Pesquisar este blog

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Um tal Paulo Roberto...


Abrão e o sacrifício de seu filho, ordenado por deus...
Valores familiares e arte cristã à toda prova...

Um tal de Paulo Roberto publicou '4 coisas que os ateus podem aprender com as religiões'... E o próprio dito cujo, em resposta a vários argumentos acachapantes apresentados por não crentes, sentenciou: 'como ser ateu vai ajudar em alguma coisa?'... Como se ser ateu fosse como usar uma nova droga... Como se pudéssemos refrear e escamotear a verdade... Terrível, assustador... Pela completa inversão de valores... Pela completa inversão de tudo... Prefiro um ignorante assumido, do que um pseudo-racionalista que atua nas sombras e com desfaçatez...

Indignado, respondi:


Sobre a sua débil indagação de 'como ser ateu vai ajudar em alguma coisa?', seguem algumas pistas... Mas antes, releia a sua bíblia... Não há nada na bíblia, que não seja profundamente atacável, sob o pronto de vista dos Direitos Humanos, dos Direitos dos Animais, do Direito Individual, da Ecologia, do bom senso, da solidariedade, e da Constituição de nosso País LAICO... Não acreditar na fábula bíblica não resume uma vida, é verdade, mas é um bom começo... E o ajudará enfrentar algo que você desconhece:  a REALIDADE... E permitirá que o ceticismo atue, abrindo caminho para um HUMANO - mero humano - melhor, LIVRE, ÚTIL, ÉTICO...  HUMANO, DEMASIADO HUMANO... Vivendo em um mundo natural...

Você acha que seguimos a bíblia em nossas leis e na educação de nossos filhos? Já apedrejou o seu filho hoje? Vivemos na base do 'olho por olho, dente por dente, braço por braço, quebradura por quebradura'? O Código de Hamurabi amplificado... Já matou algum infiel hoje? Traga os seus prepúcios, no mínimo 200, e poderá ser como David, de quem o seu Cristo descende... Já matou algum irmão ou amigo para provar lealdade a deus? Só em uma tacada 3.000 morrem na sua bíblia, e ordenado pelo seu deus... Não, não seguimos esta sandice, seguimos os preceitos do Humanismo... Por isso temos um mundo infinitamente mais civilizado e menos violento que o mundo bíblico...

enquanto o seu deus teima em fingir que não existe, nós e a ciência médica teimamos em confrontá-lo... Nos tempos bíblicos não se chegava com facilidade aos 30 anos de idade, e a mortalidade infantil era de quase 70%... Até a Idade Média, ou Idade das Trevas, nada mudou significativamente... Com o Método Científico, e com as fogueiras cristãs apagadas, enfrentamos uma evolução excepcional, para alcançar 2012 com expectativas de vida entre 60 e 70 anos, para os países mais crentes, e de 80 a 90 para os países mais instruídos, solidários, e desenvolvidos... E seguimos contrariando deus, e diminuindo brutalmente a taxa de mortalidade infantil; que ainda se mantém elevada em países que passam muita fome, sede, e carecem de condições mínimas de higiene, embora sejam majoritariamente religiosos... 

Eu poderia dizer ainda que mais 95% dos presos em nosso país se dizem cristãos... E daí concluir que 'crer leva você à cadeia'... Mas não sou um falastrão mal acabado como você... Sou um homem ético, bem formado, e honesto, embora mortal... E concluirei apenas dizendo que 'não crer em deuses, de alguma forma, seguramente, diminui as suas chances de ir para a cadeia'... Por quê? Melhor instrução, que leva à uma melhor condição de vida, e acabam por revisar os precários conceitos morais religiosos... Se é que existe algum preceito moral 'de fato', e que não esteja correlacionado diretamente com o medo e a negociação da vida eterna, em sua - igualmente - ignóbil religião... 

Sobre o texto, seu tom professoral é patético em face do seu profundo desconhecimento...

Um mar de falácias, desconhecimento e besteiras sem igual, começando pelo Argumentum ad populumm, ou Apelo à quantidade de crentes, e o clássico Argumentum ad verecundiam ou Argumentum magister dixit, mais conhecido como Apelo à Autoridade, assim como a Falácia do Apelo à Antiguidade... E você parte então para alegações cretinas e infundadas:

1) A religião educa melhor? 

Você está brincando? Sim, educa, recomendando apedrejar o seu filho rebelde, pregando a punição, morte aos infiéis... Sacrifícios humanos e de animais, morte aos homoafetivos, opressão das mulheres, incesto, poligamia, racismo, escravidão, estupro... 

2) Nós não somos apenas cérebros, somos também corpos? 

O cérebro acaba de ser retirado da fisiologia do corpo humano, e da biologia humana? Que conjunto impressionante e cínico de asneiras, em tom professoral... 

3) O uso didático da arte? 

Só pode ser piada... A arte foi direcionada para o sofrimento, para a dor, e a amargura da arte sacra cristã... Chamamos de Idade da Trevas, o período onde as religiões dominaram o mundo... 

4) Nós precisamos nos unir? 

Sim, para assassinar quem pensa diferente? Nos precisamos ser éticos, e nossa sociedade será unida, não contrário... Não nos uniremos para arbitrar uma moral... Mas a mensagem proselitista religiosa é essa, unir o rebanho... Releia a bíblia... Um corporativismo obscuro, criminoso, o grupo sobre o racionalismo, e a consciência individual, sobre a opinião... Repetindo incessantemente - e de joelhos - AMÉM... Sem a consciência individual, escondidos no grupo, não haverá chance para a atitude ética... União para endossar o clamor à Guerra Santa, unidos em nome de um senhor, o 'senhor válido', do momento... O seu deus... Aquele que deve ser temido, por virá para julgar e arrebatar... Torturar e matar...

Pobres AUTÔMATOS PELA FÉ CEGA, assinam embaixo de tudo isso...

Incrível... Risível... Triste... Triste Destino...


Carlos Sherman


Um comentário:

  1. Respostas:
    1.
    A resposta cristã do novo testamento aponta para o amor aos filhos, até sem irritá-los.

    A punição não deveria ser pregada visto que,ainda na fé cristã, ao alertar as pessoas sobre um possível fim você estivesse procurando o melhor para elas? ( o melhor presente que pode existir é a salvação gratuita em Cristo Jesus).

    Sacrifícios de animais já são desnecessários visto que o único Filho de Deus derramou o próprio sangue por todos nós (negar isso justifica a existência do inferno pois Deus fez o melhor Dele por nós nessa ação). Sacrifício humano foi só um teste de Deus com Abraão na antiga aliança e Deus não permitiu que ele o fizesse.

    Cristo não ensinamorte aos homoafetivos, mas perdão e convite à mudança.

    Mulheres não são oprimidas na nova aliança, inclusive elas lideram e pastoreiam.

    Incestos aconteceram na história da humanidade mas não foi ensinado nem na antiga aliança (que trazia castigos maiores para tal crime)

    Poligamia aconteceu com permissão e não ensino de Deus, ela custou caro ao rei Davi e custou a sabedoria de Salomão também.

    A bíblia não ensina racismo, escravidão ou estupro.

    2.
    o cérebro abriga o que chamamos de atributo divino embora não devesse ser assim para nós; ele permite o funcionamento da consciência, que é infinita.

    3. O uso e interpretação da arte é abstrato e individual embora muitas pessoas gostem de fato de ver retratados o sofrimento e a aflição da vida humana (sobretudo em nossos dias). A arte é como a História, parte muito do ponto de vista particular de quem a ensina, mas tem espaço também para a interpretação e aplicação individual.

    4. É mais que evidente que as pessoas precisam se unir para diversos fins, tenho um irmão ateu e embora tenhamos nossas discussões e discordâncias, temos vários objetivos comuns de vida na família, no trabalho, nos estudos, de certa forma até na crença.

    O convite para receber a Cristo não é uma obrigação, mas e concordo contigo, dada nossa crença, preferimos o melhor a todos (que é recebê-lo e dar a própria vida nas mãos dele, orando de coração)

    Existe mais individualidade na vida cristã do que observas de fora meu amigo, às vezes chamo isso de herança luterana, mas é bom que existam diferenças, sempre.

    Orar e acreditar em Deus é muito mais que bom (não precisamos morrer para constatar isso, embora no cristianismo ensinamos que fora Deus, só exista o capiroto pra fazer as coisas pelas pessoas, enganando-as), pode-se experimentar o bom de Deus em testes simples como teste > comprovação. Te aconselho a fazer isto em pequenas doses, ore só no teu pensamento, peça pra ele te provar que existe, diga a ele que irá fazer certa ação pequena dada certa circunstância aguardada por ti. (quando provares que Deus de fato existe, irás sentir-se triste por tê-lo tratado desta maneira, mas ele vai te perdoar por isso tb pois é o único e verdadeiro amor). Precisando, estamos às ordens.

    ResponderExcluir