Pesquisar este blog

domingo, 20 de janeiro de 2013

Conversando com o meu querido amigo 'A.S.'



A ética médica, neurofisiológica, psicológica ou psiquiátrica, preserva a identidade de seus pacientes, dando notoriedade aos respectivos casos, mas indicando apenas as iniciais de seus nomes... E pretendo utilizar o mesmo expediente para contar um diálogo ocorrido em meu círculo íntimo, e com um amigo, posto que, não pude consultá-lo sobre a divulgação de nosso papo... Mas a inspiração não escolhe a hora de chegar...

'A.S.' e eu, discutíamos, cordial e calorosamente, sobre diversas questões relacionadas à crença, descrença, ciência e conhecimento... Ele defendia a tese de que "existem vários conhecimentos, o seu, o meu, o dele, a bíblia, as idéias de quem acredita em extra-terrestres, de quem não acredita, espiritismo, imposição de mãos para cura, cura pela televisão, etc"... 'A.S.' colocava, aquilo que ele considerava como "conhecimentos diversos", no mesmo patamar... Considerava - por exemplo -  a tese de que extra-terrestres interagem ou interagiram com o nosso planeta, e com a humanidade, no mesmo patamar que o exercício científico da Astronomia; e mesmo da Arqueologia, e da Antropologia, posto que, tais evidências, jamais foram encontradas... 'A.S.' emparelhava o criacionismo bíblico com a Evolução, em termos de "confiabilidade"... 

Insisti tratar-se de um ledo engano, provocado por diversos tipos de 'desconhecimento', começando pelo pleno desconhecimento sobre a estrutura do Conhecimento Científico, da Experiência Científica, e seus métodos... Expliquei que, enquanto certos "conhecimentos" emergem de uma mente, e permanecem defendidos apenas por esta mente e seus "adeptos"; outros "conhecimentos", também emergem de uma mente, para então fazer parte da experiência de outras mentes, a partir de testes abnegados, em outros lugares, e sem a interferência da mente que efetuou a primeira prova... E este tipo de experimento, poderá ser replicado sempre que necessário, sendo que para isso não precisaremos, jamais, de adeptos, de crentes, e sim de testadores, de cientistas, que poderão corroborar este saber...

Percebi também, que o simples fato de um livro ter sido escrito, bastava para que 'A.S.' considerasse tal 'bloco de papel com letras impressas' merecedor de consideração, valor, e respeito, não implicando em nenhum tipo de validação... Hitler escreveu Mein Kampf, segundo ele, inspirado pela divina providência de deus, e daí??? Percebi também, que as mensagens anedóticas, fabulosas, e ao mesmo tempo simplistas, exerciam mais fascínio em sua mente... Meu querido amigo, insistia em ainda outro aspecto, "o problema  do conhecimento sequenciado", i.e., 'se eu li algo escrito por outra pessoa, e assim sucessivamente, isso implica que, em uma espécie de "telefone sem fio", o pronto central poderá ser parcialmente ou inteiramente perdido... 

'A.S.' não percebia a contradição... Por um lado considerava justo endossar tudo o que tenha sido escrito, ou dar a qualquer escrito, uma espécie de igualdade de valor... Mas em seguida, tratava de desmerecer, de forma geral, todo conhecimento escrito, pela teoria do "telefone sem fio"...

Como sei que estas confusões, indagações e dúvidas, são também parte da vida de muitas pessoas, pessoas de bem, como o meu amigo, achei importante registrar os esclarecimentos que fiz diretamente à ele... Sei que estas são questões que tangem a muitas confusões, mas no caso dele, e diante de sua enorme simpatia e senso de humor, tal debate nunca abandonou o ambiente de pura cordialidade... 

Sendo assim, meu querido amigo 'A.S.', seguem as minhas considerações:

Não basta escrever um livro... Segundo Drummond de Andrade - o Carlos, meu homônimo - 'apenas 100 livros bastariam para resumir o conhecimento'... Sou um pouco mais otimista, e acho que este número pode ser multiplicado '10x', e sendo assim, cerca de 1.000 livros mereceram ser escritos... E não muto mais do que isso... Em todos os tempos... Em uma grande livraria como a Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, que aglomera algumas dezenas de milhares de títulos, apenas 5%, 3%, 2%, de todos os objetos de papel que inundam suas prateleiras, mereceram ser escritos... A indústria literária é apenas mais um negócio, e não basta ser publicado, é preciso fazer sentido, é preciso apresentar um conteúdo plausível e portanto respeitável... E a arte não deixa de ser assim em todas as suas emanações... O valor de uma obra de arte, no meu conceito, está na qualidade da história por trás desta obra...  

O conhecimento escrito precisa emanar de uma 'história de conhecimento'...

Outro aspecto fundamental, que também precisa ser elucidado, refere-se ao "telefone sem fio"... Literaturas como a bíblia, são uma espécie de 'colcha de retalhos', que foram produzida, editada, reeditada, censurada, e revisada por muitas mãos - E VOZES... A bíblia foi conjurada sob forte pressão política, e muitas vezes por decreto... Já escrevi sobre isso, e está amplamente registrado pela historiografia... A bíblia foi transmitida por tradição oral, e isso sim abre espaço para o "telefone sem fio"... Além disso a bíblia não foi escrita por quem presenciou os supostos fatos narrados... Estamos falando de literatura, e não sobre conhecimento... Não podemos reproduzir nenhum dos postulados bíblicos em laboratório, e todo enunciado objetivo estava errado... Doenças não são decorrentes de possessões demoníacas, a Terra não é plana, e não está no centro do universo, e o homem obviamente não é descendente do tijolo... A bíblia não pode ser corroborada, e não pode ser considerada plausível...

Mais importante do que isso é esclarecer que, desde a invenção da escrita, pudemos registrar o passo a passo de nossas descobertas, desde os feitos mais singelos, até especulações sobre o Cosmos... Este vasto conhecimento acumulado, vai erigindo o acervo de conhecimento da humanidade... Antes do Método Científico, um postulado ou uma hipótese, não estavam sujeitos à prova, de forma que não era possível separar a mera autoridade - como no caso platônico-aristotélico -, do verdadeiro conhecimento... E também, não era possível filtrar as alucinações... 

Tivemos esperar pela Neurofisiologia, pela Neurociência Cognitiva, pela Psicologia Comportamental e Evolutiva, pela Genética e pela Etologia, para conhecer os labirintos da mente e do comportamento humano, e entender sobre a Biologia da Crença...

'A.S.' tem filhos brilhantes, e curiosos... Suponhamos que, algum deles, se interesse pela Astronomia... Será necessário consultar o verdadeiro conhecimento, o conhecimento científico e Astronômico, se quiser - por exemplo - levar a sua nave até Netuno... Se consultar o viés cristológico-aristotélico, jamais chegará a parte alguma, posto que Netuno - por exemplo - não orbita a Terra... De forma que 'sim', existem 'conhecimentos' e 'erros'... Não basta escrever muitos livros, ser famoso, e dispor de autoridade, para corroborar a qualidade de um conhecimento... Este é por exemplo, o caso aristotélico - assim como o caso bíblico... 

Ainda citando a Bíblia, e se por ventura outro filho de 'A.S.' enveredar pela ciência médica, espero que não consulte as escrituras sagradas judaico-cristãs-islâmicas, onde, por exemplo, deus vocifera que:


"Falou mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo:
Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes.
E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo."
Levítico 13:1-3"... 


Espero que qualquer médico, em todo tempo e lugar, ignore estas "instruções", e consulte a Ciência Médica, e apenas ela, corroborada com provas, registrada nos anais científicos; para  reconhecer e tratar o bacilo causador da lepra... Afinal, viemos pela saga humana, amargando o limite de 30, 40 anos em termos de expectativa média de vida; do Homem de Cro-Magnon no Paleolítico Superior, há quase 50.000 anos, passando pelos tempos bíblicos - Cristo morreu um pouco abaixo da média, e dentro dos elevados padrões de criminalidade da época -, e chegando ao final da sombria e 'crente' Idade Média - ou Idade das Trevas... Apenas em 300 anos de Ciência, mais do que duplicamos a expectativa de vida, e reduzimos em quase 40 vezes a mortalidade infantil... Da mesma forma, quintuplicamos a população global, que custou quase 50.000 anos para atingir cerca de um bilhão de habitantes...

Bem sei que 'A.S.' trata muito bem os seus queridos meninos, aliás, uma linda família, filhos maravilhosos... Mas espero que, se outro de seus filhos enveredar pela área da Psicologia, não acolha a mensagem bíblica em relação aos "filhos rebeldes":

"Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos, Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar; E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá. Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro, O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o SENHOR teu Deus te dá em herança."
Deuteronômio [21:18-23]

Na área jurídica, temo por nossa humanidade, se a violenta mensagem bíblica for - mais uma vez - acolhida:


"Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; E assim os inimigos do homem serão os seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim."
Mateus [10: 34-37]

"Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, Queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe."
Êxodo [21: 24-25]

"Quebradura por quebradura, olho por olho, dente por dente; como ele tiver desfigurado a algum homem, assim se lhe fará."
Levitício [24: 20]

Este seria o Código Babilônico de Hammurabi ampliado... E não seriamos mais felizes... E espero que esteja bem claro, que os nossos valores morais e éticos, passam bem longe da bíblia, e na verdade, foram forjados de forma convergente e contingente, ao longo de muitas gerações de homens notáveis, onde raramente contamos 'crentes'... Na verdade os nossos códigos de convivência pacífica, decorrem do Iluminismo e do Humanismo Secular, mas nunca de livros sagrados... 


De forma que finalmente, pude interpelar o meu amigo 'A.S.':

'Se as coisas fossem como você diz ou imagina, e existissem tradições espirituais antigas, válidas, e fenômenos de cura espiritual, como "imposição de mãos", orações, bendições, e até curas pela televisão... então por que, conforme o mundo se torna cada vez mais descrente em deuses e no sobrenatural - afastando-se de tais tradições "antigas", espirituais -, principalmente nos países mais ricos, instruídos e desenvolvidos, as pessoas vivem muito mais, e seus filhos morrem muito menos ao nascer, em relação aos tempos bíblicos? Por que, nos países mais descrentes, somos mais generosos e solidários, e menos violentos e desiguais? Por que os países mais descrentes, as pessoas não passam fome, e tem mais acesso à saúde de qualidade? Qual é o mapa de deus?'

Finalmente, ele me ofereceu a chance de um cheque-mate, e não perdi a oportunidade... Contou-me que em sua empresa havia um porteiro esquizofrênico, que via coisas e pessoas... Disse-me inclusive que em uma ocasião, tal senhor havia apontado uma pessoa estranha, do outro lado da rua, e que ele foi incapaz de ver... Expliquei então sobre os terríveis labirintos de nossa neurofisiologia... Mas ele retrucou: "Não, mas ele era esquizofrênico"... Acontece, que a esquizofrenia está corretamente matriculada nos anais na Medicina e da Psiquiatria, e pode ser verificada clinicamente, e através de eletroencefalogramas e imageamento por ressonância magnética... E tal diagnóstico pode ser repetido... Epiléticos eram diagnosticados, nos templos bíblicos, como possuídos, e assim foi até Iluminismo e o Positivismo acenderem as luzes, pela CIÊNCIAS... Mas infelizmente, e para muitos, principalmente espíritas e neopentecostais, as possessões demoníacas ainda estão de moda... Mas no caso da esquizofrenia era diferente, esquizofrênicos eram reverenciados como videntes, messias, e depois médiuns - e hoje, canais cósmicos, para comunicação com extra-terrestres... O porteiro esquizofrênico de hoje, poderia ser o messias de outrora...

E então insisti:

INVENTAMOS A CIÊNCIA PARA TESTAR A NOSSA LUCIDEZ... ASSIM COMO PARA PROVAR A REPETIBILIDADE DE FENÔMENOS, E CORROBORAR HIPÓTESES SOBRE A SUA MECÂNICA... ESPERANDO PARA SABER, E AO INVÉS DO DESESPERO DE CRER...

Mas ele teve a última palavra:

"Não interessa, vou continuar acreditando, e isso e aquilo..."...

Anuí:

'Tudo bem... Vá em frente....' Embora ela não possa perceber, em relação à lucidez, ele também está 'vendo coisas'... Mas ele 'não pode ver' isso...

E gostaria de dedicar este post ao seleto grupo de 'amigos casuais', que inundaram a nossa casa de alegria, simpatia, sensibilidade e brilhantismo... Já não me sinto tão só... Giovana, Cláudio, Valdir, e a todos os demais... E em especial, quero agradecer ao 'A.S.', o catalizador deste encontro... Um forte abraço, beijos... Obrigado... Não esquecerei... Jamais...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário