Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Convergência Mítica



O Antigo Testamento anuncia a vinda de um descendente de David, para assim como ele, pegar em armar e libertar os judeus, e sagrar-se REI DOS JUDEUS... Daí pra frente em qualquer esquina na Palestina tinha um cara dizendo 'sou eu, sou eu'... Exatamente no dia da Páscoa, onde os judeus celebravam a fuga do Egito, um dia particularmente tenso para o dominador romano, um cara entra em Jerusalém dizendo ser o tal rei dos judeus, montado em um jumento, e provocando algazarra no templo ao derrubar umas barracas de comerciantes... Um potencial esquizofrênico, que acabou estando na hora errada, no lugar errado... Foi crucificado com Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus... Um exemplo para os seguintes candidatos... 200.000 judeus morreram crucificados... Era uma pena inferior... Jesus simplesmente não existia para o Império Romano e nem para ninguém... A lenda vem a posteriori, no Novo Testamento, produzido por Paulo - que nunca conheceu Jesus pessoalmente - e escrito por aqueles que nunca conviveram com Jesus... Daí a lenda, que foi fundida a outros mitos do momento como Mitra, Krishna, Horus, etc... Trata-se de uma mitologia convergente, ou seja, o sincretismo de várias tradições que vão se fundindo em um novo mito...


 Mas até os 13 o jovem Jesus tem uma vida 'apócrifa', não oficial... Onde entre outras diabruras ele teria transformado amiguinhos em bodes... Crueldade infantil divinal... Aos 33 o cara aparece do nada... Mas sem nenhuma repercussão... Somente relatado pela bíblia... Nenhum outro registro, nada... Flavio Josefo, ou qualquer outro historiador... Nada... Só está escrito no fundamento... Marcos serve de base para Mateus e Lucas, e eles contam um ano de vida de Jesus... Mas João viaja na maionese, são três anos, e com uma versão mais mística... Também é atribuído a João o Apocalipse... Um pérola do terror... O maior crime de todos os tempos - mentira, o segundo maior, porque já havia ocorrido o Dilúvio -, onde toda a humanidade - menos 144.000 homens castos, barbudos, com costeletas - será dizimada com indizível sofrimento... Um 'humanicídio'... Onde fica o amor, a compaixão, o perdão??? No som do ranger de dentes, pelo sofrimento impingido? Corpos imerso em mármore derretido? Jesus vem, em pessoa, senhor da guerra, e avisa: chegou a cavalaria... Está montado em uma cavalo branco, usa armadura reluzente - como qualquer guerreiro -, lançando  espadas pela boca - e isso eu quero ver neguinho fazer!!! Vim para a tão esperada vingança, ele anuncia... 

O ponto alto de minha observação sobre o mito de Jesus, começa no famigerado episódio de 'oferecer a outra face', quando for esbofeteado... O gesto - aparentemente - denota abnegado pacifismo... Mas no Apocalipse Jesus vem mostrar a verdadeira face, matança geral, vingança, holocausto... Desta forma concluo, o gesto de dar a outra face não passou de desfaçatez e dissimulação... E o crime foi necessariamente premeditado... O crime contra a humanidade... De salvador a malfeitor 'nec plus ultra', em um parágrafo... Triste destino...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário