Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Inconsciência...Generalizada....


Freud receitando cocaína... Fabricada pela MERCK... 

Um brother, candidato a cético - mas com alguns desafios pela frente, rsrsrs -, escreveu uma crítica à uma publicação sobre Freud:

Detestei. Quem escreveu esse texto não teve outro objetivo além da degradação. Freud tem erros, mas este texto é mais errôneo ainda. Desculpe, mas não gostei. Achei perverso e não condiz com a indiscutível descoberta do inconsciente e consequentemente da Psicanálise por Freud.

Objetei e argumentei:

Na minha opinião o texto é magistral, verdadeiro e documental... Endossa o pensamento moderno sobre o fenômeno Freud... Escrevi muito sobre Freud, e confesso que gostaria de ter escrito esta obra-prima... 

Não há nada a ser 'detestado', nem 'degradante', nem 'perverso'... Não mais do que foi a vida e obra de Freud, que provavelmente você desconhece... E você incorre em várias falácias de argumentação e lógica, a citar:

Argumentum ad verecundiam ou Argumentum magister dixit (ou Apelo à Autoridade, ou Meu Mestre Disse), apelando para a palavra ou a autoridade de um autor, a fim de validar seu argumento... Este raciocínio é absurdo e inválido, pois não existe contra-argumentação ou refutação, e a conclusão baseia-se apenas na credibilidade do autor da proposição... O Argumentum ad lapidem, desqualificando uma afirmação como absurda, mas sem provas... Bulverismo, partindo do pressuposto de que o proponente já está comprovadamente errado... Argumentum ad hominem, criticando o autor da proposição e não refutando as proposições... Egocentrismo ideológico, Ex.: "O comunismo é o ideal, pois Lenin disse que..."... Falácia da pressuposição: "Deus existe porque isso é óbvio, contestá-lo é um absurdo..."... Falacia non causae ut causae, ou falsa proclamação de vitória por tratar como prova o que não é prova... Petitio principii, Ex.: É fato que a Bíblia é infalível, portanto todos devem buscar nela a verdade...

Freud não foi viciado, não escreveu sobre as propriedades terapêuticas da cocaína, seus casos não foram fraudes, suas idéias não foram plágio? Refute... Foram apresentados argumentos, fontes, e informações sérias e relevantes... Você estudou suficientemente o tema para entrar em sua defesa? Que obras leu? O que sabe sobre a psicanálise?

Não há nada de 'indiscutível' sobre Freud, posto que não existem mínimas comprovações, provas, ou constatações científicas... Zero... Tudo está para ser discutido, e está sendo discutido, muito embora o meio científico não tenha interesse em dissertar sobre uma baboseira histórica como Freud... Mas eu tenho interesse de dar aos crentes em Freud um vislumbre de sua crença, assim como tenho feito com outros crentes, e outras crenças...

A Neurociência e a Psicologia Moderna ignoram solenemente a Freud e sua fantasiosa psicanálise... A história de psicologia tenta apagá-lo, reduzindo cada vez mais a sua participação, por vergonha do que foi e é Freud... Um dos melhores cursos de psicologia do país, senão o melhor, a Universidade Federal de São Carlos - UFSCar - relegou a Psicanálise à 'História da Psicanálise', visto em apenas um matéria, dois semestres... Nada de técnicas psicanalíticas, isso acabou... A USP segue o mesmo exemplo, enquanto as 'faculdades' particulares de psicologia, mantém em seus sofríveis cursos, as 'rentáveis' Técnicas Psicanalíticas - em 4, 6, 8 semestres... 

Entenda, ensinar 'Técnicas Psicanalistas' em um curso de Psicologia, é como ensina a 'Teoria do Uso e Desuso' - Lamarck - em um curso de Biologia... Imaginem estudar algo superado? Por quê? Pra quê? Para saber que estava errado basta pontuá-lo em meio à História da Biologia... Mas nunca perder tempo ensinando a 'Teoria da Características Adquiridas'... Mas aqui existe uma abismal diferença, porque Lamarck foi um eminente cientista, cunhou o termo Biologia, e acertou muito, e sempre, falhando apenas nesta proposição... Mas Freud não foi eminente, nem acertou em NADA, e não contribuiu para nada, senão com a sua obstinação pela fama, sua ambição e sua vaidade... Afirmo isso porque nada foi científico em Freud, afirmo isso em função dos documentos, obras, e do fato inequívoco, de todas as especulações freudianas - nada científicas - foram derrubadas ou refutadas, com provas e constatações científicas... Sonhos, enjoo na gravidez, Complexo de Édipo, fases do desenvolvimento, ID, EGO, Super EGO, sem contar a falta de originalidade - ao equivocar-se...

Mas já que você apresenta ao menos um argumento, embora indireto e mal formulado, vou debatê-lo aqui: O conceito de inconsciente não é original de Freud, e não é mais do que intuitivo... A relação de Freud com a cocaína, e o seu vício, é documentada, e é real, assim como a ineficácia da psicanálise como método terapêutico e de cura... 

O tema do inconsciente tem a idade da civilização... A convicção metafísica, da existência de uma atividade espiritual, etérea, fora da consciência, é acordada é 'atestada' por numerosos testemunhos... Desde de místicos, sábios, poetas, filósofos e estudiosos da psiquê humana, muitos 'eminentes', diziam ter a intuição sobre a existência de processos psíquicos inconscientes... E que pese, esta concepção estava equivocada, e foi compartilhada, aprendida, ou plagiada por Freud, mas jamais criada ou 'descobertas' por Freud... 

Na 'atenção flutuante', por exemplo, Freud 'ensina e estabelece' que o terapeuta pode permanecer dormindo durante a sessão, e ainda assim os seus 'INCONSCIENTES' se comunicarão por telepatia... Esta especulação sobre o INCONSCIENTE em nada reflete a realidade aprendida e comprovada, sobre a mente humana... Ou seja, Freud tomou um conceito antigo e equivocado, e organizou dentro de sua estrutura igualmente equivocada sobre a psiquê humana... 

Alguns nomes que especularam 'bem antes' de Freud sobre o 'falso inconsciente': Descartes, Nietzsche, Pascal ("O coração tem razões que a própria razão desconhece")... Malebranche ("A consciência que temos de nós mesmos nos mostra apenas a mínima parte do nosso ser"); Leibniz (o primeiro pensador europeu a formular claramente a ideia de uma atividade mental inconsciente - "Nossas idéias claras são como ilhas que emergem de um oceano de idéias obscuras")... Rousseau ("os verdadeiros e primeiros motivos da maior parte de minhas ações não são tão claros para mim mesmo como eu pensava por muito tempo")... Hume ("O raciocínio empírico [...] nada mais é que uma espécie de instinto ou de poder maquinal que se agita em nós sem o sabermos"); Platner (o primeiro a usar o termo Unbewustsein - inconsciente: "A alma não é sempre consciente de suas idéias [...] idéias inconscientes são certamente possíveis"). Fichte (o primeiro de uma série de filósofos alemães que fizeram do inconsciente um princípio dinâmico sobre o qual se funda a razão consciente: "a luz da consciência nasce da obscuridade do inconsciente")... Goethe (o poeta e pensador preferido e mais citado por Freud - "o homem não pode ficar muito tempo em estado consciente; ele deve recolher-se no inconsciente, pois lá estão suas raízes")... Schiller ("A poesia parte do Inconsciente. É necessário libertar-se dos entraves da razão crítica e deixar-se levar pelo fluxo de associações livres")... 

Suficiente? Acho que respondi com sobras à sua proposição... Mas posso seguir: Herbart, Fechner, Lipps, e tantos outros que deram sua contribuição para o nascimento da psicologia - dita - científica... Herbart (introduzido o conceito de limiar de consciência, além de ter sugerido a existência de pensamentos recalcados inconscientes - "As 
idéias inconscientes só se tornariam conscientes, a percepção, se fossem congruentes com as da consciência. As incongruentes vêm coincidir com as idéias inibidas")... Freud estudou os princípios herbartianos desde a escola secundária... Qualquer semelhança não é mera coincidência, asseguro... Na música de Wagner... Fechner ("O espírito é como um iceberg, cuja parte maior está debaixo de água e que é movimentado por correntes ocultas e pelos ventos da consciência")... Hartmann (no seu famoso livro 'Filosofia do Inconsciente', 3 volumes, publicado em 1869, apresenta uma visão panorâmica da filosofia alemã e da ciência ocidental interpretadas à luz de um único princípio: o de um processo mental inconsciente. O livro teve ampla repercussão)... Nietzsche ("Todo alargamento do saber se faz tornando consciente o inconsciente. Todas as nossas motivações conscientes são fenômenos superficiais: atrás do eu está o conflito dos instintos e de nossos humores")... Schopenhauer (o filósofo mais citado por Freud. Entre as inúmeras passagens da obra mais famosa do solitário de Frankfurt, O mundo como vontade e representação, seleciono a seguinte: "Assim, vimos no grau mais baixo a vontade nos aparecer como um impulso cego, como um esforço misteriosos e surdo, distante de toda consciência imediata [...]. Enquanto pensamento cego e esforço inconsciente, ela se manifesta em toda natureza orgânica")...

E que fique bem claro, toda ideia aparentemente original converge de observação e/ou de ideias anteriores, e neste sentido, não existe nenhum problema em considerar que Freud estabeleceu o seu conceito psicanalítico de inconsciente com base em seus antecessores... A questão aqui é outra, você está tentando refutar a todos os fatos apresentados contra Freud, apenas dizendo que é 'Achei perverso e não condiz com a indiscutível descoberta do inconsciente e consequentemente da Psicanálise por Freud'... Pois bem: 'nem perverso, nem indiscutível e muito menos 'descoberto' por Freud'... Improcedente...

Depois, você nivela o debate por baixo, relativiza e generaliza, incorrendo em mais falácias lógicas, ao dizer que 'Freud tem erros, mas este texto é mais errôneo ainda'... Primeiramente este 'texto', não cobrava 400 Euros - em valor presente - por consulta, enquanto o psicanalista dormia, e prometendo a cura de severas patologias da mente humana... Este texto não levou uma geração à completa ilusão terapêutica psicanalítica... Trata-se de uma gravíssima epidemia, a doença psicanalítica... Ou seja, considero que Freud não só deixou de encaminhar pacientes para serem tratados de forma médica e científica, como tratou de adoece-los ainda mais... É muito grave... E seguindo, dizer que 'todos cometem erros', logo nada pode ser debatido, é uma forma de fugir à argumentação, eliminando o racionalismo e o escrutínio científico, sobre um tema de Saúde Pública... Desta forma o debate pretende ser encerrado... Nada pode ser dito sobre nada, porque todos erramos, de uma forma o de outra...

Somos todos ignorantes, mas não ignoramos as mesmas coisas - Albert Eisntein...

Aí está amigo, a Crença Freudiana é exatamente como as outras crenças, e pode ser derrubada como as outra crenças, com argumentos, fatos, documentos, e raciocínio... 'Detestar', não é um argumento, e sim a expressão de sua emoção, 'gosto' ou 'simpatia'... E obrigado pelo comentário, foi essencial para que eu pudesse aprofundar minha retórica sobre o tema... O 'inconsciente freudiano psicanalítico' é completamente furado, assim como 100% da teoria psicanalítica... E ainda assim, não é original... Faltou mencionar Galton e Breuer, este último sim, o opai da psicanálise...

Fé é quando as respostas precedem as perguntas e o necessário ESTUDO... Think about... O maior problema não é o desconhecimento, e sim as pré-suposições...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário