Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Um homem contra moleques




Um bando de moleques, que se dizem grevistas, invadiram a aula de uma professora na UNIFESP, brandando dizeres seus velhos ritos de  greve, e o professor Júlio Moracen Naranjo, negro - epidermicamente falando -, um cubano mais brasileiro que você e eu, pouco inclinado à passividade entrou em sua defesa... Estes marginais, vagabundos, que vivem da crença comunista, e odolatram os regimes mais sanguinário, opressores e cínicos da história, tratam de achincalhar a vida de Júlio - meu amigo - pela Internet... Aqui vai a minha resposta a estes arruaceiros, que cultuam Cuba e Guevara - que Júlio conhece de perto, por dentro -, enquanto falam em - pasmem - 'democracia':


A velha falácia do 'movimento grevista', 'democrático', a velha falácia de sempre... Um bando de moleques, hasteando a bandeira de Cuba com o rosto de Guevara em uma universidade pública da República Federativa do Brasil? Quem são vocês? O que sabem de democracia? O que sabem sobre a Cuba de Guevara? Um estado que fusilaría a todos vocês grevistas, sem direito a sursis... Sabem quem é Guevara? O real, não o Guevara Cinderela que você cultuam... O real, um psicopata assassino, que um bando de moleques arruaceiros associam - em sua fantasia - com um ícone da liberdade... Um 'ícone da liberdade ' que viveu com armas na mão, uniforma militar, matando a quem quisesse, a queima roupa, com requintes de frieza... Assassinando companheiros, pelas costas, em sua paranoica mania de perseguição... Aquele, que no plenário da ONU, quando interpelado sobre os massacres políticos em Cuba respondeu: 'O nosso regime é um regime à morte'... É isso mesmo, seus movimento é uma palhaçada... 


E você, que cultuam um criminoso fascista, estão caluniando e achincalhando um homem sério, de bem, e que lutou muitas lutas - servindo a Cuba na guerra de Angola -, contra muitos preconceitos, assim como o vosso preconceito... Um homem livre, que pode sim rever as suas posições... Conheço Júlio Moracen a mais de 10 anos, e bem sei que se ele teve a CORAGEM de interceder, havia uma causa justa a ser defendida... Como um bando de arruaceiros invadindo, covarde e irresponsavelmente, a aula de uma professora, e com os dizeres de 'ação para barrar a aula de uma professora', no mesmo parágrafo onde escrevem 'DEMOCRATICAMENTE'... 'Barrar democraticamente'??? Essa é nova... 


Democracia é o direito extrapolado para a maioria, e não o direito de imposição da vontade de um grupo sobre outro... Covardes, moleques... Este papinho comunista - velho e carcomido - deveria ter sido superado pela inteligência mediana à muito tempo, mas alguns tolos e imbecis insistem em 'sociologizar' a vida, e com discursinhos marxistas de segunda - até porque não existem discursos marxistas de primeira -, deslavadamente corporativistas, 'crentes' e desonestos... E tentam camuflar a barbárie de seus atos e o do seu radicalismo, atrás de uma falsa imagem 'democrática'...


Você pode, democraticamente dizer o que pensa, ou associar-se com quem deseja o mesmo que você, e pode até mesmo eximir-se da responsabilidade de ir à aula... E deverá, democraticamente acatar o cumprimento das leis e regras em vigor, e as consequências dos seus, quando ferem o direito alheio, como por exemplo 'dar e receber aulas'... E se quiser mudar as leis e regras, deve faze-lo democraticamente... Mas não pode, sob o pretexto desonesto e cretino, de tratar-se de uma ato 'democrático', "barrar uma aula" - conforme alegado... Você estará agindo - 100% - antidemocraticamente... É óbvio e claro... Só não vê quem não quer, e quem tem os olhos embotados de um marxismo ideológico fora de época, e completamente fora da realidade...


O senhor 'Naranjo' é um homem... Um grande homem, livre e pensante... O senhor Júlio Moracen Naranjo merece o meu respeito, merece o respeito de todos... Se lá estivesse, diante da barbárie de moleques covardes como vocês, também asseguraria o direito de uma professora em trabalhar e ministrar a sua aula, e o direito equivalente dos seus alunos em assistir tal aula... Não, vocês não tem o direito de violar o direito voluntário e pacífico de trocar conhecimento, nem de ir e vir, ou afrontar qualquer direito civil... Não, vocês não avançarão sobre o direito legítimos de todos... Eu também me levantaria contra esse ato bolchevique, como humano - troppo umano -, como Júlio Moracen Naranjo foi... E enfrentaria uma turba de covardes 'crentes', demagogos e hipócritas... Como homem... Que venham as pedras ou as balas, seria bem bíblico e bem 'comunista' - respectivamente, embora farinha do mesmo saco, 'da crença na crença'...


Carlos Sherman


Abaixo a verdade que alguns moleques tentam escamotear, no melhor estilo satalinista-maoista:

Nenhum comentário:

Postar um comentário