Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Chico Xavier: A Verdade

Chico Xavier pôde curar o câncer, entre outras graves enfermidades, mas nada pode contra os seus severos problemas de vista, e contra a sua calvície... E a sua fé espiritual não lhe poupou nem do mal gosto, apesar da vaidade de alguém que prefere usar peruca a aceitar a sua natureza calva... Mas 'espíritos elevados', pelo visto, também querem sair bem na foto... 

Chico Xavier: A Verdade... Epilético - e talvez Esquizofrênico - e Picareta...

Picareta porque não seria possível associar-se à uma verdadeira quadrilha de 'médiuns' - que se instaurou em Uberaba -, sem saber exatamente o que se passava... Inclusive, um de seus cúmplices Waldo Viera já revelou em inúmeras oportunidades que as psicografias - e todo o resto - eram fraudes cretinas... Picareta porque outra cúmplice de Chico, Otília Diogo, foi presa, e junto com ela foram também apreendidos os apetrechos que utilizava nas fraudes que praticava - na companhia de Chico... As fraudes eram grotescas e dependiam de intensa encenação...

Evidentemente estamos lidando com alguém que tem problemas mentais...
E evidentemente estamos lidando com alguém que não tem vergonha na cara...


Epilético porque foi diagnosticado como tal, embora particularmente, mantenha as minhas suspeitas de esquizofrenia... Quando falamos em epilepsia pensamos logo em um ataque epilético, com o paciente tendo forte convulsão, contrações, enrolando a língua e depois desmaiando... Normalmente, experiências místicas são relatadas após tais ataques... 

Mas nem sempre o paciente epilético reage desta forma... Muitos epiléticos relatam apenas experiências místicas comoventes, iluminação, viagens astrais, etc... Isso porque o lobo temporal está mais uma vez sob fogo cruzado... É estranho imaginar que um deus, qualquer deus - Tupã por exemplo -, escolha esta bizarra maneira de se comunicar conosco: a epilepsia... A Neurociência fica em uma situação delicada para medicar ou tratar um paciente 'iluminado', além do risco de contrariar os planos dos deuses, qualquer um - por exemplo Odin... 

Já imaginaram o impacto que a epilepsia e a esquizofrenia tiveram em tempo imemoriais, e até mesmo em nossos dias, em realidades culturais que distam muitas centenas ou milhares de quilômetros de um equipamento de ressonância magnética? Já imaginaram o impacto que causaram em Uberaba, na década de 60?

Uma palhaça, uma farsa, irmã Josefa (encenada por Otília Diogo, que foi presa),
um 'médium' cuspindo 'ectoplasma' (um estelionatário sem vergonha),
e o 'pobre coitado' Chico Xavier, em meio à toda a encenação...
Chico Xavier tinha sérios problemas mentais, mas de inocente ele não tinha nada...  

Pseudo-filósofos, pseudo-cientistas, e místicos de plantão adoram polemizar e profetizar sobre experiências sobrenaturais, mas agora estamos podendo 'provar' que tais assuntos residem em outra alçada, nada mística, como prognosticou Hipócrates: na Ciência Médica...


Os homens pensam que a epilepsia é divina meramente porque não a compreendem. Se eles denominassem divina qualquer coisa que não compreendem, não haveria fim para as coisas divinas.
Hipócrates (Pai da Medicina; 460–377 AEC)


O termo epilepsia vem do grego e significa 'mal sagrado', dando a ideia de que o indivíduo é acometido por algo que vem de fora, como a ira dos deuses... A epilepsia é conhecida desde a antiguidade, e  a bíblia já se referia à doenças como "possessão demoníaca"... Isso não é nenhuma novidade, afinal a bíblia descrevia todas as patologias como possessões demoníacas... Em Lucas [9:41-42] Jesus exorciza um menino epilético expulsando os seus demônios... Hipócrates foi o primeiro estudioso a referir-se a esta doença de maneira racional, dizendo que ela não era "nem mais nem menos sagrada que outras enfermidades e que certamente não provém de irritação dos deuses com os mortais, mas sim de uma disfunção do cérebro"... 


Durante os séculos seguintes, e durante toda a cristandade a epilepsia voltou ao obscurantismo de antes de Hipócrates... Os romanos a chamavam de "mal comicial", pois entendiam que os deuses, insatisfeitos com as decisões tomadas nos "comícios", descarregavam sua ira em alguns mortais que frequentavam tais reuniões... Muitos devem ter simulado o ataque convulsivo somente por sacanagem, mas esta é outra estória... O importante é que o medo infundado sobre a epilepsia, além da profunda ignorância reinante, tem submetidos os portadores da doença à um verdadeiro suplício, que somente a educação 'científica' pode aplacar... 


Assim como os efeitos placebo, a auto-sugestão, e também as crenças, são mais facilmente absorvidas por nós, dependendo de nossa suscetibilidade para 'acreditar' ou 'não questionar'... Tudo está rigorosamente em nosso cérebro... Emoções, sentimentos, sentimentalismo, crenças, racionalismo, poesia, música, ciência, filosofia, e mesma a famosa VGM (Viagem Geral na Maionese)... 

Considero a realidade, a droga mais potente e maravilhosa que existe, e ainda não entendo em detalhes porque as pessoas buscam drogas menores como a cocaína, o espiritismo, a psicanálise e a religião... E pergunto, diante de todo o exposto: Como é possível encarar tudo o que foi dito e pensar em espíritos, misticismo e mediunidade sem desconfiar veementemente que tudo isso possa estar 'também' e somente em nossas mentes? Como um distúrbio, falha, patologia, mal entendido, ou estelionato...

Humano, demasiado humano... Ético, logo cético...

Carlos Sherman




3 comentários:

  1. Carlos, parabéns. Seus textos continuam, lúcidos, interessantes e instigantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu companheiro na integridade intelectual... Você é suspeito, rsrsrsrs... Temos lutado boas lutas juntos, na tentativa de promover a ética pelo ceticismo saudável e pelo conhecimento... Vamos em frente... Um forte abraço...

      Excluir