Pesquisar este blog

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Crença e Desonestidade - O 'deus' de Espinoza




Publicaram - mais uma vez:

Sem dúvida, a coisa mais linda já dita sobre deus!

DEUS SEGUNDO SPINOZA (Deus falando com você)
"Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste
comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti."

Desembainhei com vontade:

Pode ser a "coisa mais linda já dita sobre [o personagem ficcional] deus"; mas ainda assim, está bem longe de ser a mais correta – e verdadeira... E este texto carece de autoria, posto não ter sido escrito por Espinoza... JAMAIS... Este texto anda na boca de charlatões e loucos, como 'Inri Cristo', 'Ascensão Planetária', 'Ser Luminoso', entre outros picaretas... Não divulguem mentiras e falácias, até porque 'Falsidade Ideológica' é crime...

O melhor que podemos fazer sobre 'deuses', todos eles, é devolvê-los à Mitologia, e de onde vieram... Isso dito no século XXI... E sem mais... E enfrentar a vida, real, maravilhosa, complexa... e naturalmente sem deuses e/ou demônios ... 

Espinoza foi um dos mais importantes pensadores e filósofos de todos os tempos, e já no século XVII, após ser excomungado, confrontou toda ladainha crente de seu tempo com ainda mais vigor... Mas deixou reservas de domínio, e significativas, o que não diminui no seu valor... E no final, apesar de sua genialidade, resumiu deus à uma pálida sofisticação 'pessoal' - Deus Sive Natura... 

Coube a Meslier, inspirado por Lucrécio, enterrar toda esta fantasiosa e terrível fábula teísta, de cunho judaico-cristão-islâmico, mas Nietzsche receberia a fama - e sem demérito... Todos os homens notáveis aqui citados - Lucrécio, Espinoza, Meslier e Nietzsche -, dedicaram precioso tempo à desconstrução de uma ilusão; mas não seria possível saltar estes passos, e os seus esforços não foram em vão... 

Espinoza fez muito mais como livre-pensante no século XVII, do que muitos, e a maioria, consegue fazer depois de 400 anos decorridos de sua morte... E ainda assim, recorrem à Espinoza buscando justificativas 'deístas' e agnósticas, mal entendendo o 'fenômeno' Espinoza, e o seu verdadeiro legado... Um homem que, apesar das amarras das quais não foi capaz de soltar-se em plenitude - sob pena de ser morto -, questionou a 'institucionalização' de deus, e o fez com inegável maestria lógica... E muito foi feito sobre sua base filosófica... 

Russel define em sua magistral ‘História da Filosofia Ocidental’, a Espinoza como:

“Espinoza é o mais nobre e o mais humilde dos grande filósofos [...] Intelectualmente outros o superam, mais eticamente ele é supremo.”

Não posso discordar de tais palavras de Russell... Acrescento apenas que Espinoza, além de pensador, passou a sua vida fabricando e polindo lentes científicas, sendo que, considero a sofisticada lógica de Espinoza como uma forma de ‘polir’ o conceito de ética, assim o aprofundamento em diversos temas... Espinoza esteve muito à frente de seu tempo...

Mas ‘as lentes’ de Espinoza também promoveram severos equívocos e distorções, e podemos notar a clara influência das ideias de Maimônides – ‘Guia dos Perplexos’ - em sua obra, além do triste legado agostiniano sobre suas palavras: 

"Concluí tudo o que queria explicar a respeito do poder da mente sobre as emoções e sobre sua liberdade. Pelo que foi dito, vemos em que consiste a força do homem sábio e quanto ele ultrapassa o ignorante que é conduzido apenas pela concupiscência. Pois o homem ignorante não apenas é agitado de muitas maneiras por causas externas e nunca desfruta da verdadeira paz de espírito, mas também vive inconsciente, por assim dizer, de Deus e das coisas, e tão logo cessa de sofrer, cessa também de ser. Por outro lado, o homem sábio, enquanto for considerado como tal, raramente comove seu espírito, mas sendo consciente, por uma certa necessidade externa, de si mesmo, de Deus e das coisas, nunca cessa de ser e sempre desfruta da verdadeira paz de sua alma." 

Este é o famoso capítulo de encerramento da Ética, muito citado nos círculos 'ditos' filosóficos... Espinoza afunda aqui em juízo moral, execrando o ignorante, e endeusando o sábio, e desprezando o 'SEXO'... Mas em outra passagem evolui espetacularmente, tangenciando o que viria a ser a refutação do falacioso conceito de 'livre-arbítrio', embora ainda preso ao desígnio moral divino: 

"Se as coisas devessem ser diferentes do que são, isso envolveria uma mudança na vontade de Deus, e essa não pode ser mudada (como nos foi muito claramente demonstrado pela perfeição de Deus): portanto, as coisas não poderiam ser de outro modo senão como elas são. (Ética, Parte I, nota 2 à proposição XXXIII.)“Genial... Como consequência, conclui Espinoza:“[um] homem livre [não pensa] em nada menos do que na morte; e sua sabedoria é uma meditação não sobre a morte, mas sobre a vida"

Tudo já está determinado e as pessoas são "livres" - evoluindo o conceito agostianiano de que “são livres apenas para pecar” -  apenas no sentido limitado de que são “livres para aceitar os eventos em vez de apenas sofrê-los."... Espinoza avança e hesita, tropeça, e até cai... mas muda para sempre a História do Pensamento Humano... Espinoza esteve quase lá... Para quem não conheceu a Darwin, Mendel e Cajal, podemos dizer tratar-se de um gênio... Um gênio perturbado, rsrsrsrs, muito perturbado, mas inegavelmente um gênio...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário