postar um comentário