Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de março de 2013

Nãooooooooooooo.... Mil vezes não...




Fui bloqueado no Facebook, por 48 horas... E isso porque uma mensagem em que condenei a homofobia estava ilustrada com o dorso de uma mulher... Lindo dorso... Alguém, com poucas noções de honestidade e liberdade de expressão, decidiu me denunciar... E foi um favor que este reacionário me prestou... Afinal que beleza é voltar a viver... Descobrir que existe vida após o Facebook... Sem viver no Facebook vivemos na vida REAL, e que bom... Dois dias mais produtivos, relaxados, de encontro com minha adorável esposa, de encontro comigo mesmo...

Mas se por um lado eu estava impedido sequer de manifestar um 'curtir', por outro lado estava liberado para 'ver' o que escreviam os 'facebookianos', e também pude perceber, com as mãos amordaçadas, que ando diariamente na companhia de um exército de pessoas que não escolheria conviver na vida real... Sem dúvida, em função de minha exacerbada sensibilidade, e sentido da ação, sou bombardeado por tudo o que dizem e fazem, de forma que sou afetado por tudo isso, em meu estado emocional, na ocupação do processamento em minha mente, em minha vida e preocupações... A ignorância extrema assim como a pobreza extrema me preocupam... Decidi então limitar os meus 'amigos', já que o meu  objetivo no Facebook sempre foi o de lançar balões de ensaio sobre temas relativos ao meu primeiro livro, 'Ethos - Ético logo Cético - Crônicas científicas de uma vida dedicada à vida...'; promovendo o debate filosófico e divulgando a Ciência e o Conhecimento Humano 'pertinente' - elaborado à partir de perguntas 'impertinentes' -, mas sempre sob o estado da LUCIDEZ, mesmo quando a genialidade se confundiu com a arte - a arte de pensar...

Mas neste processo, evidentemente enfrentamos a ignorância latente e vigente, e este é o caso aqui, e quando nos expomos à um sem número de desconhecidos, e onde encaramos a amostragem da distribuição genética no globo, amplamente desfavorável ao bom exercício da 'pensabilidade', e sendo assim, contamos cerca de 80% de 'ignorantes' sob muitos aspectos, contra 20% de pensadores lúcidos.... Mas assim caminha a humanidade...

O contato com a ignorância, conjugando os propósitos de meu livro, também tem sido importante... Mas confesso que também é extenuante... E preciso admitir ainda que, em função da genética personificada em meu comportamento, não consigo manter a necessária distância daquilo que pretendo observar: o homem... Me aproximo, invoco a intimidade, e a emoção, sem perder de vista a integridade intelectual... Mas deixo-me levar em direção ao lamaçal intelectual, onde muitos rastejam, e saio com as mãos sujas de 'merda'... E que merda!!! Enquanto estes seres rastejantes observam lá de baixo o meu voo, e presumem minha pequenez; posso enquadrá-los lá de cima, em toda a sua rudimentar insignificância, movidos pelo medo e o torpor... Um triste destino...

Não obstante à importância em termos de experiência humana, em conviver com a ignorância rastejante, é inegavelmente cansativo, senão triste, perceber que alguns vivem soterrados em conceitos da Idade Média, quando não da Idade do Ferro; e vestidos e cercados de tecnologia por todos os poros... E foi deste manancial de ignorância - do verbo ignorar, não saber, desconhecer -, que resultou a ignorante opinião que tratarei de refutar mais abaixo... 

Comentando ainda que a ignorância tem níveis, conforme bem salientou Einstein: 'Somos todos ignorantes, mas não sobre as mesmas coisas.'.... E considero ainda que, o pior tipo de ignorância é aquela que ignora a própria ignorância... E nesta categoria, a coisa ainda pode ficar pior, e isso quando pessoas que ignoram a sua própria sorte, ou a sua própria ignorância, também dispõe da 'soberba' e da 'arrogância' e em seu perfil Psicológico... O buraco ainda é mais embaixo quando, além de ignorar, 'sobeja e soberbamente', a própria ignorância, tais indivíduos arrogam em palanques públicos e privados, fazendo a apologia de sua ignóbil achologia... E isso sim dóis...

Sempre lembrando que o proselitismo guarda necessariamente certo desvio de caráter... Quem faz propaganda de absurdos sobrenaturais em troque de dinheiro, sempre tem a intenção de dolo... Não me refiro ao que crê e paga o dízimo, ou enche a sacolinha... Refiro-me aos mercadores da fé... A afirmo sobre a desonestidade de seus propósitos, porque até podemos estar iludidos - pela ignorância -, afinal quem nada sabe em tudo crê; e podemos também amargar uma espécie de condição delirante ou alucinatória; mas em nenhum destes estados ou disposições para a fé, poderemos considerar 'impunemente' que 'deus precisa de uma grana'... Quem pastoreia o rebanho está pensando firmemente em aproveitar a lã, o leite e a carne... Não se iludam... Templos suntuosos não são necessários para quem apenas pretende 'religar-se ou ligar-se' à deus ou à uma divindade... Deus deveria falar - onipotente, onisciente, e onipresente -, a todo o seu rebanho sem interlocutores, e na condição de pastor... Não parece razoável que reflitamos desta forma??? 

Mas peço perdão pelo longo, porém necessário, preâmbulo, e vamos ao 'choque', e que justifica a minha exclamação negativa: 'Nãooooooooooooooooooooo... Mil vezes mil vezes NÃO!!!!'... Um amigo, deixa a bola quicando dentro da área, em um Brasil crente:

Como é possível diferenciar uma pessoa boa de uma ruim?

E vem a primeira reposta:

"Olhando as asas"...

Devo e vou ignorar isso, rsrsrsrs, afinal não possuímos asas, somos mamíferos desprovidos de asas... Muito embora 'asas', costumem fustigar a imaginação de pessoas pouco capazes de admirar o real... Afinal, e para muitos, não basta a maravilha que enseja a existência do 'cavalo' - o animal... Nem a suficiente beleza dos pássaros... Nem os tons e cores naturais... É necessário fantasiar um cavalo-alado, e rosa choque, com a crina azul... Isso é piada, embora não seja tão inofensivo quanto parece... Este tipo de publicação, é o portal - aparentemente singelo - para a 'crença na crença'... Bom, mas se posso apenas rir das 'asas' humanas, não posso na mesma medida deixar passar o que vem a seguir:

Brunna César:

A resposta que eu daria, não é coerente com suas convicções, porém vamos lá, para mim somente crendo em Deus teremos respostas diante a fatos incertos da vida, Ele irá dia a dia mostrar quem tem que permanecer e quem deve ir na sua vida, Ele irá tirar! Orai e vigiai, que terá sempre as respostas que tanto procura. Sei que é muita subjetividade para você, mas eu acredito.

Na verdade, apesar de certa sutileza, e da inegável educação, tal resposta enseja uma atitude 'terrível'; e posso, e pretendo, explicar o adjetivo... Mas apenas com uma passada de vista, denoto dois aspectos sobejantes, o convite a 'não pensar', e o apelo à 'submissão'... Por quê???

Primeiro se faz mister esclarecer que existem 'deuses', ou seja, as diversas culturas em seus diversos períodos históricos designaram diferentes deuses, e em alguns casos muitos deuses em um só credo, afinal o monoteísmo só tem 3.800 anos, enquanto a História da crença, do animismo às primeiras estruturas religiosas com os Sumérios, recorrer ao sobrenatural tem sido a chave para os nossos problemas por mais de 100.000 anos... E neste período, do homem de Cro-magnon, passando pelos tempos bíblicos, até o fim da Idade Média, amargamos a mesma expectativa de vida, entre 30 e 40 anos de idade... Em pouco mais de 300 anos de convívio com o 'Método Dedutível baseado em prova' - Karl Popper - pudemos duplicar a nossa expetativa de vida... E todas estas divindades, ao longo de este tempo, e à despeito da cara da pau de muitos em tentar agrupá-las em um único deus - notadamente o seu próprio deus -; são absolutamente dispares em todos os aspectos das crenças diversas crenças, suas regras morais e imorais, tradições, ritos, cultos, etc... Esse panorama nos leva à milhares de deuses, catalogados pela Mitologia e pela Antropologia, de forma que ao citar 'deus' e em maiúsculo, devemos pressupor 'um', e 'apenas um', deus... Mas qual??? Como o credo em deuses, lato sensu, está atado á cultura, presumo que o seu DEUS é o deus predominante no Brasil, na América Latina, Estados Unidos e África, o deus judaico-cristão-islâmico, o deus de Abraão...

Não Brunna, a religião do seu deus, e que personifica o seu deus, não tem autoridade moral para julgar quem é bom ou mal... Aliás, a inspiração bíblica para tal, depende exclusivamente da ignorância de quem lê... Você diz, por partes:

"A resposta que eu daria, não é coerente com suas convicções" - e começa muito mal, afinal para quem pode 'pensar', não existe a necessidade da 'submissão' à nenhuma convicção...

"porém vamos lá, para mim somente crendo em Deus teremos respostas diante a fatos incertos da vida" - e temos um primeiro problema aqui, afinal dispomos de múltiplos deuses e credos, como já foi evidenciado, e tal multiplicidade é ainda mais divergente nas respostas... A criação para o Grande Jujú da Montanha, para os Hindus, e para os Cristãos é grotesca e infantilmente diferente... Mas nas questões 'morais', as respostas serão mais do que diferentes, chegam à serem opostas... Para hindus será o bastante comer carne de vaca, para ofender profundamente o seu credo, o que os levaria facilmente às raias da violência... Enquanto isso, os cristãos acreditam que não existem problemas em comer um churrasquinho... E notem, se enfatizamos as escrituras, onde residem as bases para tais crendices, os judeus, cristão e muçulmanos, mais chegados em pecados gastronômicos, seriam obrigados a condenar muitos de seus seguidores modernos à morte... O simples fato de 'capinar' aos sábados deveria ser punido com a morte para os judeus e cristãos... A carne de porco deveria ser evitada não somente por judeus, mas também por cristãos... Judeus e cristão, se baseados na bíblia, deveriam matar à pedradas seus filhos rebeldes e mulheres que cometeram o adultério...  Dependendo do adultério, e aí concordariam judeus, cristãos e muçulmanos, narizes e orelhas deveriam ser arrancadas... Enquanto  cristãos consideram o homossexualismo um pecado punível com a morte, diversas tradições espirituais indianas convivem de forma um tanto esdrúxula com tal comportamento, e inclusive acentual o seu caráter divinal... Como pode ver, vamos muito mal pelo caminho que você Brunna escolheu, e de forma divergente, e nunca convergente... Mas você deve estar pensando que 'só o seu deus sabe as respostas'... Mas o problemas persiste, porque o seu deus só é descrito e materializado em um só livro, e aqui, pelo tom, presumo que você pertença à facção cristã, dentro do guarda-chuvas das seitas abraâmicas, e apostaria em um catolicismo radical, ou em sua adaptação protestante, ou na sua aberração pentecostal... De forma que as 'respostas' do seu deus, e uma vez que somente dois livros falam deste deus - volume 1 e 2 -, só podem vir dos ditos Antigo e Novo Testamento... Pois o seu tem deus tem interessantes respostas para julgar quem é "bom o mau"... Ele julga em Levítico [13:1-3], apenas como exemplo, que leprosos estão amaldiçoados, e isso por estão sendo punido por seus atos ou pelos atos de seus antepassados... Deus, o seu deus, julga que meninos que caçoam de um careca 'abençoado por ele', são maus, e por isso decide despedaça-los... 42 crianças são mortas por serem "ruins" aos olhos de deus, e isso está claro em II Reis:

"Então subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, e diziam-lhe: Sobe, calvo; sobe, calvo!
E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do SENHOR; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos."
2 Reis 2:23-24


Palavra do senhor!!! Do seu senhor...

Mas temos outro problema na segunda parte da sentença, valendo pois esclarecer que está incorreto dizer "respostas diante a fatos incertos da vida", afinal gramaticalmente, a expressão deveria ser reescrito para "respostas diante DE fatos incertos da vida", o que ainda assim não apagaria os rastros de mais um ponto a ser refutado... Einstein bem disse que 'todos somos ignorantes, mas não sobre as mesmas coisas', mas ele só estava sendo humilde e generoso, afinal as diferentes 'ignorâncias' podem ser tão desproporcionais, que poderíamos sem faltar com o bom senso dzier que existem atitudes fundamentadas em profundo conhecimento geral e específico, e atitudes que não estão fundamentadas em nenhuma classe de conhecimento, senão na cega submissão... Você duvida deste ponto? Então me diga, o que sabe sobre a exploração de Saturno pela sonda Cassini, o que sabe sobre o Hubble, o que sabe sobre o papel comportamental dos lobos temporais e parietais, o que sabe sobre o papel comportamento dos neurotransmissores oxitocina e vasopressina, o que sabe sobre Espinosa, Bertrand Russell, sobre os comutadores Genéticos, sobre a Etologia, sobre as marcas indeléveis da Evolução em nosso cérebro e em nosso DNA??? O que sabe sobre a Bíblia? Sobre o incesto de Ló, o escolhido como o melhor homem de Sodoma e Gomorra, o único salvo pelo seu DEUS, e que fatura as filhas na caverna, engravidando as duas??? Antes disso, este exemplo de homem havia oferecido sua filha para uma multidão estuprá-las... O que sabe sobre a misoginia bíblica, o ódio à mulher, o que significa entre outras coisas que dar a luz a um bebê do sexo feminino significava um terrível evento, passível de purificação??? Desconfio que você não sabe nada sobre nada, e não tem coragem de fazer perguntas, e apenas fantasia as respostas... Os "fatos incertos da vida", são os fatos incertos diante da sua ignorância... Não existem tantos fatos incertos diante do meu conhecimento, mas o que 'sim' é certo, é de que o seu livro da Idade do Ferro, em dois volumes, não tem respostas para o nosso mundo... Não vivemos de conceitos bíblicos, afinal não apedrejamos filhos, nem comparamos mulheres com mulas...

Ele irá dia a dia mostrar quem tem que permanecer e quem deve ir na sua vida, Ele irá tirar!

Terrível e grotesco, e sempre ameaçador... O desvio de confirmação é tão espesso, que você não é capaz de ver a sordidez em suas palavras... ELE matou 100% da humanidade, menos uma família pra lá de problemática - Noé - no episódio infanto-juvenil da arquinho, onde não é encenado na figuração bíblica, os corpos boiando ao largo... Só falamos ridiculamente de pares de bichinhos, pois a sua arca deveria ser bem maior e bem mais inviável... Sem contar que ao desembarcar, o que o par de leões faria com o par de zebras??? Ou comeriam carne de soja??? E sim Brunna, "Ele irá tirar!"... Ele irá tirar, com sofrimento indizível a vida de bilhões de pessoas em no segundo 'humanicídio' bíblico, matando com indizível crueldade e sofrimento, à todos aqueles que ousaram PENSAR, e se recusaram a se SUBMETER... Terrível e triste destino... E é esse o 'deus' capaz de promover justiça??? Esse tem deus tem altura moral para julgar alguém???

Orai e vigiai, que terá sempre as respostas que tanto procura. Sei que é muita subjetividade para você, mas eu acredito.

Pensar está fora de questão... Claro.. Deste o início, afinal a sexualização do pecado original é um triste capítulo da doentia teologia agostiniana... O pecado original foi, stricto sensu, SER HONESTO, E PRETENDER CONHECER O DISCERNIMENTO ENTRE O QUE É CERTO E ERRADO... E viva o personagem da fábula bíblica chamado ADÃO... E muitas mais vivas à coragem de sua companheira EVA... Se tivessem existido, mereceriam o meu respeito... 

"E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente,
Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás."
Gênesis 2:16-17


Adão foi ameaçado de morte, mas viveu até os 930 anos, sem maiores problemas... Mas qual é o problema de deus em dar-nos ciência sobre que é bom ou mau??? Teria sido essa, uma ordem judaica, estrategicamente planejada por carcomidos lideres judaicos, para não serem confrontados em suas decisões??? Como você espera promover justiça? Orando e vigiando??? E quem trabalha para aumentar a sua expectativa de vida para o dobro da expectativa de vida nos tempos bíblicos??? Quem estuda e cura as doenças que  seu deus disse serem "possessão demoníaca"??? E quem trabalhará, já que o seu deus nada fez em 50.000 anos para diminuir a mortalidade infantil em 40 vezes??? Quem trabalha para corrigir os erros de deus, afinal hoje sabemos, pela CIÊNCIA, tudo à respeito do bacilo e 'verdadeiro' causador da lepra... Assim sendo, o seu deu mais uma vez estava errado...  

Então eu devo lhe dizer como poderemos discernir entre o bem e o mal... A atitude científica, ou seja, o ato de tornar-se CIENTE, parafraseando Krauss e Feynman - Sherman style -, considera uma certa honestidade sem limites, uma integridade intelectual - para envolver Russell - que endereça a verdade ao conjurar de uma só tacada: a honestidade, a liberdade de pensamento e expressão, a sensibilidade, a criatividade, a inventividade, o ceticismo, a transparência, o diálogo, a disposição para o trabalho, a vontade de servir... a paixão... i.e., a base do que suporíamos chamar de uma sociedade justa e ética... Quem está alinhado com este princípios gozará de importante atributos para fazer o bem, mas ser 'bom o mal', depende de definirmos primeiro o que significa ser bom, e o que significa ser mal... E essa é uma estória bem mais longa, cuja respostas se encontra na Genética, Etologia, Neurociência Cognitiva, associada à Antropologia...

Ético logo Cético... E somos quem somos sem intencionar sê-lo; mas somos e responderemos por isso... Mas o livre-arbítrio é uma falácia que só pretendeu estabelecer parâmetros para a culpabilidade e o pecado, e justificar todos os erros de deus... A vida merece muito mais do que medo, súplica e vingança...


Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário