Pesquisar este blog

quinta-feira, 8 de março de 2012

Antipático talvez, mas sempre Íntegro...



Dia Internacional da Mulher... Por quê?

As pessoas deveriam ser 'celebradas' individualmente e por sua conduta... Não existe, em minha opinião, sentido em uma celebração de gênero... Soa hipócrita, e me parece injustificável... Quem é a mulher? Existem mulheres e mulheres, homens e homens, e homens que se sentem um pouco ou muito mulher, mulheres que sentem um pouco ou muito como homens... E daí? 

Não entendo o dia da mulher... Mulheres foram oprimidas ao longo da história, o resquício de tradições culturais e religiosas, com amplo destaque para o judaísmo, cristianismo e o islamismo, que insistem em declarar a mulher como um ser menor, subserviente ao homem, e motivo bastante para a 'contaminação' dos que serão salvos... Portanto, homens virgens... Mas etnias, raças e outros grupos sociais também foram oprimidos... E a opressão mudou continuamente de mão... Não concordo com o 'Dia da Consciência Negra, e em parte porque o 'negro', se é que tal classificação é aceitável, também já foi o opressor... Por que Consciência Negra e não Consciência Humana? Concordo com o dia da liberdade, da igualdade... 

Porque não definimos um dia para os homoafetivos? A Parada Gay é um evento de protesto, e não um dia de celebração como o dia da mulher, onde gays receberiam elogios e presentes... Então protestem, não anualmente, mas quando necessário, contra os absurdos cometidos em favor da tradição, e contra muitas mulheres, gays, ou homens, por algum tipo de ignorância infundada... De forma que admitiria um dia de protesto contra a condição da mulher, em certas culturas, ou contextos, mas não de forma generalizada... Protestem contra quem oprime... Mas não entendo o que todas as mulheres tem em comum, além da anatomia, e diferenças no complexo bioquímico (hormonal)...

Mas de minha perspectiva, uma vez que nunca estive alinhado com tais ditames preconceituosos, o dia internacional da mulher soa muito estranho, piegas... Deveríamos celebrar a ética, a justiça, ente outras virtudes... Mas não haveriam presentes e movimentação comercial... Dia dos pais, das mães, para quê? Dia do amor, da educação, seriam mais apropriados... Não basta ser progenitor ou progenitora para merecer uma celebração, é necessário possuir virtudes, e de fato, no cumprimento da tarefa de ser pai ou mãe... Ser mulher? É apenas uma condição natural... Devemos celebrar as pessoas de bem, e reconhecer - seja com celebrações ou não - todos os dias, o valor daqueles que fazem o nosso mundo melhor... Não de uma mulher incógnita, mas as mulheres de nossa vida, de forma não generalizada, e ao contrário, individualizada, mulher, homem, pessoa... 

Perdão pela postura um tanto antipática, sendo que o Google amanheceu exaltando a data, mas não entendo por que a distinção... Não conheço duas mulheres minimante parecidas, e não classifico nada por gênero... Hoje e sempre, celebro as pessoas de minha vida, e para não ser ainda mais antipático, aos olhos dos que seguem o rito sem reflexão, celebro a presença da Erika (minha esposa), da Grazi, da Isabela, da Karol, da Bete (que faltou ao trabalho mais uma vez), da Eliana Martins, minha mãe, Tia Gláucia, Tia Heloísa, entre outras pessoas que importam muito em minha vida, hoje e sempre, e por acaso do gênero feminino... Por acaso mulheres...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário