Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Afastando-me... Com prazer...



Giselle Serejo, uma excepcional 'poetisa', mas uma discutível pensadora, escreveu - dirigindo-se a mim:

pessoas racionais demais..objetivas demais..céticas demais..afastem-se de mim..eu sou o oposto disso!

Uau... Rsrsrs, acho que foi dito - apesar da indireta e da desfaçatez - 'diretamente' a mim... O meu crime? Questionar - pela argumentação - seus postulados... Questionar publicações que versam sobre a 'realidade', sugerindo fugir dela... Que versam sobre a realidade, sobre a vida, sem pretender o uso do cérebro... Pensei que era possível discordar de seus postulados... Perdão... Mas seguirei o conselho, à risca... 

Cético, repito, vem do grego, 'significa olhar de perto', 'olhar os detalhes'... Significa dar um passo na direção da integridade intelectual, da honestidade e da ética... Sim, porque sem aprofundamento, sem 'saber', julgando apenas pela superfície das coisas, incrementamos enormemente o risco de julgar equivocadamente... E ser racional é ser consequente... Se equivocam aqueles que pensam que sensibilidade significa 'deixar o cérebro em casa'.... Que confundem poesia com verborragia... Vide Neruda, Drummond, Pessoa, Coralina... Mestres na poesia e no racionalismo... Vide Einstein, Darwin y Sagan, mestres na poesia e no racionalismo... Todos mestres na arte de viver... Se equivocam os que ainda não sabem que tudo está no cérebro, inclusive a sensibilidade; assim como as ilusões e confusões... 

Mas seguirei vossa recomendação com dignidade... Aqui me afasto... Derradeiramente... Afinal, a verdade não tem adjetivos... E aqueles que temem a verdade o fazem por medo de perder suas vãs ilusões... Não existe nada mais belo, forte e real, que a REALIDADE... Desejo a você uma linda vida... Você é uma excepcional poetiza, mas uma caricatura como pensadora... Principalmente por estar aferrada a dogmas, e por ser vítima da clássica 'crença na crença'... Estude mais, ocupe o menos o palanque, você tem menos a dizer do que pensa... Ou não pensa... Pensa? Você sabe como dizer, mas precisa cuidar do conteúdo, do que pretende dizer... Nem tudo se trata de uma ajuntamento de palavras, ou de um jorro emocional... Existe poesia no conhecimento, e conhecimento na poesia... Vem da mesma fonte, o cérebro humano... E quando alguém pára de aprender, porque não quer ver suas crenças questionadas, a humanidade perde um pouco do seu vigor... E sinto pena... 

Não percebe que a sua mensagem impõe: 'diferentes, afastem-se de mim'... Trata razão e ceticismo - profundidade - como inimigos de sua conduta... Capenga, perde o equilíbrio, e cai... Perdeste uma grande oportunidade de aprender, e de ficar calada... O silêncio algumas vezes, também é poesia... Aqui me silencio, apenas para você, com poesia... Esta é a minha poesia da realidade...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário