Pesquisar este blog

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Epíteto - com acento....



Publicaram a mensagem acima:

A célebre frase de Epiteto, um estoico, pretendia ensinar que devemos cuidar de nossos de erros de julgamento... Epiteto - sem acento - no século I AEC, estava preocupado com a ignorância e o dogma... Não podemos - por exemplo - ensinar a quem acha que tudo sabe, pela leitura de apenas um livro... A bíblia por exemplo... E não podemos acordar a quem prefere continuar dormindo, esperando pelo juízo final... A fé nada explica, mas afasta importantes reflexões... Epiteto pretendia evitar a teimosia e o dogma, em favor do verdadeiro conhecimento... E os estoicos associavam o conhecimento à sabedoria, e a sabedoria à felicidade... A sabedoria - para Epiteto - associava as virtudes morais com o conhecimento... E a felicidade é uma consequência direta desta associação...

Para citar meu próprio aforismo, e com orgulho:

Ético logo Cético...

'Como viver um vida plena, uma vida feliz? Como ser uma pessoa com boas qualidades morais? Responder a estas duas perguntas fundamentais foi a única paixão de Epiteto'... Suas obras não são tão conhecidas quanto as ideias de Platão e Aristóteles, o que me enche de pesar...

Precisamente como eu já esperava, tal mensagem assumiu um outro viés, servindo - como sempre - ao propósito 'falho', de relativizar o conhecimento... O verdadeiro conhecimento... Abrindo espaço a quaisquer desconhecimentos, e nivelando por baixo... Se ninguém sabe tudo, então qualquer um pode saber alguma coisa, ou tudo, ou possuir a sua própria verdade, o seu próprio conhecimento... 

Na verdade existem conhecimentos exatos, e que podem ser comprovados todos os dias, seja em Londres, em Quixeramobim, ou em Xangai, e por qualquer um... Trata-se do conhecimento científico... E existem 'propostas' subjetivas ou literárias... E neste espectro não se pode afirmar nada... O problema é que a posição da Terra, como centro de um conciso sistema universal, foi tratada com a mesma liturgia que a virgindade da maior do salvador dos cristão - por exemplo... O Cardeal Belarmino, no julgamento de Galileu, bradou:

"Dizer que a Terra não estão no centro do universo, é o mesmo que dizer que Cristo não veio de uma virgem" - Cardeal Belarmino, Julgamento de Galileu

Bom, Belarmino tinha razão, tratavam-se de duas fábulas... Mas há um porém, antes que alguém pense em 'contextualizar' o assunto... Cerca de 2.000 anos antes deste triste capítulo a história da humanidade ter sido encenado, Aristarco de Samos havia concluído 'corretamente' que a Terra girava em torno do Sol... Tal 'conhecimento' não pôde inspirar as seguintes gerações porque os dogmas ou 'outros conhecimentos', foram mais rápidos, fortes e sorrateiros... Este é o perigo da relativização do conhecimento... Não obstante, a ciência, o ato de tomar ciência, trata o seu acervo de conhecimento com muito cuidado... E admite que suas 'verdades' estão sujeitas a um universo de aplicação, ao erro, e à revisão... E esta é a sua maior fortaleza... O dogma não se renova, quebra, carcomido, débil, patético...

Comentaram que 'o conhecimento é algo relacional e não material'... O conhecimento pode ser relacional, mas depende de um meio físico... Diretamente, e sem direito a subterfúgios... O conhecimento relacional, associativo, a memória, são processados fisicamente no cérebro, dependendo diretamente dos circuitos neurais, físicos... Dependendo diretamente dos neurônios, fisicamente, sua condução elétrica intrínseca, e sua condução química através de neurotransmissores, físicos, que viajam em micro-vesículas, físicas, por conta das sinapses... Não existe dualidade corpo e alma - ou sua versão nomotética, a mente... Não existe absolutamente nenhuma função no homem que não dependa de seu corpo físico... 

Não habitamos um corpo, somos um corpo.... 

E aqueles que negam veementemente tais FATOS, podem estar vivenciando problemas 'físicos' em seus lobos temporais, no córtex cingulado, ou na parte anterior do lobo frontal... Ou ainda enfrentando problemas com a produção das dopaminas... Mais de 70% dos casos de epilepsia não apresentam convulsões... São diagnosticados quando as familiares se surpreendem com uma súbita mudança de comportamento de um indivíduo, com papos místicos, esotéricos, e vão se apartando rapidamente da realidade... Em outros casos, como em certa família de Uberaba, os indivíduos são encorajados em sua patologia, e não recebem tratamento adequado... O resultado neste último caso são hordas de seguidores, igualmente carente de atendimento médico... 

E sobre a relativização do conhecimento, inerente a quase todos os comentários que seguiram o rito da mensagem, comento que:

"Somos todos ignorantes [em alguma medida], mas não sobre as mesmas coisas" - Albert Einstein... 

O que podemos dizer é que conhecimento não é o mesmo que sabedoria, mas ajuda muito... Concordo com os estoicos neste ponto, a associação da atitude ética - coerente - com o conhecimento, se 'materializa' em sabedoria... A sabedoria conduz à 'sensação FÍSICA', bioquímica, e portanto REAL, de FELICIDADE... Considero pois o conhecimento como pré-requisito para a verdadeira sabedoria, assim como a atitude ética... Afinal quem pode ser efetivamente sábio pensando que doenças são possessões demoníacas, falando em chakras, espíritos, e que o sol gira em torno da terra? Por outro lado, apenas o conhecimento não garante uma linda vida... A sabedoria consiste em usar bem o conhecimento, para constituir uma vida digna... Pessoas ignorantes podem viver bem, e viver de suas virtude éticas, mas do meu ponto de vista será difícil considera-las realmente sábias... Se estão imersas em ignorância, se ignoram a natureza das coisas, do mundo que as cerca, e de si mesmas, estarão imersas em mistério e medo... Onde vêem mistério haverá apenas complexidade, uma complexidade que pode ser transformada em CONHECIMENTO... 

"Quem nada sabe em tudo crê" - Jan Neruda...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário