Pesquisar este blog

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Lilith, sem censuras...






Não sou romântica. Sou erótica. 
Gosto do que me provoca febre, transpiração e convulsão.
Não sou morna. Sou como água fervendo. 
Não sou um riacho. Sou um vulcão. 
Sinto-me sem ar, mergulho e volto saindo de um tsunami.
Não sou Eva. Sou Lilith.
Não sou romântica. Sorry!


By Lilith

Forte, pulsante... Vivo...


Somente esclarecendo que Eva só induziu Adão, na fábula bíblica, a ter a curiosidade sobre a "árvore do conhecimento do bem e do mal":



"Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás."
Gênesis 2:17



Isso depois de Eva ter sido convencida por uma cobra falante, tipo Castelo Rá-Tim-Bum.... Mas a sexualização deste evento anedótico veio depois, pelas cabeças doentias de Santo Agostinho, São Tomás de Aquino e Freud... 

De qualquer maneira, fui tomado pelas palavras exuberantes de Lilith, seja ela quem for, está em chamas... E isso é muito bom... Mantenha a chama...

Carlos Sherman

Um comentário:

  1. Conseguiram negar o que nos torna integrantes desse mundo, as polaridades que a todo tempo se unem para formar a vida. Esqueço a nossa existência provida do ocaso mas lembremos da inclinação simbiótica que muitas vezes esquecemos. A união que gera a vida, como a terra que recebe a semente, como o caldeirão que recebe os ingredientes. Talvez por isso tenha perseguido tanto os pagãos, eles descobriram que fazem parte da natureza e são iguais à ela, não são melhores nem piores. Ótima postagem!

    ResponderExcluir