Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de junho de 2013

A 'Amor Cristão' de Madre Teresa



"A AIDS é o JUSTO CASTIGO por um comportamento sexual inadequado" - Madre Teresa de Calcutá

Madre Teresa não foi exatamente altruísta... Um comportamento doentio, amplamente denunciado, fundado no medo e no pecado... Madre Teresa queria livrar a pele com o que considerava ser a 'caridade'...

Dizer que que "A AIDS é o justo castigo por um comportamento sexual inadequado" é mais do que um simples equívoco... É uma forma de pensamento... É criminoso desejar a morte de pessoas inocentes, amargando sofrimento e dor, 'por um comportamento sexual inadequado'... Primeiramente, qual é o comportamento 'adequado'?... O comportamento de MTC? O seu celibato, ou melhor seria dizer o seu 'matrimônio' com Deus - um ser imaginário??? MTC usa uma 'aliança' para o seu compromisso matrimonial com deus... Isso é normal, adequado? Cobre sua nudez com vergonha doentia, e jamais sentiu o inigualável prazer de um orgasmo - para o qual os nossos corpos estão natural e plenamente preparados... MTC sim contrariou os desígnios humanos e a natureza da procriação - sem considerar o 'crescei e multiplicai' -, de forma terrível escura e doentia, apesar do hábito branco... E onde está o "amor" - entre aspas - de MTC? 

O comentário de Teresa de Calcutá sobre a AIDS é mais do que um erro, e insisto nisso... Esta grave celebração da condenação humana ao sofrimento revela a 'complexidade' e a contradição do dito 'amor cristão'... Evidentemente ela teve uma vida dedicada à causas assistenciais e humanitárias, mas somente quando não contrariava o seu severo e confuso moralismo... MTC também negava o uso de anestésicos em suas clínicas por acreditar na "dor e expiação"... Assista "A Outra Face de Madre Teresa"... Acho o vídeo duro demais, rsrsrsrs, e acho que carrega na tinta, mas não deixa de ser documental... 

Acho que a verdadeira MTC foi uma pessoa que dedicou sua vida a ajudar 'sim', mas o fez por razões religiosas... Desta forma, e no final das contas, ela fez um trabalho assistencial pelo mega-prêmio da salvação eterna... O valor deste gesto é bem discutível, mas o valor de suas boas ações pode ter sido real e tangível... Se tratou das feridas de quem sofria, se alcançou um copo de água para quem tinha sede, se levou alimento para quem sentia fome, não podemos sob nenhum pretexto desprezar tais ações... A motivação é discutível, o propósito falho, mas viver é atuar... Falar também é ação, e quando fala sobre a AIDS, MTC definitivamente comete um crime, desejando a morte de inocentes... Inafiançável... 

MTC, assim como no caso de Ghandi - que por sua vez defendeu o Apartheid -, destaparam a grave e complexa questão que decorre da impossível convivência entre o sentido pleno de humanidade e genuíno altruímo, contra a mera adesão a dogmas... Madre Teresa, ou Agnes, estava no segundo caso...

E tem mais... 

Sobre a suposta descrença em deus, manifestada por Madre Teresa de Calcutá (MTC) no final de sua vida, nada posso afirmar, mas existe extensa documentação mostrando que 'sim, MTC deixou de acreditar em deus'... E o desgosto de MTC faz sentido... O sofrimento em sua conformação caótica, mostra a inexistência de um deus controlando o espetáculo... Pelo menos de um deus justo... Também coloca em cheque que a vida tenha desígnios morais... 

Um amigo foi mais além, colocando em cheque a nossa pretensa 'humanidade'... Mas acho que sobre a 'humanidade da humanidade', muito mais precisaria ser dito, com abordagens antropológicas, neurológicas, genéticas e psico-sociais... Diagnosticar é para poucos, prognosticar é para raros, julgar será ainda mais difícil... E até certo ponto, relativo...

MTC foi beatificada - não canonizada - em 19 de outubro de 2003, em função de um suposto MILAGRE ocorrido com Monica Besra, uma indiana, que foi curada de um 'tumor no estômago' - 'de forma inexplicável' -, e cuja cura foi atribuída a MTC... Mas o Dr. Ranjan Mustafi, médico de Monica Besra, disse ao The New York Times: "Nunca houve câncer ou tumor, foi apenas um cisto. Não foi um milagre, ela tomou medicamentos por um ano, e foi curada."... Também de acordo com o próprio marido de Besra: "Minha esposa foi curada pelos médicos e não por um milagre."... Mas, assim caminha a humanidade...

O que é certo é que MTC decidiu parar de rezar no final de sua vida, e estava continuamente em conflito com a Igreja Católica... Tanto é que a 'beatificação' com aspirações à 'canonização' - ainda em aberto -, tinham efeito político... Sossegar a velhinha... Que começou a falar publicamente de sua descrença na Igreja e em 'deus', já na década de 50... Pasmem vocês...

Uma coleção de cartas de MTC, dirigidas a uns poucos amigos e 'conselheiros espirituais', foram publicadas no livro "Madre Teresa venha, seja minha luz" (Mother Teresa: Come Be My Light), lançado em 4 de setembro de 2007, e já traduzido para o português, e editado no Brasil pela Editora Thomas Nelson... Estas cartas revelam dúvidas profundas de MTC sobre sua fé em Deus, provocando discussões sobre uma possível posição agnóstica ou ateísta...

MTC descreve em suas cartas, como sentia falta de respostas por parte de Deus.... Em 1956 escreveu: "Tão profunda ânsia por Deus - e ... repulsa - vazio - sem fé - sem amor - sem fervor. Almas não atrai - O céu não significa nada - reze por mim para que eu continue sorrindo para Ele apesar de tudo."... Em 1959: "Se não houver Deus - não pode haver alma - se não houver alma então, Jesus - Você também não é real."... Em uma de suas cartas ao Padre Neuner dizia: "Pela primeira vez ao longo de 11 anos - cheguei a amar a escuridão."... 

A crise espiritual ou existencial de MTC começou nos anos 50, logo após a fundação da ordem das Missionárias da Caridade; a partir daí "viveu uma grande fase de escuridão interior que se prolongou até a sua morte"... "Sabia que estava unida a Deus, mas não conseguia sentir nada."... Isso, segundo o padre e postulador da causa da canonização de MTC, Brian Kolodiejchuk... 

Sobre o 'silêncio de deus', ou 'silêncio divino', o hipócrita chefe em exercício, Bento XVI, disse - comentando as cartas: "este silêncio [de deus] serve para que os crentes percebam a situação daqueles que não acreditam em Deus [ateus]."... Piada, rsrsrsr... Deus finge não existir, e tão bem que até uma beata profissional desconfia de sua existência... Bento XVI, falando ainda sobre as experiências místicas da beata, disse que: "tudo aquilo que já sabíamos se mostra agora ainda mais abertamente: com toda a sua caridade, a sua força de fé, Madre Teresa sofria com o silêncio de Deus.".... Na verdade MTC sofria com a indiferença e a crueldade de deus, e sondava a sua completa inexistência... Até não poder mais, até a descrença...

Kolodiejchuk diz ainda que "Madre Teresa não sentia o amor de Cristo, e poderia ter cortado, mas levantava-se às 4:30 h. cada manhã por Jesus e era capaz de escrever-lhe: Tua felicidade é o único que quero. Este é um poderoso exemplo, inclusive em termos não puramente religiosos."... Preferia que a extensa obra de MTC, com alguns controvérsias, tivesse como objetivo o bem do homem... Mas aqui, MTC deixa claro, a questão sempre foi: "Tua felicidade [Jesus] é o único que quero."...

Bento XVI na sua encíclica Deus caritas est - Deus é Amor, título coincidente com a igreja pentecostal Deus é Amor, do mega picareta David Miranda -, de 25 de dezembro de 2005, "sobre o amor cristão", cita Madre Teresa como "exemplo de pessoa de oração e ao mesmo tempo de fé operativa": "A piedade não afrouxa a luta contra a pobreza ou mesmo contra a miséria do próximo. A beata Teresa de Calcutá é um exemplo evidentíssimo do fato que o tempo dedicado a Deus na oração não só não lesa a eficácia nem a operosidade do amor ao próximo, mas é realmente a sua fonte inexaurível. Na sua carta para a Quaresma de 1996, essa beata escrevia aos seus colaboradores leigos: 'Nós precisamos desta união íntima com Deus na nossa vida cotidiana. E como poderemos obtê-la? Através da oração."... Pois é, mas tudo isso foi meramente político, no melhor estilo Odorico Paraguaçu, em defesa de Sucupira... MTC já havia cedido ao seu racionalismo, juntado os pontinhos, e parado de rezar... Há muito tempo...

Ético, logo Cético... 
Talvez no fim da vida, ela tenha finalmente entendido...
Demorou mais chegou lá...
Que a sua memória seja respeitada,
Apesar dos pesares...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário