Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de abril de 2012

O Paradoxo de Pirsig



O Paradoxo de Pirsig

O filosofo Robert Prisig vendeu mais de 4 milhões de cópias de seu clássico 'Zen a Arte de Manutenção de Motocicletas'... Lançado em 1974 este best-seller se tornou um dos ícones literários da década de 70... Nele, Pirsig propõe aquele que ficaria conhecido como 'O Paradoxo de Pirsig'... Na obra, os personagens pai e filho, especulam em um diálogo - durante uma viagem de moto pelos Estados Unidos - sobre sobre ciência e crenças... O pai, finalmente, arremata:

[...] a lei da gravidade e até mesmo a própria gravidade não existiam antes de Isaac Newton. Não existe conclusão mais coerente. E isso quer dizer - prossigo, antes que ele me interrompa - que a Lei da Gravidade existe apenas na nossa cabeça! É um fantasma!

Significa, em poucas palavras, que não exite diferença tangível entre divagar sobre fantasmas e sobre Leis Científica... Evidentemente Pirsig está partindo de pressupostos equivocados, e um deles é o de imaginar que apenas Newton investigou os efeitos da gravida... Mas supondo que tal conceito em essência tenha sido 'imaginado' por Newton, Pirsig quer que acreditemos e aceitemos, que não se trata de nada mais do que um conceito, uma ideia, no melhor estilo 'platônico', na cabeça de Newton; e portanto tal plausível quanto um fantasma na cabela de um dito 'espiritualista'... Será que podemos conviver tacitamente com tamanha tautologia?  Acho que não...

De fato o que poderia ser mais misterioso, oculto, metafísico e fantasmagórico do que a 'Gravidade'? Uma tendência irremediável de atração entre corpos e objetos... Como isso é possível? Milagre, magia, sobrenatural? Não, apenas constructo mental...

Fantasmas existem? Leis da Física existem? Não há diferenças entre Leis da Física e Fantasmas? Desafia Shermer, e responde:

É claro que há. Um Lei Científica é uma descrição de uma ação - ou um fenômeno - que se repete regularmente e que está aberta à rejeição ou confirmação.

Um Lei Física, ou Científica, em suma, pode ser testada e verificada por diferentes pessoas, métodos, continua e repetitivamente... A ação ou fenômeno testado está na natureza, e apenas a sua descrição está em nosso cérebro... Os teste podem confirmar o rejeitar tais leis... Não ferimos nenhuma suscetibilidade se abandonamos um linha de investigação por outra... A Lei da Gravidade descreve portanto a atração entre corpos observada na natureza, antes de nascimento de Newton, e perduram após a sua morte... Já os fantasmas nunca foram devidamente testados em sua existência 'externa', por diferentes métodos e pessoas, e portanto somente existem no pensamento de quem crê em tais 'entidades sobrenaturais'... Ou seja, a ideia sobre fantasmas não extrapola os limites da mente, não existindo, de forma comprovada, fora da mente de quem crê... 

A Lei da Gravidade pode e é factual, não depende de Newton, nem de um observado específico para crer em seus conceito de existência... E tem a sua validez questionada 24 horas por dia... No CERN, o acelerador de partículas internacional, estamos investigando a existência de uma partícula subatômica, que poderá alterar profundamente a nossa conceituação sobre as origens da gravidades... A gravidade poderá ser destronada como força independente, para assumir um papel de manifestação termodinâmica... Estes estudos devem culminar nos próximos anos, entre 2014 e 2016... Mas mesmo que corrijamos o conhecimento cumulativo que temos da Gravidade, as Leis vigentes, continuarão a ser bastante úteis em nosso dia a dia, como tem sido até aqui... Foi suficiente para orbitar e operar satélites, para ir a Lua, para pousar em Titã - uma lua de Saturno - e para toda sorte de sucesso e insucessos do engenho humano...

Este tipo de divagação e relativização da realidade, no melhor estilo Matrix, tem se mostrado uma faceta perigosa, e mutacional, de outras crenças, e convergem sobretudo do dito 'espiritualismo'.... Platão e Aristóteles, no empenho de desprezar a realidade e a força da natureza e do corpo humano, e ávidos por tagarelar sem evidências ou provas, foram o veículo 'clássico' para tal disparate... Agostinho e Aquino viram a utilidade de tais constructos para os interesses do imperialismo católico... Hippolyte Léon Denizard Rivail - Kardec - cooptou de tais ideias, agregando sua verborragia própria e aqui estamos... Em círculos, discutindo o sexo dos anjos sob o prenúncio de que anjos são indiscutíveis... São? Por quê?

Investigamos tal tendência à superstição pela Genética, Neurociência, Psicologia e Biologia Evolutiva... Mas independentemente dos avanços, ou estamos imersos em ilusão como crentes, ou somos agentes por meio de patologias como esquizofrenia, ou estamos lidando com charlatões e estelionatários, e neste caso devemos aplicar com rigor o Código Penal...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário