Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sofisma e Sofistas... E Sócrates...




Sofisma [ou Sofismo], Falácia Lógica [do Latim: Fallacia], ou Argumento Falacioso [do Latim: Captensula; derivado do greco 'Capcioso', ou de 'fazer raciocínios capciosos'], é um raciocínio ou argumento filosófico, aparentemente lógico e válido, mas que não realidade embute falsas premissas, e truques retóricos, contrários às leis da lógica; com o objetivo de validar uma proposição falsa... Também são considerados sofismas os raciocínios que partem de premissas verdadeiras ou verossímeis, mas que são concluídos de uma forma inadmissível ou absurda...

Um sofisma, por definição, tem o objetivo de dissimular a verdade, por meio de truques e da cavilosa projeção da ilusão, disfarçado por esquemas de construção aparentemente lógica... O sofisma tem a função de enganar... O sofisma, em tese, é um ato de má fé...

Não confundir com 'Sofistas' - nem com Sufistas ou Sufis, muito menos com Surfistas...

Os sofistas eram filósofos, pensadores e oradores, que viajavam e perambulavam de cidade em cidade, no Período e no Mundo Helenístico, realizando aparições públicas (discursos, debates, etc), para atrair seguidores e discípulos, e cobrando por seus serviços, e maestria... O ponto central, deste autêntico espetáculo - mambembe - do pensamento, era o LOGOS [do Greco: a palavra, ou discurso - escrito ou falado; ou VERBO]... Com Heráclito, o 'Logos', passou a ter um significado mais amplo, ou talvez mais específico, referindo-se diretamente à razão, ou ao racionalismo...

O cristianismo também se apropriou do conceito, no Evangelho de João - O Evangelista -, que se refere a 'Jesus Cristo' como o 'Logos', ou seja, a Palavra, ou o Verbo:

"No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era Deus" - João [1:1]

É curioso notar que, tanto Heráclito - de Éfeso - quanto os demais pensadores helenísticos, relacionavam o conceito de 'Logos', diretamente com o racionalismo; e o costume mais frequente, em qualquer cristão, em um debate ou argumentação, é exortar o abandono da razão, enquanto contraditoriamente, chamam a seu messias de guardião do conceito de 'Logos'...

Os mestres sofistas também vendiam 'virtudes', alegando poderiam "melhorar" seus discípulos, ou, em outras palavras, que a "virtude" poderia ser 'ensinada'... Protágoras (481-420 a.C.), Górgias (483-376 a.C.), e Isócrates (436-338 a.C.) estão entre os primeiros sofistas conhecidos... Protágoras de Abdera foi o primeiro sofista a cobrar por seus serviços... Um traço comum entre os sofistas foi o questionamento da 'religião vigente', ou seja, a propalada sabedoria recebida pelos deuses e a supremacia da cultura grega - dogmas da época...

Os sofistas argumentavam que, as práticas ‘religiosas’, decorriam de costumes, tradições e convenções arbitrarias, ou ‘Nómos’; e que a moralidade ou imoralidade de um ato, não poderia ser julgada fora do contexto cultural... Esta e outras proposições, vanguardistas para a época, deflagraram a perseguição dos Sofistas... Tal perseguição por sua vez, foi 'comanda', inclusive, por aqueles que se diziam amantes do conhecimento e a sabedoria: alguns dos mais renomados filósofos gregos da época...

Filosofia = Amor ao Conhecimento ou à Sabedoria...

Uma das mais famosas doutrinas sofistas é a teoria do contra-argumento, ou seja, que todo e qualquer argumento pode ser contraposto por outro argumento, indefinidamente... E que a efetividade ou veracidade de um dado argumento, residiria na verossimilhança (aparência de verdadeiro, mas não necessariamente verdadeiro) perante uma dada plateia... Ou seja, dependeria do observados, e do orar... Parece a descrição de um espetáculo de ilusionismo, e em tese, era...

Os Sofistas foram também os primeiros advogados do mundo, cobrando tarifas aos seus clientes atuar em sua defesa, e em causas de interesse público... São também considerados por muitos os guardiões e defensores da democracia na antiguidade, na medida em aceitavam a relatividade da verdade... Sempre...

Os sofistas foram os primeiros a romper com a busca pré-socrática por uma unidade originária e básica (a physis), iniciada com Tales de Mileto, e finalizada em Demócrito de Abdera; que embora, contemporâneo de Sócrates, tem o seu pensamento classificado como pré-socrática... O principal fundamento sofista consiste, portanto, de uma visão relativa de mundo - o que de certa forma, encontra contraposição com as ideias de Sócrates... Sócrates não negava a existência de coisas relativas, mas buscava verdades universais e necessárias...

As ideias sofistas chegaram até os nossos dias, pela visão e pelos escritos de seus mais obstinados oponentes: Platão e Aristóteles... O que cria dificuldades à uma análise imparcial e isenta de sua filosofia e pensamento... A principal doutrina sofística pode ser expressa pela máxima de Protágoras:

"O homem é a medida de todas as coisas"...

O embate com Sócrates, Platão e Aristóteles, assim como o seu perfil mambembe, e sem pátria lhes foi desfavorável no implacável julgamento da História...

Platão caracteriza o sofista de forma pejorativa, como:
“...um impostor, caçador interessado em jovens ricos, comerciante didático e atleta em combate verbalístico ou erístico, purificador de opiniões, mas também malabarista de argumentos, mais verosímeis do que verdadeiros, mais sedutores do que plausíveis”.

Para Platão, seguido da maior parte dos filósofos até aos nossos dias, o ‘sofisma’ não passa da “perversão voluntária do raciocínio demonstrativo para fins geralmente imorais”... Os sofistas, em parte, podem até ter sido preservados para a posteridade, mas o termo ‘sofisma’ ficou impregnado para sempre...

Exemplo de Sofisma: Todo cavalo raro é caro... Um cavalo barato é raro... Logo; um cavalo caro é barato!!!



Paradoxalmente, Sócrates morre perseguido por suas ideias pouco ‘religiosas’, e notadamente ‘sofistas’... Mas esta é outra Estória na História... Quando induzido a retratar-se por questionar o Panteão de Deuses Gregos, fazendo um acordo, e jurando não mais ensinar, Sócrates, fiel às suas convicções, escolhe suas palavras e seu destino...

"Eu predigo-vos portanto, a vós juízes, que me fazeis morrer, que tereis de sofrer, logo após a minha morte, um castigo muito mais penoso, por Zeus, que aquele que me infligis matando-me. Acabais de condenar-me na esperança de ficardes livres de dar contas da vossas vida; ora é exactamente o contrário que vos acontecerá, asseguro-vos (...) Pois se vós pensardes que matando as pessoas, impedireis que vos reprovem por viverem mal, estais em erro. Esta forma de se desembaraçarem daqueles que criticam não é nem muito eficaz nem muito honrosa."
Sócrates

O seu célebre aforismo, ecoa no Panteão dos Grandes Homens:

Só sei que nada sei...

Sócrates morre por suas ideias... E fundamenta, mais do que tudo, a Integridade Intelectual... A importância de Sócrates, no entanto, transcende à nobreza de sua morte... A História do Pensamento, na Antiguidade Clássica, pode ser dividida em Pré-Socrática e Socrática...

Mesmo enquanto escrevo estas mal fadadas linhas sobre Sofisma e Sofistas, não encontro meios para evitar o carisma, a figura e a genialidade de Sócrates, seja como opositor dos sofistas, seja como companheiro em destino...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário