Pesquisar este blog

sábado, 1 de setembro de 2012

As Cores da Vida...




Uma amiga escreveu:

"Quisera! Ser imortal é para poucos, não acha?"

Respondi:

Ser imortal é morrer... Significa a morte de tudo o que se alimenta do tempo... Do tempo finito... Das emoções, da urgência de beijar agora, de sorrir já, de dar a flor, de amar, de virar a própria mesa, de reagir, lutar... A fantasia da imortalidade, mata a realidade da vida... O melhor lugar do mundo é aqui e agora... Não há nada depois... Sinto muito... Mas se houvesse, seria o decreto da 'efemeridade indiscriminada'... 'Posso amá-la hoje ou em 3.767.908 anos, e por mais 234.778.999 vezes'... 

A vida tem sentido em contraste com o pano de fundo da morte... As cores da vida contrastam com a escuridão da morte... Sem morte, sem sentido para a vida... E não o contrário... A subversão deste princípio foi procedida pelo medo - humano, troppo umano -, mas que não conduz a nada... Viver, de fato e plenamente, inclui irremediavelmente encarar o risco de morrer... 

Aceite a morte como conselheira, viva a vida... Esta é a sua primeira e última chance... E o tempo, 'o tempo não pára'...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário