Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Um verdadeiro debate, e a dignidade de Luiz Paulo Laureano...





Um verdadeiro debate, e a dignidade de Luiz Paulo Laureano...

Leiam até o fim...

Luiz Paulo Laureano:

Só foi publicar isso: "O paciente / receptou tem todo o direito de saber se o sangue que está recebendo é gay ou hétero - falo da origem do mesmo, da condição que este veio. Também tem o direito natural de recusar receber sangue gay ou hétero em seu corpo." Que já fui taxado de homofóbico tirano. Ô, fala sério. Tem gente que tem preguiça de parar e pensar no comentário. Né?

Sim, insisto: O cidadão homofóbico, besta, trouxa, comum e desinformado tem direito a negar a receber um sangue gay; ou se este for gay de se recusar a receber sangue bi ou hétero. É um direito deste. Afinal o corpo receptor é DELE. Simples não? Somente quem não entende o conceito da liberdade individual não percebeu isso.

Depois, defendi no mesmo comentário o direito a informação plena assegurado ao cidadão. Sim. Vai na prefeitura ou em qualquer porcaria de órgão público e exija informação. Não te dão. Isso é transparência? Isso é democracia? Não. Isso é despotismo, tirania.

E novamente: NÃO confundam o que disse aqui com "ser preconceituoso ou contra a causa gay". Gente, ninguém é obrigado a aceitar aquilo que não quer. Simples. Ninguém muda isso. Homofóbico tende a morrer homofóbico. E daí? Deixa o cara se lascar. MAS ficar me taxando de "isso" ou "aquilo"...é bobagem.

Objetei, desembainhando, rsrsrsrs:

Luiz, não é 'simples'... Vou explicar o que é 'simples'... 'Simples' é o fato de que o estado brasileiro não pode distinguir pessoas pela preferência sexual... Este status não existe... O estado não pode 'sequer' perguntar isso... Entenda, é SIMPLES, a intimidade de uma pessoa é assunto pessoal, salvaguardado pelas liberdades individuais... Se o estado não tem o direito, sequer, de formular a questão o que dirão os bancos de sangue, e a rede hospitalar? Isso é ridículo, absurdo, infantil, e cretino... 

O estado não pode curvar-se diante de preconceitos... O sangue de um 'bi', 'hétero', 'homoafetivo', saudável e devidamente analisado e aprovado, não sabe qual será o seu destino, nem conhece a intimidade de sua origem... 'Simples' é o fato de que o estado não deve basear-se em sandices, em imbecilidades medievais... Isso é 'simples'... 

Por acaso, e antes que você formule outro pensamento 'simples', abro a minha intimidade apenas para apresentar as minhas credenciais - ad hominem -, aos argumentos supra-citados: sou um homem que adora mulheres, e hoje estou casado com uma mulher espetacular, e tenho duas filhas, conjuro todos os meus esforços contra qualquer crendice absurda, e esta é mais uma delas - direito a escolher doadores de sangue pela intimidade do candidato -, sou um homem livre pensante, de olho nas liberdades individuais, nos direitos civis e humanos, um livre pensante que honra o conceito de pensante, estudando para então pensar - Genética, Neurofisiologia, Etologia, Epigenética, Antropologia, Psicologia Comportamental e Evolutiva, História, Filosofia... Não basta subir em um palanque e desfraldar eloquência, é preciso primeiro pensar naquilo que será dito, fustigar a sua pensabilidade, e submetê-la ao escrutínio da razão, suportando seus argumentos com evidências, provas e fatos... Afinal ÉTICO LOGO CÉTICO - Carlos Sherman...

Luiz Paulo Laureano:

Gostei do seu comentário Carlos Leger Sherman Palmer. Bom. Só tem uma coisa: E o princípio do interesse público e o princípio da transparência e informação quando confrontados com o da intimidade do doador - no caso o seus comportamento sexual? Como fica? É bobagem? Oras, se alguém sujeita-se a doar sangue, deve submeter-se aos critérios de prestar as informações solicitadas. E o comportamento sexual é uma delas. O que digo sobre comportamento sexual aqui é: O indivíduo A quer doar. Ele tem a sexualidade ômega, ok. Não interessa. Interessa é: Indivíduo A, com que frequência tem mantido relações sexuais? Ele responde: 17 vezes por semana. Com parceiros do mesmo sexo, ambos os sexos ou sexo diferente? Ah, de ambos. Suas relações foram seguras? Sim, foram. Ok, sem problemas, vá em frente, agora vamos fazer os exames rotineiros. Até aí, ok. O que disse foi: Chega o sr. Silas Malafaia numa clínica precisando de sangue. Lá vem a pessoa trazendo o mesmo e ele pergunta: Qual o tipo sanguíneo deste? .. Ah! Sr Silas, está aqui na etiqueta. Ele diz: Ok, mas e o fator Rh? Qual é? Onde tá aqui? .. Aqui sr. Silas. ...Tá bom, e esse sangue é de pessoa hétero ou lgbtt? ...Porque seu Silas? Faz diferença? ...Olha, pra mim faz, sou um estúpido homofóbico e não quero sangue lgbtt; prefiro morrer se não tiver sangue hétero. Então a enfermeira diz: Ok, não temos mais sangue de doadores héteros e saudáveis. Só de lgbtts saudáveis. O sr prefere morrer mesmo assim? ...E silas diz: Prefiro. Boa tarde moça. Ela diz: Boa tarde senhor e morra em paz. Fim da história. Insano? É...mas se o cara é um burro...que se lasque. Só isso. Ele é livre para escolher. Entendido meu raciocínio? Espero que tenha sido. Abraços.

Carlos Leger Sherman Palmer:

Brother, obrigado... Entendo, mas não pode haver transparência do que não existe... Ou seja, este dado não existe, este parâmetro é íntimo, não está previsto em lei, é inconstitucional, não consta de nossa carteira de identidade, sendo portanto é subjetivo e ilegal... 'O senhor dá o cú? (1) Sim; (2) Não; (3) Às vezes'... 'Com que frequência?'... Estou brincando, rsrsrs, porque a questão, na verdade, é ainda mais subjetiva: 'De quem o senhor gosta? Já gostou de alguém do mesmo 'gênero'? Chegaram às via de fato?'... Não dá, é ridículo, entende? É íntimo... A questão homofóbica é absurdo, primeiramente, por pretender interferir em algo ÍNTIMO...

Prestar informações é uma coisa, e é o menor dos problemas aqui, mas as informações devem ser pertinentes: tipo sanguíneo, fator Rh, MN... A intimidade de um doador não é problema de ninguém, mesmo que a ignorância pretenda este nível de ofensa aos direitos individuais...

Luiz Paulo Laureano:

Entendi Carlos Leger Sherman Palmer. Isso entendi. Ficou claro. E creio que você entendeu que o que defendi foi o direito do idiota estúpido morrer sendo se este assim prefere. Aliás, um babaca a menos. Não é mesmo? hehe

Carlos Leger Sherman Palmer:

Brother, a triagem do sangue obedece a critérios analíticos, patológicos... Afeto não é um parâmetro... 

Luiz Paulo Laureano Perfeito:

Carlos Leger Sherman Palmer. Bem explanado.

Carlos Leger Sherman Palmer:

O direito a morrer não pode afetar o direito individual de quem quer viver sem ser discriminado como 'pária'... Explico: se uma pessoa, entendendo que afeto e intimidade não constam dos critérios analíticos para a triagem sanguínea, decide morrer, este será um outro problema... E tal atitude não pode jamais nortear as discussões sobre cidadania, direitos individuais, civis, humanos... Estamos falando, seja lá porque motivo for, do direito à eutanásia... Este é outro assunto... Mas fazer 'greve de sangue' não será suficiente para mudar o modos pensante de uma nação, de um povo, e da humanidade...

Luiz Paulo Laureano:

Sim, ficou claro. Obrigado Carlos Leger Sherman Palmer.

Carlos Leger Sherman Palmer:

Luiz, peço desculpas por haver acentuado um pouco o tom no primeiro comentário, e admiro a sua postura no debate, um debate digno....

Luiz Paulo Laureano:

Sem problemas Carlos Leger Sherman Palmer, gosto de debates. Entro de cabeça. Defendo minhas idéias com veemência quando não estou convencido de estar equivocado. Se vejo ou me convenço de que me equivoquei, admito isso sem problemas. Agradeço o entendimento e também um forte abraço. Só espero que as meninas que discutiram (participaram da discussão do outro comentário) comigo (Stíphanie da Silva e a Joana Maria Silva) tenham entendido ou sei lá. Bom, elas são livres para pensarem e defenderem o que quiserem.

Carlos Leger Sherman Palmer:

Obrigado brother, você leva consigo a minha admiração... Sempre digo que em um debate honesto, perder é ganhar... Mas em uma disputa sombria e dogmática, perder é perder mesmo, rsrsrsrs... E vale tudo para ganhar até 'perder-se'.... Um triste destino de muitos... Afinal, o melhor caminho em um beco sem saída é voltar à trás... Isso separa homens de ratos... 

Um forte abraço, e muito obrigado, também aprendi - muito - com o seu exemplo de resiliência.... Obrigado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário