Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Troca de Técnico




A renúncia do 'papabento' é política - ou desportiva: troca de técnico (como aconteceu com o Dunga)... A idade é uma desculpa pra lá de esfarrapada... João Paulo II agonizou até o fim, protagonizando aparições públicas em situações decrépitas e desumanas, e também por razões meramente políticas... O 'papabento' não colou... Centenas de casos de pedofilia acobertados por bispos, arcebispos e cardeais, direitismo, nazismo, medievalismo, vazamento de documentos, escândalos políticos, financeiros, corrupção... E bem vindo ao lado escuro do mundo pagão...

E podem anotar, teremos um papa 'negro', ou seja, um homem com mais densidade em termos de melanina em sua pele, para a proteção contra raios UV, e isso porque muitos insistem em alimentar a terrível noção de que a nossa espécie está subdividida por raças... E por quê? Por razões políticas, meramente políticas; serão as cotas raciais no Vaticano...

Na hora do 'desespero final', pode ser que a ICAR opte até mesmo por uma mulher no comando, e por que não? Afinal está na moda... Ou quem sabe o Vaticano ainda distribua camisinhas, e reinterprete a condenação de homoafetivos à danação eterna? Poderemos assistir no 'desespero final' desta milenar organização, uma drag-queen no comando, e assumindo geral... Aliás, há muito se sabe, que em meio à toda esta hipocrisia velada, e no silêncio de suas celas, os 'homens' da Santa Sé - que de 'santa' não tem nada' - sussurram: 'it´s raining men, aleluia'... Os trajes já estão adequados, e talvez um pouco mais de lantejoulas, e a ICAR poderá ser finalmente revitalizada e renascida das cinzas, como a fênix...

Peço perdão pelo deslize acima, e sei que posso perder leitores, mas não pude evitar a piada; alias, tudo isso, religiões, igrejas, pecados, demagogos celibatários, constituem uma gigantesca piada, em um enorme e grotesco circo... Mas as atrocidades cometidas contra crianças, isso sim é puro terror... Criminosos hediondos, que chamam saias de batinas, querem conduzir um rebanho em nome de um deus vil e assassino... Uma incrível epifania alucinatória... Os mesmos crentes que conseguem encontrar 'amor' entre os versículos bíblicos, também encontram moralidade na ICAR e no clero... Tudo isso é sordidamente ilusório, neste 'ensaio sobre a cegueira'...

Mas esta desculpa da idade é pra lá de esfarrapada... O Vaticano encontra-se em crise, e o 'papabento' não é o garoto propaganda dos sonhos, mas ao menos não chegou nem perto do lamaçal protagonizado pelos Bórgia... É fácil constatar, apenas considerando os 10 últimos pontífices - e considerando que a expectativa média de vida foi duplicada no último século -, por exemplo a figura de Leão XIII que morreu com 85 anos em 1878, além de vários pontífices rondando a casa dos 80 anos, e o próprio João Paulo II que arrastou-se como pode até os 84 anos, assim como João XXIII, que viveu uma agonia longa e dolorosa, sofrendo de câncer - e cujo corpo está exposto ao público no interior da Basílica de São Pedro, tendo sido conservado secretamente, e com líquidos especiais que preencheram todos os capilares e mataram todas as bactérias no interior dos tecidos destruídos de seu corpo em função da doença; isso além de estar devidamente acondicionado em um caixão de bronze, com vidros à prova de balas e com filtros especiais para raios ultravioleta; mas os desinformados fieis ficam assombrados com o 'milagroso' grau de preservação do corpo, do astuto pontífice...

A renúncia do Papa Bento XVI, que alega não viver problemas de saúde, foi uma decisão inédita na história, afinal os papas morrem no posto, sendo um cargo sumamente 'vitalício'... Além disso, esta inusitada decisão coloca em cheque um dos principais dogmas da Igreja: a infalibilidade papal... Outro aspecto intrigante, é o fato de que a surpreendente renúncia do papa acarretará na existência de 'dois papas', já que o papa é "o único monarca absoluto eletivo em todo o mundo", e não pode ser destituído de sua condição... 

O estatuto que rege a autoridade papal na ICAR, tal como a sua primazia e infalibilidade, foi dogmaticamente definido pelo Concílio Vaticano I, em 18 de Julho de 1870, através da Constituição Dogmática Pastor Aeternus, que estabeleceu os seguintes cânones:

"Se, pois, alguém disser que o Apóstolo S. Pedro não foi constituído por Jesus Cristo príncipe de todos os Apóstolos e chefe visível de toda a Igreja militante; ou disser que ele não recebeu direta e imediatamente do mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo o primado de verdadeira e própria jurisdição, mas apenas o primado de honra – seja excomungado.
Se, portanto, alguém negar ser de direito divino e por instituição do próprio Cristo que S. Pedro tem perpétuos sucessores no primado da Igreja universal; ou que o Romano Pontífice não é o sucessor de S. Pedro no mesmo primado – seja excomungado.
Se, pois alguém disser que ao Romano Pontífice cabe apenas o ofício de inspeção ou direção, mas não o pleno e supremo poder de jurisdição sobre toda a Igreja, não só nas coisas referentes à fé e aos costumes, mas também nas que se referem à disciplina e ao governo da Igreja, espalhada por todo o mundo; ou disser que ele só goza da parte principal deste supremo poder, e não de toda a sua plenitude; ou disser que este seu poder não é ordinário e imediato, quer sobre todas e cada uma das igrejas quer sobre todos e cada um dos pastores e fiéis – seja excomungado.
Por isso Nós, apegando-nos à Tradição recebida desde o início da fé cristã, para a glória de Deus, nosso Salvador, para exaltação da religião católica, e para a salvação dos povos cristãos, com a aprovação do Sagrado Concílio, ensinamos e definimos como dogma divinamente revelado que o Romano Pontífice, quando fala ex cathedra, isto é, quando, no desempenho do ministério de pastor e doutor de todos os cristãos, define com sua suprema autoridade apostólica alguma doutrina referente à fé e à moral para toda a Igreja, em virtude da assistência divina prometida a ele na pessoa de São Pedro, goza daquela infalibilidade com a qual Cristo quis munir a sua Igreja quando define alguma doutrina sobre a fé e a moral; e que, portanto, tais declarações do Romano Pontífice são por si mesmas, e não apenas em virtude do consenso da Igreja, irreformáveis. Se, porém, alguém ousar contrariar esta nossa definição, o que Deus não permita, - seja excomungado."

São ritos de excomunhão, vociferando contra tudo e contra todos que ousassem desafiar a autoridade papal... E agora Joseph Ratzinger?

Assistimos à queda vertiginosa da popularidade católica - outrora tão impregnada em nosso subconsciente -, assim como sua irrevogável e respectiva quebra financeira; e cuja debandada em seu rebanho, alimenta a dois grupos: 'os renascidos em cristo', das diversas facções pentecostais, dos acéfalos em cristo; e os renascidos na lucidez, homens e mulheres com o ensino fundamental completo, e adeptos da realidade pura e simples... Tal polarização marcará o inicio deste século, em mais um embate entre razão e ilusão, na longa jornada da saga humana - troppo umana... 

Inventamos a Ciência para testar a nossa lucidez, mas muitos ainda não entendem isso, e não entendem quase nada; não entendem sobre a Biologia das Crenças, sobre aleatoriedade da vida, sobre a força da Genética, e sobre a dificuldade em focar a realidade, em meio às ilusões as quais o nosso aparato neurofisiológico está exposto... Desconhecem a História, a História Sumério-judaico-cristã-islâmica, a História Vaticana, a Antropologia, a Etologia, e por aí vai... 

(...) e quem nada sabe em tudo crê... Quem nada sabe está sujeito e à crer em qualquer sandice...

Mas é triste constatar, no pedido de demissão pública do líder da maior empresa multinacional do planeta, dizeres medievais, como estarei "patiendo et orando" - "sofrendo e rezando" -, e sempre aludindo à "pecados e culpas"... Sofrendo porque Ratzinger? Por que a sua vida foi um enorme desperdício? 

O 'papabento' não entendeu nada da vida, amargando as mesmas culpas de Aquino, e o pecado de Agostinho - o seu preferido... Afinal, quando rememoro as palavras de um certo 'cardeal', por ocasião da renúncia de Ratzinger, e fito mais uma vez os dizeres "todos somos pecadores", não posso deixar de entrever também uma certa "confissão" agostiniana, uma mea culpa... 

Quase posso escutar ao senhor Ratzinger, membro da obscura e triste Opus Dei, repetindo em sua clausura, enquanto 'sofre' o seu auto-flagelo: Penitentiate!!! Penitentitate!!! Pois 'papabento', membros da 'Santa' Sé, membros da Opus Dei, os pecados são vossos, assim como as penas e a consciência... 

Toda esta conversa de "pecado original", de "humanidade pecadora que será julgada, torturada e assassinada", de "crianças que morrem prematuramente como castigo de deus contra os seus próprios pais", e esta "submissão" pérfida à "misericórdia" de um deus assassino, vingativo e sanguinário; é irremediavelmente doentia; severos desvios neurofisiológicos de confirmação, espelhados coletivamente na triste cultura bíblica do pecado e do medo... O lucrativo negócio de incutir o medo para vender a salvação - e encher os cofres do escandaloso Banco Vaticano, ou de alguma outra agremiação estelionatária que opere sobre a égide cristã... 

Somente 'homens' que não amaram as mulheres, não conheceram o amor de um filho, e não entenderam nada sobre a vida - escondidos em suas celas-armário -, poderiam criar para si, e manter, semelhante reino de hipocrisia e terror... Terror 'sim'!!! No escuro das sacristias, ou no escuro de suas celas, quando não atentam contra suas próprias vidas, atentam contra a vida de crianças inocentes, que naturalmente não sabem como AMAR... Crianças que chegam para a lavagem cerebral do catecismo, e terminam marcadas para sempre...

Ratzinger, velhaco nazista, você já vai tarde, e espero que leve consigo, e um pouco mais para baixo, este reino de sordidez, volúpia de poder, alucinação e frieza hipócrita...

A vida brilha muito mais do que 'crê a vã crendice'... Muito mais...

Carlos Sherman 

Nenhum comentário:

Postar um comentário