Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de março de 2012

Encontro com Homens Notáveis...



Fragmento de um bate papo com os amigos Ivan Monticelli e Pedro Pinheiro, sobre argumentação, estilos, comunicação:

[...] Dawkins é um 'Sagan' só bem mais ácido e irônico, e menos talentoso... Hitchens era da pesada... Mas DeGrasse não tem a menor moral para puxar a orelha de Dawkins, como fez publicamente, meio de alegre, meio sem propósito, rsrsrsr... De Grasse, quando quer, e em geral, é 'humilhante' e sarcástico, e instável, por vezes assumindo posições 'a la Cinderela', rsrsrs, e outras vezes dirigindo uma retroescavadeira contra o debatedor... DeGrasse é o Will Smith da Ciência, rsrsrsr... Depende da platéia...  DeGrase é um show man, e gosta de ser o top master, ... , sozinho, não quer dividir a cena... 

Mas senhores, acho que 'sim', acho que se estamos preparados e com bons argumentos podemos praticar a boa retórica, sem 'exaltasamba'... Como Sagan... Mas considerem o que digo: 'Um Mundo Assombrado Por Demônios', a estória não foi bem assim... Sagan abusou da liberdade, disparou pesado, sem moderação, e já começou pegando pesado no título... Sagan chutou o pau da barraca... Sinceramente fiquei meio desconcertado quando iniciei a leitura... Sagan nunca havia falado ou escrito daquela forma... O cara politicamente correto, de gola rolê, diante da morte, decidiu soltar o verbo... E soltou... São momentos, circunstâncias e estilos... Mas Sagan não se conteve nesta obra, a última em vida... Mas deixou um legado de diplomacia e fair play, e o Pedro tem toda a razão nisso... E também considero Sagan 'o cara'... A despeito de ser um iconoclasta, considero Sagan e Drauzio Varella excepcionais e sua abordagem, cavalheiros da ciência... Por isso foram e são - quase - unanimidade... 

Jay Gould também foi muito político, exímio comunicador, e costumava criticar a Dawkins... Gould levava desaforo para casa sem se abalar, rsrsrs... Muitos outros não o fazem, como Huxley - o Thomas... E pergunto, o que seria de nós, o que seria da Seleção Natural e da Evolução sem o 'bulldog' de Darwin? Darwin era extremamente tímido, exímio escritor, mas péssimo orador... Marcelo Gleiser é bem light, bom comunicador, excelente escritor... Mas Galileu pegou pesado, trazendo à tona, sem medo, a premissas de Copernico e Kepler, escondidos nas sombras de suas respectivas características pessoais e timidez... Precisamos de todos estes personagens, do extremo do sarcasmo de Galileu, à sobriedade de Sagan... Passando pela sensacional adaptabilidade de Russell... Que inclusive defende, que o filósofo ou cientista moderno, em nada pode parecer-se a Gandhi, remetendo minha memória a Huxley... 

Descrevo como o 'estado do guerreiro', um estado assumido por que sabe por que luta, e o que espera... Sabe qual é o seu objetivo, e elimina sua vaidade para concentrar todo o seu foco em lograr o êxito... Que no meu caso, e em minha missão pessoal, seria exatamente o que o Ivan bem descreveu: 'atingir o maior número de pessoas'... Ajudar o maior número de pessoas a encontrar a clareza, a lucidez, no livre pensamento... 

Oscilo entre o cuidado e o rigor retórico, e a simples aceitação de minha natureza, rsrsrs... Dedico atenção e paciência aos que tem medo, mas sou implacável com os seus algozes, aqueles que incutem o medo para vender a salvação...

Sagan foi 'Sagan', rsrsrsrs... Dawkins é 'Dawkins', DeGrasse é 'De Grasse'... Apesar de gostar muito da argumentação de Hitchens considero o pior comunicador deste seleto grupo... Michel Onfray é ao mesmo tempo ácido e cáustico... Embora brilhante e realizador... Sam Harris era muito fraco, em argumentos e como orador, mas está melhorando a passos largos... Mas cada um tem a sua natureza genética, traduzida em uma bioquímica própria, e finalmente no seu comportamento e nas suas reações... Este mosaico de estilos é importante... Todos estes personagens desempenharam seus papéis... Giordano Bruno e Sócrates que enfrentaram a morte por suas ideias... E tantos outros calaram fundo... Darwin teria calado, não fosse Huxley...

De forma geral, recebo a crítica construtiva do Ivan, com dupla atenção... Primeiro agradeço pelos elogios, e tenho me empenhado em manter a lucidez e a integridade multidisciplinar de meus argumentos, o que consome muitas horas diárias de estudo, a milhares de horas em minha vida... Depois, aceito de bom grado a crítica de que 'se fosse um pouco mais sutil e delicado atingiria mais pessoas... Concordo com isso, tenho percebido isso, e fico feliz com a sua sensibilidade sobre o assunto... Na verdade acho que carrego um pouco na ironia, e por vezes muito, convertendo - raramente - em 'humilhação'... Depende muito do interlocutor... Mas sem dúvida não é esse o meu propósito... Quero realmente ajudar o maior número possível de pessoas - como disse - a dispor de mais clareza sobre a vida, e para que vivam uma vida plena... 

Agradeço a pessoas como vocês, guardiães do 'fair play', rsrsrs, e que ajudam na moderação de certas características intrínsecas de minha natureza... Tenho uma característica pessoal marcante: a indignação... E me preocupo com o mundo, e me preocupo com o pouco tempo que disponho para realizar mudanças... Conter este ímpeto por vezes é bem difícil, mas tenho obtido muito êxito... Pelo menos, a minha argumentação estará centrada na proposição, sem ataques desnecessários, como assisto frequentemente e gratuitamente no ATEA... A causa, percebam, sempre será importante e justa, e nunca será um ataque como fim em si mesmo...

Diante da indignação porém, mesmo preparado com bons argumentos, o que me permitiria manter a serenidade, posso alterar o tom do discurso... Por isso oscilo entre certa acidez e a paciência mais plácida do mundo, rsrsrs... Depende dos inputs que deflagraram o post, ou o comentário anterior, rsrsrs... Mas luto pela constância, pela serenidade, sempre respeitando minha natureza... Mas podem contar com a minha lucidez e integridade... Sempre... Obrigado Ivan, obrigado Pedro, só por causa deste papo, e da crítica indelével do Ivan, precisarei reescrever alguns dos capítulos de Ethos, rsrsrs... Sim, vocês tem razão, eliminando certo tom 'reativo', poderei atingir mais pessoas... Havia ficado com alguma dúvida em alguns capítulos, e agora estou seguro e certo de que não ganho nada com 'desafios'... 

Humildemente obrigado, vocês não tem ideia da importância deste papo... Abro o meu livro descrevendo o encontro com homens notáveis em minha vida e formação, Ramachandran, Sagan, Kandel, Sacks, Dawkins, Hirchens, DeGrasse, Russell, Varella, Nietzsche, Popper, Schopenhauer, Wittgenstein, Eisntein, Shermer, Ridley, Dennett, Pinker, Drummond, Quintana, Coralina, Neruda, Llosa, Garcia Marques, Pessoa, Borges, Sócrates, Epicuro, Aristarco, Ivan Monticelli, Pedro Pinheiro... Obrigado...

Se tenho a verdade por que perder a calma? A verdade insiste, resiste, persiste, penetra... Lúcida e firme... Cedo ou tarde... Ético, logo Cético!!!

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário