Pesquisar este blog

sábado, 16 de março de 2013

Nem tão curtas, e nem tão grossas... Sobre Jean Wyllys e preconceito...




Estava rolando um bate-boca sobre Jean Wyllys, e entrei na dança:

Moacir Moreira, Jean Wyllys não somente defende o casamento gay... Ele defende o estado de direito, o direito individual, os direitos cidadãos e humanos... Jean Wyllys trabalha todos os dias, batalha todos os dias, o que deve normal para você e eu, mas não é normal na Câmara... Mas o ponto não é defender a proposta A ou B, mas a atitude... A atitude de 'tornar-se ciente' antes, e antes de emitir juízo... Tome ciência do que Jean Wyllys tem feito, e só então emita uma opinião embasada por fatos...

Defender o casamento entre pessoas do mesmo sexo, stricto sensu, não é nada... Defender o direito à diversidade, à intimidade, afeto, lato sensu, quando humanos como nós sentem-se felizes em viver de outra forma - e sem atentar contra o direito alheio -, isso sim é honrado... 

E Jean Wyllys também luta contra os estelionatários da fé, os fasos moralistas, vis inimigos públicos, que infestam a vida e a política deste país... Sendo Jean, pois, um homem íntegro, trabalhador, e coerente com os seus compromissos... 

Já conversei com Jean Wyllys e não me consta que seja 'esquerdista', como foi afirmado pelo Mário César Araújo... Considero Jean Wyllys um homem livre, pensante e ético - logo cético... Estarei ligado na denúncia, afinal considero o 'esquerdismo' mais uma crença, o que seria uma contradição na posição que Jean defende... Mas sendo um cara aberto, sei que estará sensível a bons argumentos... 

Mas tenho motivos de sobra para apoiar a luta de Jean Wyllys, e mesmo sendo felizmente casado com uma maravilhosa mulher, sendo pois rotulado como hétero, defenderei o direito de outros humanos como eu ao AFETO; e de forma ainda mais ampla do que defende Wyllys... Considero inclusive que pessoas podem viver bem com um ou mais parceiros... Um trio, rsrsrsrs, por exemplo... Por que não? Qual os princípios que regem esta condição? Se historicamente transformamos o sexo em prazer - pela pílula -, e considerando ainda que muitos não desejam ter filhos, qual seria o problema de três pessoas em viverem uma relação estável? Qual o problema em legislar sobre o patrimônio adquirido pela convivência entre três ou mais pessoas??? Afinal, não se esqueçam, o casamento civil reza apenas e exclusivamente sobre o patrimônio do casal... 

E tenho dito... Boa tarde a todos...

Um tal "Davi Viveiros Sant'Anna", abriu a boca para defecar:

"Sim, censurando comediantes, restringindo liberdades de expressão, batalhando por privilégios ao invés de igualdades, transmutando a hegemonia de minorias para imposições de juízos de valor sobre todos. Gramsci e Maquiavel mandaram um abraço, beijos."

Paulo Arraes, retrucou de forma pacífica:

Qual seria o privilegio dos gays que ele batalha?

Voltei à cena do crime, rsrsrs, nem tão pacífico:

Davi, tremendo desvio de confirmação... Censurando a liberdade de expressão??? Onde??? Como??? "Transmutando a hegemonia de minorias"??? "Imposição de juízo"??? Malafaia e Feliciano mandaram um beijo pra você...

E o Paulo seguir:

"Privilégios ao invés de igualdade"... Ainda estou aguardando para saber qual seriam esses privilégios??? 
"Uii estão tirando meu direito de odiar e bater em gays..."

Voltei à carga:

Paulo, só não tenho a mesma expectativa que a sua em relação à resposta, porque bem sei, e pelo tom, que virá alguma merda descabida...

E o Paulo:

"Cara eu respeito tudo... só não respeito intolerância... a única coisa que tenho preconceito é com preconceituosos..."

Respondi a outro interlocutor:

Alexandre, concordo, mas devemos ter muito cuidado com os maniqueísmo e com a vitimologia... Conforme asseguramos o direito à livre união, será necessário jogar fora as bandeiras... As pessoas podem, de acordo com a sua imbecilidade, manter posições pessoais contra ou à favor... Mas o estado não pode discriminar...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário