Pesquisar este blog

sábado, 21 de janeiro de 2012

Mysterious, incomprehensibilem, ignotus ...



Fidem... 
Mysterious, incomprehensibilem, ignotus... 
Ita, inanis... 
[Crenças... Misteriosas, incompreensíveis, ignorantes... 
Logo, vazias...]

Uma proposição ou um argumento, que se auto-define como 'misterioso e incompreensível', não é nem uma proposição, e nem tampouco um argumento... Uma proposição sem evidências, pode e deve ser descartada sem evidências... Trata-se de uma mera questão de 'não ter tempo a perder com bobagens'... Um argumento sem evidências, baseado em no 'desconhecido', deve aguardar primeiro que 'o que não se conhece', seja minimamente 'conhecido', para poder então ser respeitado, e aceito, em um debate honesto...

Precisamos partir de ao menos uma evidência consistente, para que haja um objeto que mereça a nossa atenção... Partir 'do nada', nos levará 'a lugar algum'... Valorize o seu tempo, e sua reputação... Não siga de forma 'autômata' apenas o que os demais dizem... Você pode pensar por si próprio, você por ser livre...

Sim... Estou falando sobre religião... A curiosa capacidade de não saber de nada, mas acreditar em tudo... Por medo, hipnose, psicose, covardia, ou lucro...

Aqui está o pau... A cobra? Nietzsche já matou...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário