Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Pontes e o Pé de Feijão



Pontes e o Pé de Feijão
Um Imbecil Espacial à Solta: Marcos Pontes...

Um dos maiores absurdos na história recente de nosso país, envolvendo a 'ciência', além do estado de direito, foi a escolha de um imbecil, um pateta, totalmente despreparado, para ir ao espaço... Em nome do Brasil, e gastando em uma fortuna... Foi um ultraje, uma catástrofe... Um homem-nada, vestido de astronauta, mandando mensagens religiosas para os seus fãs no twitter... Uma piada, e uma oportunidade perdida para a ciência e a dignidade... Um turista espacial, travestido de astronauta... Marcos Pontes, uma vergonha nacional...

Este imbecil figura na 'Lista dos Brasileiros Mais Importantes de Todos os Tempos', logo à frente de Collor, e em boa companhia, ao lado de outros 'notórios' picaretas, Silas Malafaia, Valdemiro Santiago e Edir Macedo... Para fechar com chave de ouro, a enquete foi vencida por Chico Xavier, um demente inescrupuloso, que deixou o país ainda mais 'alucinado'... 

Algumas frases do 'astronauta' e 'cientista':

"(..) é incrível como a visão desse planeta do espaço é inspiradora. Difícil expressar...então, fica uma frase que representa tudo isso: Deus existe!"

"Eu sempre acreditei em Deus. Depois de ver este nosso planeta lá do espaço. Perceber o quão insignificante e pequeno somos perante este Universo todo. Fez-me refletir muito. Tive certeza de que “algo” bem maior que nós existe. Passei a acreditar ainda mais que Deus nos direciona em tudo que a gente faz."

"Deus não pode ser avaliado. Ele é a nossa vida. Tudo o que precisamos para viver. Só podemos é agradecer a Ele por podermos viver mais um dia, aproveitar as coisas simples, aproveitar e preservar o nosso lindo planeta...e nunca esquecer que a maior herança que podemos deixar para as futuras gerações é composta de: Idéias boas e positivas, e um planeta saudável, habitável e em paz."

E tem a ousadia para dar conselhos sobre CIÊNCIA...


Bom, seguindo o rumo... Prestes a completar cinco anos da viagem 'ao espaço', o primeiro 'turista espacial' brasileiro, especializou-se em outros voos: escritor e palestrante de autoajuda... Um filão muito explorado por picaretas, e apetecidos por imbecis de toda sorte... Pontes hoje, se julga um 'semi-deus', capaz de orientar de empresários a donas de casa, crianças e corintianos, explorando temas como "sua empresa é sua espaçonave", "sou membro da tripulação, a importância do trabalho em equipe", e cobrando - segundo a Folha - cerca de R$ 15 mil por 'imbecilização', ou a abdução de pessoas, por meio de uma palestra abaixo da crítica...

Quem para assistir Pontes? Crentes e afins...

Recentemente, Pontes lançou a pérola "É possível! Como transformar seus sonhos em realidade" (Ed. McHilliard), misturando suas 'aventuras espaciais' com dicas de como ser bem-sucedido - se deus quiser... 

Logo após retornar do 'espaço', Pontes pediu a sua sapida para a reserva, atitude considerada por muitos como anti-ética, dedicando-se ao lucrativo negócio de faturar com a sua imagem falaciosa de 'astronauta', e faturando alto com palestras e produtos associados a seu nome, sua marca: O Astronauta Marcos Pontes... E o interesse público??? Que se dane...

Pontes continua vivendo em Houston (EUA), onde, em 1998, começou seus treinamentos de astronauta... Ele afirma, porém, que suas atividades em Houston já não são mais tão intensas... Os trabalhos andam "meio parados", diz. 


O país, o seu, o meu, o nosso, pagou US$ 10 milhões pela "carona espacial" de Pontes... A brincadeirinha de Pontes saiu cara, e à troco de nada além de interesses obstinadamente pessoais...

A viagem que levou Marcos Pontes ao espaço, em 29 de março de 2006, foi bem diferente do que havia sido combinado em 1997, quando o Brasil assinou um contrato para participar da construção da ISS (Estação Espacial Internacional)... Como membro "júnior" do consórcio, o país deveria entregar aos EUA alguns equipamentos para a estação, orçados inicialmente em U$ 120 milhões... Em troca, o país teria direito a treinar e enviar um 'astronauta' ao espaço em um ônibus espacial... O contrato não foi cumprido: o Brasil não entregou equipamentos, após sucessivos atrasos... Do valor combinado, só foram investidos US$ 10 milhões... Um fiasco, desde sempre...

Mesmo assim, a AEB (Agência Espacial Brasileira) não quis abortar a missão... A solução encontrada foi conseguir uma "carona" com a nave espacial russa Soyuz... Por ela, o Brasil desembolsou US$ 10 milhões... Ou seja, a viagem batizada de Missão Centenário, em homenagem aos cem anos do voo do 14 Bis, custou US$ 1 milhão por dia... Belo passeio...

O elevado custo da missão foi motivo de muita polêmica, dividindo a opinião pública, e chocando a comunidade científica:

Um imbecil, sem nenhuma formação científica, pegaria uma carona espacial, sem razão de ser, pela bagatela de um milhão de dólares por dia... Pra quê???

Nos oito dias em que ficou na ISS, Pontes plantou um pezinho de feijão para 'analisar radiação em bactérias'... Depois do retorno de Pontes à Terra, e à realidade, a AEB pouco avançou nas negociações para uma segunda missão espacial brasileira, afinal o fiasco estava consolidado... Atualmente, a participação do Brasil na construção da Estação Espacial Internacional está congelada. E sem previsão de retorno...

Pontes, uma viagem espacial na maionese, com a propriedade de um 'astronauta cristão', e a serviço de si mesmo... Triste destino...

Carlos Sherman



Nenhum comentário:

Postar um comentário