Pesquisar este blog

terça-feira, 3 de abril de 2012

Tábula Rasa



Escreveram:

Ao nascer somos como uma folha de papel em branco. O problema é que ao invés de escrevermos nossa própria história sempre tentam roubar nossas canetas e escrever por nós. Os pais não tem o direito de escrever em nossas folhas, o que eles podem fazer é proteger-nos e guardar nossas canetas com o maior zêlo para que quando estivermos pronto, sejamos autores de nossos próprios livros...

Cometei:

Esta é a teoria da Tábula Rasa... Respeitosamente devo salientar que não procede, ou seja, não somos uma folha em braco... Temos ao nascer um fortíssima impulsão genética, desenvolvida na gestação e redundando em um sistema neural e hormonal muito mais forte do que pensávamos... Não somos de forma alguma uma folha em branco... Steven Pinker aborda o tema em 'Tábula Rasa' com muita propriedade... Confira.... 

De fato 'somos quem somos sem intencionar sê-lo'... Confiram 'O que nos faz humanos' de Matt Ridley... Mas dispomos de volição e de meios, mas não como colocado pela autora... A força da genética e de nossa bioquímica é tremenda como mostram por exemplo os estudos com gêmeos idênticos, criados juntos ou totalmente separados... Isso entre muitas outras frentes de investigação na Genética e na Neurociência, assim como na Psicologia Evolutiva... 

O texto parece interessante, mas de fato incorre em uma completa desvirtuação da realidade, e deve ser classificado como verbosidade ou crença... Crença no conceito da 'folha em branco', sem base para tal afirmação, nem evidências e nem provas... A proposição é vazia... Respeitosamente... Palavras concatenadas em uma mensagem de auto-ajuda, exalta-samba, mas que não difere muito de uma mensagem messiânica... Por quê? Porque não apresenta evidências, nem argumentos... Mera crença... A folha estava em branco e continua em branco... Palavras ao vento...

Carlos Sherman



P.S.:

Perfeito Davi, mas o 'potencial genético' na verdade realiza trabalho efetivo na cinética de nossas ações e é fundamental em nosso comportamento... A capacidade, o potencial e o perfil do próprio aprendizado é fortemente impulsionado pela genética... E o papel ontogenético - e também epigenético - é igualmente fundamental no estabelecimento de nossa fisiologia, nosso perfil bioquímico e neurológico... 

De forma que a folha em branco não procede, em termos de comportamento... Hoje em dia estamos enfrentando evidências de que o comportamento tem mais propulsão genética do que influência do aprendizado... Na verdade somos uma resultante de tudo isso, além dos imprintings, dos primeiros dias e semanas, meses, anos, da grande revolução neurológica da puberdade... Mas nada se assemelha a uma tábula rasa, e é exatamente o contrário... Por isso o termo é inapropriado... 

É necessário explicar que não procede... Poderíamos evocar 'personagens', aceitando as características do ator, por exemplo... Mas evocar precisamente a folha em branco, é evocar um conceito superado... Mais vale o esclarecimento do que o remendo... Não vejo porque divagar mais... 

O efeito da cultura, dos tutores, e da família, e da cadeia de eventos de nossa vida não serão escritos sobre uma folha e branco... Ao contrário... Aprender será de entrada fortemente influenciado pela genética... Não vale a alegoria, não procede... Prestamos um desserviço se insistimos em adaptar o sentido do conceito... O conceito não aplica aqui... Sinto muito... 

Mas é isso aí, entendi perfeitamente a mensagem e procurei esclarecer... Peço mil desculpas pela abordagem crítica, mas não havia outro caminho, e mantenho a minha integridade intelectual contra a minha popularidade... Achei fofo, rsrsrs, e evidentemente percebi a linda intenção... Mas precisava explicar este ponto, e ajudar... Mesmo assim mil desculpas por qualquer incômodo... 


Nenhum comentário:

Postar um comentário