Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de março de 2013

Jogando Tênis sem Rede...



[...] Edu o seu comentário é assombroso, pelo sobejante 'desvio de confirmação'... Ou seja, você tem a ousadia de citar a bíblia em matéria relativa às Ciências Naturais, e isso enseja duas possibilidades, e somente duas: (1) Ou você é completamente ignorante em termos Científicos, no que concerne à Física, Química e Biologia; (2) ou desconhece por completo a Bíblia... Mas o meu comentário é meramente retórico, já que o perfil do seu comentário é bem típico: desvio de confirmação... Fala em três 'reinos' naturais, e diz que "estava na bíblia", mas se esquece de que tais 'reinos' fazem parte de um complexo processo evolutivo que se choca frontalmente com o dogma da magia criativa... Fala em minerais, e cita alguns componentes atômicos, mas se esquece de que todo o demais está acachapantemente ERRADO... Isso se chama desvio de confirmação, do tipo 'olhem pra lá', ou como no truque do mágico, chamando à atenção para o chapéu, enquanto esconde a carta na manga... Só que neste caso, e neste nível de forçação de barra, você vai precisar de muita manga, porque precisará esconder todo o baralho... 

[...] A começar pela Terra 'bíblica' bem no centro do Universo, fixa, e com o Sol girando em torno dela, assim como os demais planetas, e só com isso lá se foi a Física... Finalmente chamar 'Sol e Lua' de lumiares, sendo o Sol um milhão de vezes maior que a Terra em massa, e a Lua um minúsculo satélite terrestre; e sendo o Sol consumido pela fusão nuclear em sua forma plasmática, enquanto projeta sua luz inexorável com a pequena Lua rochosa, que finalmente, e jocosamente não é um lumiar... 

[...] Contra a alegação estúpida e desonesta de que os 'dias' na criação não são dias 'terrestres', devo lembrá-lo de que o dia bíblico tem manhã, tarde e noite, e todos sabemos, até os mais ignorantes, que tais denominações estão atreladas de forma inescapável ao brilho do Sol, ou seja, enquanto 'rotacionamos' a luz do Sol é projetada sobre a superfície terrestre, de forma que, uma estorinha menos cínica precisará ser inventada - essa não cola... 

[...] Sendo assim, a Terra foi criada no centro do Universo, o que implica no abandono da física, sendo orbitada pelo Sol... Mas somente no happy hour do quarto dia, o deus criador - que você ousou invocar - resolve criar as demais 10^22 estrelas - para apenas decorar o céu... Não bastasse essa piada, temos outras, como a criação do 'reino' vegetal, antes do Sol, o que cria um problema para a existência da fotossíntese... Mas temos outros problemas, afinal fomos criados do barro, sendo pois parentes próximos, na evolução bíblica do TIJOLO... 

[...] Mas isso tudo seria risível, se a sua ignorância não ousasse dissertar, em estilo professoral, sobre o que nada sabe... Triste destino... Mas o problema se agrava, de forma previsível, você passa a invocar uma religião ou crença SELETIVA, fala de Deus, do deus bíblico, que inclusive preconiza a morte para os que ousarem seguir outros credos, mas escolhe por conta própria seguir ou credo, e ajusta tudo isso... Meso calabresa, meso catupiry... E acha que vamos engolir numa boa... Chamo a isso de jogar tênis sem rede... Se der certo 'foi deus', senão 'fodeu-se'... Ou seja, o seu solipsismo escolhe quando a bola bate ou não na rede... 

[...] Comete até aqui severo desvio de confirmação, e seletividade de credos, produzindo um sincretismo cristão-espírita à moda da casa... Mas o que fica impressionantemente nítido e claro, é o seu desejo de ver o mundo como gostaria que fosse, mas sem o menor comprometimento com a REALIDADE.... E antes que interrogue sobre o que seria realidade, respondo com a sensacional definição de Phillip K. Dick: 

"Realidade é aquilo que, mesmo quando você para de acreditar nela, ainda estará lá."... 

[...] E digo que: 'Inventamos a ciência para testar a nossa lucidez'; afinal Edu, pelo amplo conhecimento disponível sobre o comportamento e a neurofisiologia humana, que avançou quase 80% de sua totalidade apenas nas últimas três décadas - segundo Eric Kandel, Prêmio Nobel Medicina/Fisiologia -, sabemos o quanto estamos vulneráveis à sugestão, desvios de confirmação, falsos positivos, solipsismos ilusórios, delírios e alucinações... Isso apenas para começar, mas já é suficiente questionar 100% da sua fundamentação...

[...] Você alega ainda que: "A reencarnação é um processo natural na jornada evolutiva. Pense bem: pra que adquirir conhecimento e adotar um conceito de moral se tudo se perderá quando o corpo físico perder a validade?"... Primeiramente não pode 'afirmar' que a fantasia da reencarnação é 'natural' sem apresentar provas naturais, e nem ousar confundir o seu conceito de evolução 'moral' com a natureza evolutiva - como pretende... Terrível, preocupante... Mas o que pode ser afirmado sem provas, pode e deve ser refutado sem provas...

[...] E você segue tentando parecer plausível e misturando Ciência com crendices pessoais: "Portanto, no processo reencarnatório, esta energia que é condensada na nossa consciência não se dispersa e acompanha o espírito em toda a suas etapas evolutivas.", rsrsrsrsrss.... "energia condensada na nossa consciência", rsrsrs, que provas você pode mostrar? Cabe ao propositor o ônus da provas... Conjecturar sobre 'se não fosse assim, porque aprenderíamos tanto?', não basta... Mas posso respondê-lo... Aprendemos tanto para sobreviver aqui e agora... Para vivermos mais e melhor, e para que os nossos filhos morressem menos ao nascer... 

[...] Sabemos MUITO sobre a nossa consciência, consulte Damásio, Sacks, Kandel, Pinker, Ramachandran, Dennett, etc, etc, etc... Você está falando besteira... Energia é energia, pode ser medida, SEMPRE... Se está falando de outro tipo esotérico e "energia", está incorrendo em falácia nomotética... Todas as experiências ditas de 'quase morte' como o efeito túnel, luzes, sair do corpo e ver o corpo de cima, encontro com pessoas queridas, isso e aquilo, podem ser reproduzidas em laboratórios neurocientíficos, e ainda podem ser monitoradas por imageamento... E sabemos tratar-se tão e somente de HIPOXIA... 

[...] Edu, quem nada sabe em tudo crê... E mais, e para terminar, conhecemos o esquema da Biologia das Crenças, com ampla participação de nossa bioquímica no que se refere ao equilíbrio 'dopamínico', entre outros hormônios e neurotransmissores, problemas nos lobos temporais e parietais, córtex cingulado e pré-frontal... Inclusive, 80% dos casos de epilepsia não produzem convulsões, sendo pois diagnosticados quando pessoas relativamente instruídas começam a alegar que 'são enviados de deus', que 'tem uma missão', que 'são um canal de comunicação com seres mais evoluídos', etc... Famílias instruídas conduzem os seus entes queridos ao neurofisiologista ou ao psiquiatra, mas famílias pouco instruídas verão nascer um médium, como no caso de certa família de Uberaba... Chico Xavier foi diagnosticado com epilepsia, assim como a sua perturbada mãe, e pode também ter sofrido da Síndrome de Charles Bonnett... Mas seguramente protagonizou golpes, e de forma documentada... Aposto minhas fichas de que a finalidade de seu devaneio não era obter poder, nem dinheiro, mas podemos assegurar que ele participou de golpes ao lado de Waldo Viana e da irmã Josefa... E mais, as irmãs Fox inventaram todo este circo espírita moderno, e depois de 30 anos de golpes, Margareth decidiu confessar a fraude... Não temos notícia de nenhuma debandada de crentes no espiritismo... Kardec era um grande golpista, e sua esposa, além de dois sócios dele, foram finalmente indiciados após a sua morte, por fraude e falsidade ideológica... A debanda na Europa foi considerável, mas o movimento ganhou força no Brasil, um dos grandes redutos do absurdo espírita... 

[...] Crentes são pessoas vulneráveis e/ou precariamente instruídas, e hoje sabemos; mas os algozes do púlpito, os mercenários da fé, esses sim merecem cadeia... Em alguns casos a alucinação do 'médium', não nos permite estabelecer a fronteira entre - por exemplo - a esquizofrenia e a picaretagem... Triste destino...

MAS EU SEREI A REDE...

Ético logo Cético...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário