Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de abril de 2013

Ruínas...




Um amigo postou:

Já pensou se você, em algum momento da existência, em algum ponto qualquer entre a imensidão e a eternidade, passasse por ruínas antigas e encontrasse... os restos mortais de si mesmo(a)? Você se indagaria: como fui parar ali? Como posso estar ali, morto e também aqui, vivo? Bom, eu não sei... Pergunte ao gato de Schrödinger! rsrs

Respondi:

Na verdade, diante da situação sugerida, i.e., se "(...) passasse por ruínas antigas e encontrasse... os restos mortais de si mesmo(a)", jamais pensaria como sugerido - "Você se indagaria: como fui parar ali? Como posso estar ali, morto e também aqui, vivo?"... Jamais... Trataria de buscar um bom neurologista, que o meu plano médico cobrisse... Não, o caso é sério, trataria de buscar o melhor neurologista vivo... Somente bêbado, ou drogado, pensaria em "como fui parar ali? Como posso estar ali, morto e também aqui, vivo?", rsrsrsrsrs... Nem assim, rsrsrsr... Pensaria 'estou tendo um derrame ou coisa pior??? Síndrome de Charles Bonnet???'... Trataria de aferrar-me à LUCIDEZ, tanto quanto fosse possível, mantendo a integridade intelectual... ATÉ O FIM...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário