Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Sobre Mártires...



Mártires - ... as mortes dos mártires, diga-se da passagem, foram uma grande infelicidade histórica: elas fascinavam.... Os mártires prejudicaram a verdade... Até hoje basta uma certa crueza na perseguição de uma seita insignificante para que esta conquiste um nome respeitável. Como? O valor de uma coisa por acaso muda só porque alguém desiste da vida.... Exatamente isso foi a maior idiotice histórica de todos os perseguidores, ter dado à questão dos oponentes uma aparência de honra, tê-la presenteado com a fascinação do martírio... A mulher continua ajoelhada ante um equívoco, porque disseram-lhe que por sua causa alguém morreu na cruz. É pois a cruz um argumento? ... Escreveram letras sangrentas no caminho que percorreram e sua loucura ensinava que a verdade se prova com sangue. Mas o sangue é a pior testemunha da verdade; o sangue envenena transformando o ensinamento puro em loucura e ódio dos corações. E quando alguém atravessa o inferno em nome da doutrina, o que isso prova? É mais verdadeiro quando a própria doutrina nasce da queimadura. 

Friedrich Nietzsche,
"O Anticristo - Maldição do Cristianismo",
Edição Integral,1992, pág. 79

P.S.:


Willian Souza Bernardes: Friedrich... Mesma nacionalidade que Hitler, com uma genética incansável na busca da razão. Brilhante filósofo...o outro? Um ditador mesquinho. Hitler poderia ter procedido com as ideias de Friedrich, mas não, preferiu a religião do que a filosofia.

Pedro Pinheiro: De maneira equivocada, Hitler se "inspirou" no Fritz e sua busca pelo Übermensch.

Carlos Leger Sherman Palmer: Brother, acho que Hitler era austríaco... Não obstante, devo dizer que 'não', e pelos motivos que você bem expôs, Hitler não poderia ter pensado como Nietzsche, afinal ele não era Nietzsche, nem se aproximava disso, e nem mesmo possuía os predicados elementares para compreender Nietzsche... Ademais, Hitler era sabidamente psicótico, o que lhe atrasava ainda mais a viagem... Hitler não 'preferiu', Hitler foi Hitler... Não somos produtos do meio, a Tábula Rasa é uma falácia hà muito destronada... Hitler viveu o seu destino genético, em reação com o seu tempo e lugar... Somos quem somos sem intencionar sê-lo... Mas somos... A afinidade de Hitler reflete sua neurofisiologia... A monstruosidade também...

Nenhum comentário:

Postar um comentário