Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de março de 2013

Chapolin Bolivariano




CHAVES:

Não seria honesto nem sincero lamentar a morte de um ditador, assassino e ególatra - embora presuma o direito a sursis, em favor da insanidade -, mas não me permito celebrar a morte de ninguém, por uma questão 'pessoal' e de princípios... Mas morreu um monstro histórico... Mais aprecia um 'Chapolin Bolivariano', patético, mas capaz, e de fato mandante, de verdadeiras monstruosidades... 

Quando estive na Venezuela pela última em 2010, encontrei o país em frangalhos... E nesta ocasião, o pateta monstruoso estava empenhado em mudar os livros de história, para culpar os yanques, pela morte do seu amado Simón Bolívar, e para isso ordenou a exumação do corpo de Bolívar... 

Bolívar foi um aristocrata ambicioso e fominha, um tremendo oligarca, que aterrorizou com sua sede de poder a América Andina... Foi descrito como revolucionário e libertador por uns, quando na realidade Bolívar protagonizou o papel de 'conquistador inescrupuloso', e descrito ainda como integrador, quando o adjetivo correto seria 'tirano centralizador'... E morreu de tuberculose, em Santa Marta, hoje pertencente à Colômbia... 

Mas, como na ocasião de sua morte, um navio 'yanque' estava aportado em Santa Marta, Chavez tratou de inventar a hipótese do assassinato de Bolívar por envenenamento - e claro, pelos americanos... É mole ou quer mais? Quer mais? Então aí vai, Chavez estava agora, e também, culpando os americanos por sua morte, e alucinando o mesmo suposto fim conspiracionista de Bolívar... Imbecilidade parece não ter limites, e não tem mesmo... Conheci um senhor que trabalhou na cozinha da casa oficial, residência de Chavez, e que conta que o Chapolin Bolivariano com frequência vestia roupas idênticas às de Bolívar, e andava pela casa portando uma espada - mesmo quando investia contra a geladeira na madruga, para uma 'cachapa'... 

Chavez deveria questionar o tratamento recebido em Cuba... E 'ave Cuba'... Não fossem os delírios chavistas - e a incompetência cubana -, ele poderia ter andado uma centena de milhas e aportado em solo americano, e correndo o risco de ser curado... E o problema Chavez persistiria, para a agonia do povo venezuelano... Refleti sobre a pretensa 'imortalidade' de loucos como Chavez - Fidel, Hitler, Lenin, Guevara -, e entendi que tais personagens patéticos porém soberbos, devem sofrer horrores ao amargarem a realidade de sua insignificância diante da morte... 

Mas em seu último ato, este monstro patético afrontou mais uma vez a enxovalhada constituição venezuelana, e o cansado - porém vulnerável - povo venezuelano, impondo um sucessor... Um último ato de soberba e loucura... Finalmente, devo dizer que, pelas imagens captadas em Caracas e pelo circo formado, muito me preocupa o destino próximo da Venezuela; afinal como dizem os colombianos: 'no hay muerto malo'... Conhecemos os exemplos de Getúlio, Allende e Guevara... Mas assim caminha a humanidade... 

Não lamento a morte deste senhor, aliás foi em boa hora que ele escolheu a medicina - alternativa - cubana... Espero que Fidel receba os mesmos cuidados... O mundo cansou destes palhaços góticos...

Carlos Sherman 

Nenhum comentário:

Postar um comentário