Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Liberdade, Pensamente, Método e Ceticismo...





Minha querida amiga escreveu sobre a Bíblia e suas atrocidades:

NÃO POSSO ACREDITAR QUE EM TODOS ESSES ANOS, COM TODAS ESSAS PROVAS, SE É QUE ISSO PROVA ALGUMA COISA... A GRANDE MAIORIA DOS HOMENS DE BEM OU NÃO, SÁBIOS OU IGNORANTES, TENHAM SEGUIDO E ALGUNS...PERSEGUIDO... UM "SUPOSTO DEUS", COM TAMANHA IRA E COVARDIA! GRANDES PENSADORES, ALGUNS FILÓSOFOS, INÚMEROS POETAS E ESCRITORES... SERÁ QUE ELES ACREDITAVAM MESMO? HOJE JÁ ESTOU QUESTIONANDO ESTA DITA "FÉ"! SÓ FALTA ALGUÉM ME REVELAR QUE EM ALGUM MOMENTO ALGUM CIENTISTA TAMBÉM TEVE ALGUM TIPO DE FÉ!!!

Rsrsrss... 

Bem colocado... Mas querida, na História do Pensamento Humano existe um divisor de águas... Galileu e o Método Científico... Até ele, tudo era possível... Pensar e dizer qualquer coisa, tonteria ou não era aceitável... Tudo era uma questão de opinião, se 'eu acredito que'... E neste sentido, ficava muito difícil estabelecer 'sabedoria e genialidade'... Mas, desde a Grécia Antiga, uma linha separava 'faladores' de 'pensadores'... Aristarco já sabia que a Terra girava em torno do Sol, mas 'decidimos' - o cristianismo - optar por considerar a Aristóteles e Plantão, que disseram grandes 'asneiras' sobre os céus, pineladas em alguns 'poucos' momentos por boas idéias... Raros momentos... 

Epicuro considerava os deuses risíveis, enquanto Demócrito lançava as bases para o estudo da natureza... Não foram estes os eleitos da cegueira cristã... Depois disso, na Idade Média, era muito difícil encarar a questão de ter Fé ou não, em função do medo... Mas, os GRANDES homens sempre questionaram deus... A começar pelo grande Sócrates, que desafiou seu tempo com CETICISMO -- olhar de perto, olhar detidamente, olhar os detalhes, olhar com cuidado -, na verdade o primeiro homem a morrer pela Ética, pela Integridade Intelectual, pela necessidade de estar 'CIENTE', de tomar 'CIÊNCIA', de como a vida realmente funciona... 

Pensar foi confundido com especular sem evidência... Então confundimos pensadores com faladores, por muito tempo... Mas os primeiros observadores e cientistas modernos, estavam livres do medo de crer... E então, livres, pensaram com liberdade e frescor... Não somente sobre a natureza, mas sobre o social e o humano... Com destaque para Voltaire... 

Michelangelo ao que tudo indica, tinha planos revolucionários, embora ganhasse dinheiro como fornecedor do Santo Oficio... Da Vinci com certeza foi 'descrente', e um cientista de fato... Precisou de proteção contra o Santo Ofício... Galileu foi excomungado, Giordano Bruno queimado... Copérnico e Kepler tiveram suas obras do Index... Newton se manteve comportado... O maior de todos, Darwin, se manteve com medo, mas foi protegido e defendido pelo corajoso Huxley, caso contrário não teríamos a Seleção Natural e a Evolução... Einstein ridiculrarizou deus... E todos os demais, de lá pra cá, com raras exceções morreram de rir das divindades... Contabilização apenas as exceções pelo medo... 






Querida, e a propósito, eu fui um homem de muita, mas muita FÉ... Fui um cristão católico pra lá de fervoroso... Encontros de 'Jovens com Cristo', Segue-me, Escalada, Emaús, fundador do PaFé - Patrulheiros da Fé, é mole? -, nadador da ACM - Associação Cristã de Moços, e por aí vai... Fui doutrinado pela minha família, escola, igreja, catecismo, crisma... Lavagem cerebral total... Tive medo, muito medo... Assim como a grande maioria no Brasil... Se fosse na Índia seria adepto de Krishna, em Riad de Maomé, no mundo Nórdico de outrora Wotan, na Pérsia antiga Zorosatro, no mundo romano na época de cristo, Mitra ou Júpiter... 


Até me livrar de tudo isso, levei 22, 23 anos, e com muito MEDO e dificuldade... A saída foi sair da casa dos meus pais, dos 'grupos jovens', dos 'encontros', da igreja, e pensar com o meu próprio cérebro, já bastante intoxicado a esta altura... Tive que livrer-me da condição de crente autômato... Tive que passar por severa desintoxicação, para depois reaprender a pensar... A cura foi a vencer o medo, adquirir liberdade no pensamento, e a Ética, a necessidade de estar CIENTE, e de tomar CIÊNCIA das coisas, para desenvolver uma vida digna e humana... Muitos passam ou passaram por isso...

Hoje vivemos, ainda, o medo de um lado, e a falta de educação e conhecimento de outro... Falo do homem comum... Agora, os grande homens que vem a sua mente neste momento, Borges, Pessoa, Machado de Assis, Neruda, Jorge Amado, Chaplin, Gracia Marques, Vargas Llosa, Quintana, Cora Coralina, Humberto Eco, Saramago, Drauzio Varella, Veríssimo, Jabor, foram ou são céticos, descrentes e livres... Carl Sagan, Richard Dawkins, Steven Pinker, Daniel Dennett, Ramachandram, Eric Kandel, e a maioria esmagadora dos ganhadores do Nobel... 

Então querida, existe um divisor de águas separando o pensamento livre do pensamento coagido... Do pensamento espúrio do pensamento baseado em provas e evidências... O marco está no Humanismo, logo após a Idade Média... O Método veio com Galileu... Mas a sabedoria e a genialidade sempre existiu, desde os gregos, e antes... Só que não foi eram popular em um cristianismo que admirou e valorizou  homens pelo seu 'temor a deus'... 

E tenho dito... 

Beijos...

Carlos Sherman



Nenhum comentário:

Postar um comentário