Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

MANIFESTO CONTRA SILAS MALAFAIA E A PATIFARIA 'CRENTE'...



Manifesto (revisado e ampliado):

Silas Malafaia, VAGABUNDO, MARGINAL, o seu lugar é na CADEIA!!!

Onde está a declaração de Imposto de renda de Silas Malafaia???


O ‘pastor’ Malafaia
comanda uma quadrilha que opera à luz do dia em um, entre muitos ‘covis da crendice humana’...
SEM FINS LUCRATIVOS, certo?


O ‘pastor’ Malafaia está na Forbes, como um dos homens mais ricos do Brasil...

Onde está o ‘milagre’? Onde está a declaração de imposto de renda deste picareta?


A 'renda' que paga por seu patrimônio vem de onde? De doações?

Isso não é lucro?


- Receita Federal do Brasil, qual é o ‘milagre’ do ‘pastor’ Malafaia???

O que diz a ‘malha grossa’??? Como funciona o 'milagre da  ‘multiplicação do patrimônio’ deste estelionatário???


Salário é considerado renda, e sendo por isso sobre-tachado por impostos... Porque a roubalheira deste picareta - ao menos - não recolhe os devidos impostos NA FONTE?
Por que não existe classificação fiscal para latrocínio???


Então o Malafaia não tem renda? Qual é o truque? Qual é a explicação, qual é a verdade, qual é a moral desta estória?

- Justiça do Brasil, porque bandidos deste calibre, que ‘violentam’ a esperança de quem nada têm, estão livres e cerelepes? Posando em rede bacional, praticando o seu 'teleroubo' diário... 
Este tipo de crime, deveria ser tratado com o status de crime hediondo... Sem direito a sursis...

Isto não é liberdade de culto, isso é IMPUNIDADE à luz do dia...

Este é o exemplo que a Receita Federal e a Justiça Brasileira estão deixando para os seus contribuintes e cidadãos... Pagar impostos, declarar renda, isso é tudo burrice, é idiotice - nada comprado à imbecilidade de pagar o 'dízimo' a este e outros patifes...

Acordem, todos, este estado de coisas ofende a dignidade humana... Ofende a identidade de ser brasileiro...

Triste destino dos acéfalos em Cristo... A verdade não tem adjetivos, e não se curva à meias palavras... É verdade é pronto, e precisa ser dita...

A únicas revoluções possíveis aqui, correspondem à revolução da educação... e a revolução da aplicação  imediata da lei, do código penal... ESTELIONATO É CRIME... SONEGAÇÃO FISCAL É CRIME... Assim como contraria as leis vigentes ataques difamatórios e discriminatórios, contra cidadãos brasileiros, empunhando a bandeira da FALSA MORALIDADE CRISTÃ, invadindo a liberdade individual e a intimidade de seres humanos que têm o direito inalienável de manifestar o seu afeto por quem bem entendam...

Mas lugar de bandido é na cadeia... Precisamos dar uma resposta corajosa a estes facínoras: Malafaia, Edir Macedo, RR Soares, Valdemiro Satiago, Estevan, e outros EXCREMENTOS derivativos de toda esta farsa vil e perniciosa, baseado na cristologia bíblica igualmente sórdida, assassina e criminosa...

Onde está a Justiça Brasileira, onde está a Receita Federal, quando mafiosos precisam ser detidos? Onde está a Polícia Federal??? Onde está a VERDADE...

Carlos Sherman

------


Pastor Malafaia sobre fortuna: vou processar a 'Forbes' nos EUA
04 de fevereiro de 2013

Pastor afirma que seu patrimônio atualizado é de R$ 4,5 milhões e não R$ 300 milhões
(Fonte: TERRA)

O pastor Silas Malafaia, líder do braço brasileiro da Assembleia de Deus, reiterou na noite de domingo no programa De Frente Com Gabi, no SBT, que vai processar a revista americana Forbes, que afirmou que ele é o terceiro pastor mais rico do Brasil com patrimônio de R$ 300 milhões, mas afirmou que o processo irá correr nos EUA. Conforme Malafaia, a revista incita o público a acreditar que todo pastor é ladrão. Segundo ele, a revista afirma que "esse cara está com essa grana toda porque ele está metendo a mão", mas que seu patrimônio todo é de R$ 4,5 milhões.

"Safado, sem vergonha, bandido e caluniador tem em tudo que é lugar (...), quando a Forbes faz uma declaração dessa, não é uma declaração qualquer. Eu vivo de que pessoas acreditem em mim. (...)O que a Forbes está falando é mentira. O correspondente que escreveu essa matéria vai perder o emprego. Vou processar a Forbes nos EUA, não vou processar aqui, aqui não tem graça. Vou fazer doer lá."

Ele afirmou ainda que é conferencista há 30 anos e recebe "verbas" de pessoas que não são da sua igreja e não o conhecem de perto e que com a publicação vai perder a credibilidade. Malafaia levou ao programa o espelho da suposta declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e alegou que seu patrimônio é de R$ 4 milhões, sendo R$ 2 milhões equivalentes ao capital da editora Central Gospel, além de uma casa, seis apartamentos no Brasil (três para moradia dos filhos e três que estão em construção) e um apartamento em Boca Raton, nos EUA. O valor atualizado seria de R$ 4,5 milhões, sem contabilizar o valor da editoria, conforme o pastor.

Apesar de contestar a fortuna, ele alega que segundo a Bíblia "o pastor tem que ganhar muito bem, tem que ser muito bem tratado", mas que há 25 anos não tem salário de pastor.

"Eu não posso aceitar que uns caras venham dizer uma coisa com o objetivo de colocar um bloqueio na sociedade, de dizer que tudo que é pastor e o que ele tem foi roubado dos fiéis, que são um bando de otários. "

Na entrevista ele afirma que não há um dado na imprensa, na Polícia Federal ou no Ministério Público Federal (MPF) que possa ser utilizado como fonte para a reportagem e comprovar a suposta fortuna.

Em reportagem publicada no dia 22 de janeiro no jornal Folha de S.Paulo ele já contestava as declarações da revista e afirmava que ia "ferrar esses caras". Além disso, Malafaia afirmou que a Forbes o prejudicou porque, para os fiéis, a impressão que fica é que os integrantes estão sendo roubados ao pagar o dízimo, disse o pastor ao jornal brasileiro.

Polêmica

No início de janeiro, a publicação americana divulgou uma matéria apontando que algumas igrejas brasileiras se tornaram negócios altamente lucrativos e fizeram com que alguns de seus líderes se transformassem em multimilionários, a chamada "indústria da fé". De acordo com a Forbes, o maior expoente desta indústria seria o bispo Edir Macedo, proprietário da Rede Record e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

A revista aponta que o fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, que possui templos nos Estados Unidos, é, de longe, p mais rico pastor do Brasil, com um patrimônio líquido estimado em US$ 950 milhões (cerca de R$ 1,9 bilhão).

Segundo a revista, devido a acusações de charlatanismo, Macedo passou 11 dias na prisão em 1992, mas continua sendo processado por autoridades americanas e venezuelanas. Outros pastores também estão conseguindo ficar ricos. Valdemiro Santiago, um ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, que teria sido expulso da instituição depois de alguns desentendimentos com o seu patrão, fundou sua igreja, a Igreja Mundial do Poder de Deus, que tem cerca de 900 mil seguidores e 4 mil templos. O patrimônio dele é estimado em US$ 220 milhões (R$ 440 milhões).

Malafaia está constantemente envolvido em controvérsias relacionadas com a comunidade gay no Brasil, da qual ele se declara com orgulho de ser o maior inimigo, afirma a publicação. O defensor de uma lei que poderia classificar o homossexualismo como uma doença no Brasil, Malafaia também é uma figura proeminente no Twitter, onde é seguido por 440 mil usuários. Malafaia vale cerca de US$ 150 milhões (R$ 300 milhões).

Na lista de endinheirados listados pela Forbes ainda destacam-se Romildo Ribeiro Soares, conhecido simplesmente como RR Soares, o fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, que vale cerca de US$ 125 milhões (R$ 250 milhões) e os fundadores da Igreja Renascer em Cristo, "apóstolo" Estevam Hernandes Filho e sua esposa, "Bispa" Sonia, com 1 mil igrejas no Brasil e no exterior, e patrimônio líquido combinado estimado em US$ 65 milhões (R$ 130 milhões).

Conforme a Forbes, mesmo o Brasil sendo o maior país católico do mundo, com cerca de 123,2 milhões de fiéis dos 191 milhões de habitantes seguindo o Vaticano, os últimos dados do Censo mostram uma forte queda entre as fileiras dos católicos, que agora contam com apenas 64,6% da população - em 1970 a proporção chegava a 92% do total de habitantes. Enquanto isso, o número de evangélicos subiu de 15,4% uma década atrás, para 22,2%, ou 42,3 milhões de pessoas no último Censo (2010). É provável que a tendência de queda do catolicismo continue até 2030 e os católicos cheguem a representar menos de 50% dos fiéis brasileiros.

----



16/06/2012
 às 19:11 \ Política & Cia

Pastor Silas Malafaia: “A distância que me separa de um Edir Macedo vai do Brasil à China”

Pastor Silas Malafaia: "Nem pensem que Deus vai ficar cuidando das pessoas como se elas fossem bebês. Desço a mamona nesse tipo de conversa" (Foto: Ernani D'Almeida
Pastor Silas Malafaia: "Nem pensem que Deus vai ficar cuidando das pessoas como se elas fossem bebês. Desço a mamona nesse tipo de conversa" (Foto: Ernani D'Almeida)
(Entrevista a Pedro Dias Leite publicada na edição impressa de VEJA)

Silas Malafaia
O BRASIL NÃO É HOMOFÓBICO

O pastor diz que Deus não acerta as contas de quem gasta mais do que ganha e condena as leis contra a homofobia, que considera iniciativa de ativistas gays de olho nos cofres públicos
Com trinta anos de programas de televisão e vice-presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil (Cimeb), entidade que congrega cerca de 8 500 pastores de quase todas as denominações evangélicas, o pastor Silas Malafaia, 53 anos, é um dos mais respeitados televangelistas brasileiros.
Sua pregação condena o aborto, o uso de drogas e o que enxerga como aumento dos privilégios dos homossexuais. Malafaia ensina que Deus ajuda as pessoas a progredir, mas desde que elas façam sua parte: “Quem ganha 1000 reais não pode querer gastar 1 100. Não adianta depois esperar que Deus tire o nome do sujeito do cadastro de maus pagadores”.
De Rolex de ouro no pulso e cabelos implantados, o pastor recebeu VEJA na sede da sua igreja, a Assembleia de Deus – Vitória em Cristo, no bairro da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

A que o senhor atribui o crescimento do número de evangélicos no Brasil?
O Evangelho não é algo litúrgico, para ser dissecado em um culto de duas horas. A grandeza do Evangelho está no fato de ser algo que pode ser praticado. A Bíblia é o melhor manual de comportamento humano do mundo.
As igrejas evangélicas têm pregado uma mensagem de grande utilidade para a vida das pessoas também depois do culto. Esse é o grande segredo. De que adianta eu fazer o meu fiel ficar duas horas dentro de um templo se, quando aquilo acaba, nada muda nas relações dele com a família, com o trabalho e na vida social?
Nós pregamos uma mensagem que condiciona a prática da pessoa no seu dia a dia. Jesus disse: “Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância”. Ele fala da vida terrena nessa passagem.
Entre os católicos, quem mais se aproximou de nós, evangélicos, nessa maneira de encarar a pregação foi o movimento carismático. Os padres carismáticos católicos adotaram uma maneira de pregar que os pastores já utilizam há mais de quarenta anos.

Os pastores são muito eficientes não apenas em atrair mas também em manter seu rebanho, não?
Sim. Quando uma pessoa se diz católica e alguém pergunta qual foi a última vez que ela foi à igreja, uma resposta comum é que isso ocorreu há vinte anos, quando fez a primeira comunhão.
Entre os evangélicos, o fiel mais desligado vai responder que comparece aos cultos pelo menos duas vezes por semana, que dá o dízimo e faz a oferta.

Essa ênfase dos pastores em arrecadar dinheiro dos fiéis não é muito suspeita?
Existe um preconceito miserável em relação aos evangélicos, que costumam ser descritos como bandos de idiotas, tapados, semianalfabetos, manipulados por espertalhões dedicados a arrancar tudo o que querem deles. Engana-se quem os enxerga assim.
Manipulação e exploração existem em todo lugar. Tem muito bandido por aí. Mas esses malandros não conseguem segurar o povo.
A distância que me separa de um Edir Macedo, por exemplo, vai do Brasil à China, mas é um erro achar que todo mundo que dá dinheiro à igreja dele, a Universal, é imbecil ou idiota. Claro que não é.
A pessoa doa porque se sente abençoada, porque se libertou da bebida, vício que consumia todas as economias dela e que a deixava sem condições até de pagar a conta de luz. Ninguém é obrigado a ofertar. Mas, se quer ser membro, se quer pertencer ao grupo, tem de ajudar.
Estou construindo uma igreja linda, com ar-condicionado central, ao custo de 4 milhões de reais. Ela será paga com ofertas dos fiéis, pois, obviamente, não vai descer um anjo do céu e dizer “Malafaia, está aqui um cheque de Jeová, preencha e deposite”.
Quem critica os pastores deveria mesmo é agradecer às igrejas evangélicas. Desafio qualquer um a me apresentar uma entidade que recupere mais pessoas do que as igrejas evangélicas. Fazemos isso a um custo zero para o governo. Ainda assim, sempre aparece um desinformado querendo taxar a igreja, cobrar imposto. Logo de nós, que não cobramos um centavo sequer do governo para livrar as pessoas das drogas, da prostituição ou da bebida, e ainda temos impacto positivo na vida profissional dos fiéis.
Muitos empregadores fazem questão de só contratar evangélicos. A gente ensina ao fiel que, quando ele está trabalhando, deve servir ao patrão como se estivesse servindo ao próprio Deus. É o que a Bíblia ensina.

Não é exagero?
Não. Deus trabalha em harmonia com a ordem. Deus ama a autoridade. Aquilo que uma pessoa respeita é aquilo que ela vai atrair para a sua vida. Se alguém não respeita autoridade, não vai atrair essa noção para a vida dela.
O evangélico não fuma e, portanto, adoece menos. Ele não bebe. Então, dificilmente vai ser daquele tipo de gente que não consegue acordar cedo, que sai para almoçar, enche a cara e faz o trabalho todo errado na parte da tarde. Evangélico não cheira cocaína. Ele aprende na igreja a ter princípios rígidos.
Mas é bom que fique claro que a Bíblia também impõe deveres aos patrões. O livro sagrado adverte os patrões de que existe uma força superior a eles, um poder que não permite que façam qualquer coisa.

Tem muita gente pragmática que já chega à igreja acreditando que vai aprender como subir na vida?
Tem, mas, se o objetivo fosse apenas subir na vida, não teria rico na igreja. Na minha tem gente pobre, mas também tem desembargadores, membros do Ministério Público, doutores, empresários.
Mas dinheiro não é tudo. Se fosse, rico não daria tiro na cabeça, não tomaria remédio de tarja preta. Mesmo que muita gente pense que não deu certo na vida porque Deus não quis, a lógica de buscar amparo em uma igreja não é essa. A pessoa que transfere suas incompetências para Deus está equivocada.
Quando um fiel me procura e pede “pastor, ore por mim porque o diabo está roubando as minhas finanças”, eu mando parar com conversa fiada. Se uma pessoa sempre gasta mais do que ganha, a culpa é dela mesma. Não pensem que Deus vai ficar cuidando das pessoas como se elas fossem bebês. Desço a mamona nesse tipo de conversa.
Eu mesmo quebrei seis vezes por culpa da minha incompetência, da minha falta de experiência. O Evangelho me prepara para viver a vida de maneira triunfante, mas não utópica. Quem ganha 1 000 reais não pode querer gastar 1 100. Não adianta depois esperar que Deus tire o nome do sujeito do cadastro de maus pagadores.

silas
Silas Malafaia em culto na Assembleia de Deus da Penha: "Entre os evangélicos, o fiel mais desligado vai responder que comparece aos cultos pelo menos duas vezes por semana, que dá o dízimo e faz a oferta" (Foto: Reprodução)

O senhor vê uma relação entre a ascensão da nova classe média e o crescimento das igrejas evangélicas?
A classe emergente quer crescer, conquistar, quer ter o que nunca teve. Está emergindo para a conquista de coisas. A igreja é poderosa nesse negócio, tanto é que o secretário-geral da Presidência falou uma bobagem e depois veio pedir desculpa. [Em fevereiro, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, falando da dificuldade do governo de se comunicar com a nova classe média, disse que o Estado tem de fazer uma disputa ideológica por essa fatia da população, que estaria sob hegemonia de alas conservadoras, como os pastores evangélicos.]
Estamos aqui para pregar o Evangelho a todo mundo, para as pessoas crescerem e serem alguém na vida. Mas hoje o que se diz é que tudo o que é religioso tem de ser jogado de lado.
Quer dizer que o filósofo, o metalúrgico ou o sociólogo podem influenciar politicamente, mas os pastores não? Não aceito esse raciocínio.

A sua atuação contra o projeto que criminaliza a homofobia em debate no Congresso foi contundente. Mas influir em leis é papel de um religioso?
Se não fosse assim, a casa tinha caído. Essa lei é a lei do privilégio. O Brasil não é homofóbico. Eu separo muito bem os homossexuais dos ativistas gays.
Esses últimos querem que o Brasil seja homofóbico para mamar verba de governo, de estatais, é o joguinho deles. Homofobia é uma doença.
Ódio aos homossexuais, querer matá-los ou agredi-los é uma doença. Agora, opinião não é homofobia. O projeto diz que, se um homossexual se sentir constrangido pela internet, por um veículo de comunicação, cadeia no cara que constrangeu. Exatamente o que prevê a lei do racismo.
Agora, olhe a diferença. Você já nasce com sua raça. Não escolhe. O homossexualismo é comportamental. Não vejo lógica em uma lei para criminalizar quem agride homossexual se um soco dado em um hétero doi da mesma maneira. A lei que estão propondo é uma lei da mordaça. Se não aprendermos a respeitar a liberdade de expressão, será melhor mandar fechar a conta para balanço.

O senhor pratica exorcismo?
A igreja tem isso. Se um fiel cair com espírito maligno, nós vamos cuidar dele. Mas não fazemos disso um pilar. A nossa igreja é marcada pela pregação da Bíblia.

Essa é a principal diferença entre sua igreja e as outras evangélicas pentecostais?
Elas são muito centradas na prosperidade financeira. A Bíblia diz que prosperidade é obedecer às leis de Deus. Ser próspero não envolve só a parte material. Indica relacionamento com Deus, alegria de viver, paz, uma vida abundante.
Quem não acredita em prosperidade é um idiota. Se riqueza fosse um mal, o senhor do mal faria todo mundo ficar rico. Mas não é só o aspecto financeiro. A igreja tem de pregar, preparar o fiel, ensinar a conhecer a palavra, a vida com Deus. Se for para prometer milagre, posso fazer seis cultos por dia. A minha igreja e a maioria das evangélicas não aceitam esse tipo de coisa.

Qual a sua posição sobre o projeto que propõe a descriminalização do uso de drogas e que deve chegar ao Congresso ainda neste mês?
Espero que o Senado e a Câmara joguem no lixo essa porcaria. Perderam o juízo. Não existe lógica em liberar o consumo de drogas e penalizar o traficante. Então eu estou desconfiado de que vai vir um marciano vender drogas aqui, um intergaláctico. Olhe a hipocrisia!

O senhor assumiu o comando da igreja em 2010, mudou o nome para Assembleia de Deus – Vitória em Cristo e deu início a um bem-sucedido projeto de expansão. Até onde pretende chegar?
Essa aqui era uma igreja de bairro, meu sogro era presidente. Quando meu sogro morreu, fui eleito por unanimidade para o lugar dele. Agora, temos igrejas no Paraná, em Santa Catarina, no Espírito Santo, em Pernambuco e no Rio Grande do Norte, além do Rio. São 120 templos, e eu quero chegar a 5 000 em dez anos.

Qual foi a sua arrecadação no ano passado?
A igreja arrecadou 20 milhões de reais. De 50% a 60% do dízimo foi ofertado por meio de cartão de crédito. Não vejo nenhum problema nisso. Comprar bebida com cartão pode. Ir para o motel trair a mulher e pagar com cartão pode. Dar dinheiro à igreja usando cartão não pode?

Os pastores ganham bem?
Pago entre 4 000 e 22 000 reais a eles, dependendo da função, do tempo dedicado. Pastor que vem de outras cidades recebe casa, escola e plano de saúde. A igreja não quer ter um pastor maltrapilho. Uma pessoa não pode ser incumbida de cuidar de vidas se a cabeça dela estiver focada em arranjar dinheiro para pagar as contas.

jato-gulfstream
Jato Gulfstream, comprado pelo pastor em 2010 por 3 milhões de dólares: "Quem comprou mesmo foi a associação que administra nossas obras sociais e custeia nosso tempo na televisão" (Foto: Reprodução)
O senhor ficou rico?
Tenho uma boa casa no Recreio dos Bandeirantes, em um condomínio.
Hoje deve valer uns 2,5 milhões de reais, acho que paguei 600 000. Tenho alguns apartamentos e uma casa em Boca Raton, na Flórida, que comprei para pagar em trinta anos. Meu filho estudou nos Estados Unidos.
No ano passado, ganhei de presente de aniversário de um parceiro um carro Mercedes-Benz blindado. Em 2010 comprei um jato Gulfstream fabricado em 1986 e paguei por ele 3 milhões de dólares. O jato não é da igreja, e também não é meu. Quem comprou mesmo foi a associação que administra nossas obras sociais e custeia nosso tempo na televisão.

O senhor pensa em entrar para a política?
Nunca serei candidato a nada, nem a assistente de carimbador de vereador. Mas quero influenciar as pessoas. Votei duas vezes no Fernando Henrique Cardoso, duas vezes no Lula, depois votei no José Serra. Não satanizo partido político nem candidaturas.

O senhor fez implante de cabelo?
Custou 20 000 reais. Ficou muito bom. Fiz com o mesmo médico do Zé Dirceu [ex-ministro José Dirceu] e do Agripino [senador José Agripino Maia, do DEM do Grande do Norte].

Um comentário:

  1. https://www.youtube.com/watch?v=MAlsNbXFk5M
    Isso cala a a boca de vocês?

    ResponderExcluir