Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de março de 2012

Agradeça a Lorenzo Valla...




Você sabe quem foi Lorenzo Valla?


Valla (1407 - 1457) foi um célebre escritor, filósofo, humanista, retórico de primeira linha e educador italiano - e nos livrou de muito trabalho... Lorenzo Valla foi célebre e implacável em sua retórica, baseada nos padrões humanistas de crítica - ceticismo - de seu tempo... Foi ativo e constante ao examinar documentos usados pelo Papado como justificativa para o seu poder divinal... Mas em 1440, Lorenzo foi ainda muito mais longe, publicando um panfleto contra a famosa 'Doação de Constantino' a Igreja, e poder e patrimônio, e desmascarando de vez a fraude; provando que o documento apresentado pela Igreja Católica Apostólica Romana, post mortem, supostamente de autoria de Constantino I, era inteiramente falso... 

Tal documento espúrio, dizia primeiramente que a autoridade imperial romana teria sido transmitida ao Papado por Constantino I, e em seguida listava o patrimônio fora doado à Santa Sé... Nada menos do que toda a Península Itálica, além do primado sobre as igrejas de Antióquia, Constantinopla, Alexandria, e Jerusalém... Esta era a generosa 'Doação de Constantino', ou 'Constitutum Donatio Constantini', ou ainda 'Constitutum domini Constantini imperatoris'... Só que tudo isso não passava de um tremendo cambalacho... Como tantos outros perpetrados pela Igreja nesta e em outras épocas... E foi falsificado e apresentado como um Édito - ou Lei - Imperial Romana... Na cara dura... 

O motivo da doação, datada de 30 de março de 315, teria sido um agradecimento a Deus e ao Papa Silvestre I, pela miraculosa cura de sua 'lepra'... O detalhe mais interessante nesta tremenda cara de pau histórica, é que Constantino I, segundo todas as fontes históricas da época, jamais contraiu lepra; tendo morrido por causas naturais, e problemas coronarianos, ou infarto agudo do miocárdio (IAM), aos 65 anos de idade, mais precisamente em 22 de maio de 337...  [Popularmente e erroneamente conhecido como ataque cardíaco, um erro popular na interpretação do termo médico taquicardia... Trata-se de um processo de necrose, ou morte de parte do tecido muscular cardíaco, e causado pela redução do fluxo sanguíneo coronariano...] Suas veias estavam entupidas com 'placas', segundo a precária autópsia...


O documento ainda falava sobre 'uma cruz - voadora, ou OVNI cristão - nos céus de Roma', antes de uma batalha decisiva... Na verdade, a história relata que Constantino sonhou com um símbolo cristão e os dizeres 'In hoc signo vinces”' ('Sob este signo vencerás', e venceu...), considerado que teria sido um presságio de deus... Ainda fala sobre o batismo e a conversão de Constantino... Apesar de Constantino ter cristianizado o Império Romano, e isso é um fato histórico e político, ele recebeu o batismo somente no leito de morte, como amplamente documentado... Mas tudo isso é cortina de fumaça... O ponto chave é a esperteza e a ardilosidade católica, contra a inteligência, a ética e o ceticismo de Valla... O resultado: A VERDADE... O conhecimento - sempre assinalo - não nos dirige na direção de 'convicções', mas no caminho simples - embora desconhecido de muitos e da maioria - da VERDADE... 

A autenticidade de tal palhaçada, evidentemente foi questionada por muitos, a começar pelo imperador de Bizâncio, que furiosamente protestou pelo furto... Muito embora tal documento - ou testamento - tenha sido supostamente redigido em 315, o cambalacho magno só veio a ocorrer no século X, em 979... Ou seja, é no mínimo muito estranho que durante todo este tempo tal documento não tenho sido apresentado... Mas a cara de pau da Igreja Católica, e de qualquer igreja ou seita religiosa, como sabemos, não tem limites... Tudo vale, e sempre existirão tolos para acreditar... 



Mas vale notar e refletir, sobre uma aspecto moral bem interessante em toda esta estorinha: Se Deus, por meio de Silvestre I, realmente curou  Constantino I - aquele que cristianizou o mundo -, deveria ter bons motivos para isso... Então vejamos a ficha corrida de Constantino I,  o Pontifex maximus: Um ano depois do Primeiro Concílio de Niceia, em (326), portanto, durante uma viagem solene a Roma para a comemoração dos seus vinte anos de reinado, Constantino mandou matar seu próprio filho, e sucessor, Crispo - um general competente - suspeito de conspirar para derrubá-lo... Pouco depois, Constantino sufocou ou cozinhou até a morte, a sua segunda mulher Fausta, num banho superaquecido, e provavelmente por suspeitar que ela também estivesse conspirando com seu 'enteado'... Mandou também estrangular o cunhado Licínio, descumprindo um acordo, pois este havia se entregado em troca da sua vida; e ainda mandou chicotear até a morte o seu sobrinho - filho de Licínio... Mas deus realmente sabe quando intervir, não é mesmo? Apenas diria que seus motivos são mais que misteriosos, são realmente insondáveis, e cretinos...

Os papas Gregório VII e Inocêncio III - que de inocente não tinha nada - chegaram a teorizar uma teocracia reinante sobre a Península Itálica e além, muito além... Ou seja, a supremacia magna do papado sobre os reis e imperadores, e com base neste documento fajuto... Não fosse por Valla, poderíamos ter corrido o risco de viver sob a égide de uma teocracia religiosa cristã, Católica Apostólica Romana, ainda mais sórdida, criminosa e hipócrita do que foram os reinos medievais, com suas Cruzadas e Inquisições... Agradeça a Lorenzo Valla... Agradeça ao Humanismo, ao Ceticismo... Ético, logo Cético...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário