Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de junho de 2013

O problema com o movimento anti-corrupção

O problema com o movimento anti-corrupção


por 
em 22/09/2011 às 8:08 | DebatesFrentes
Existe uma regra simples para medir a seriedade de um indivíduo, grupo ou movimento político:
Ele é contra algo que outros são a favor ou ele é a favor de algo que outros são contra.
Entendeu? Eu explico. Funciona assim:
Marcha (espontânea e apolítica!) contra Corrupção na Esplanada dos Ministérios em Brasília. 7/9/11. Foto: Cadu Gomes // Fonte: @LidPSDBsenado
Marcha (espontânea e apolítica!) contra Corrupção na Esplanada dos Ministérios em Brasília. 7/9/11. Foto: Cadu Gomes // Fonte: @LidPSDBsenado
Faz sentido uma marcha pela descriminalização da maconha… porque existem de fato pessoas e grupos e movimentos que são a favor da maconha continuar proibida. (E vice-versa.)
Faz sentido um político fazer campanha com uma plataforma de trazer mais religião ao Congresso… porque existem de fato pessoas e grupos e movimentos que acham que o Estado deve ser mais laico. (E vice-versa.)
Você pode até discordar desses objetivos, mas são objetivos políticos válidos dentro da arena da vida pública.
A ideologia de quem fez esse cartaz é justamente achar que só as pessoas de quem ele discorda têm ideologia – ele, não!
A ideologia de quem fez esse cartaz é justamente achar que só as pessoas de quem ele discorda têm ideologia – ele, não!

“Sou militante do Partido Pró-Cumprimento das Leis”

Nada pode ser mais vazio e demagógico do que se colocar fortemente em defesa de algo… que ninguém é contra!
Não faz sentido ser “a favor da vida” porque não existe ninguém contra a vida. Não faz sentido fazer a “defesa da família” porque não existe ninguém anti-família. São ambos rótulos vazios.
Nos dois casos acima, entretanto, apenas os rótulos são vazios, mas a luta política é real e válida. Ambos os lados sabem bem pelo que estão lutando e não se deixam enganar pela própria retórica.
Quem se diz “a favor da vida” não está defendendo o conceito abstrato de “vida” contra os malvados membros do lobby pró-morte, mas sim lutando para restringir o direito ao aborto contra opositores que acham que o direito ao aborto deve ser mais amplo. Ninguém está lutando nem contra a vida nem a favor dela.
Quem se diz “pró-família” não está defendendo o conceito abstrato de família contra os malvados membros do lobby “pela destruição da família”, mas sim lutando para restringir os direitos civis dos homossexuais contra opositores que acham que esses direitos devem ser mais amplos. Ninguém está lutando nem contra a família nem a favor dela.
(O fato de ambos os grupos acima usarem nomes de fantasia, marqueteiros e vazios, que soam bonito mas que não têm necessariamente nada a ver com seus verdadeiros objetivos políticos só demonstra que sabem que esses objetivos – restringir direitos de gays e mulheres – estão cada vez mais impalatáveis.)

Link YouTube | Meus heróis morreram de tanto tuitar.

Essas pessoas que marcham contra a corrupção

Nada pode ser mais vazio do que ser “contra a corrupção”.
O que quer dizer isso, afinal? Existe alguém pró-corrupção? Que ações práticas isso implica – além da pura retórica vazia? O que um pretenso político anti-corrupção vai fazer que já não seria sua mais reles obrigação? Por que não fazermos também uma campanha para que nossos políticos não atropelem criancinhas na faixa de pedestres? Faria sentido isso?
Como disse a presidenta Dilma, a luta contra a corrupção são os ossos do ofício de qualquer político honesto.
Definição de ideologia abaixo by Althusser, com direito a cachimbo de intelectual e tudo.
Definição de ideologia abaixo by Althusser, com direito a cachimbo de intelectual e tudo.

O que é ideologia

Essas pessoas que marcham contra a corrupção via de regra são as mesmas que se dizem apolíticas e que fazem desabafos como:
Sou apenas um indivíduo livre, não tenho raça, não sou afiliado a partido, não tenho ideologia, não me meto em política! Quero só ficar aqui quietinho no meu canto, trabalhando duro, cuidando da minha família, viajando, curtindo meus livros, sendo feliz! E quero que esses políticos corruptos parem de roubar, claro!
Certo ou errado, o problema de quem fala essas coisas é não perceber a sua própria ideologia.
Ideologia é o conjunto de ideias, saberes, preconceitos, etc, que permite que as pessoas se relacionem com e façam sentido da realidade: são as lentes através das quais percebem o mundo. Por isso, é ridículo quando alguém fala de ideologia como se fosse uma coisa necessariamente ruim, ou oposta à “verdade”. Não existe essa verdade a-ideológica: qualquer verdade será sempre apreendida através da ideologia de quem a vê.
A ideologia de se achar sem ideologia é uma das ideologias mais disseminadas em nossa sociedade, especialmente entre os bem-nascidos de inclinação conservadora, e serve de justificativa para todo tipo de apatia, especialmente da supressão do diálogo político na arena pública. Nesse caso, cometer a enorme redundância de marchar contra algo que todo mundo é contra torna-se apenas mais um sintoma dessa apatia em estado terminal.
Quem reclama de não aguentar mais “tanta ideologia” não é um livre-pensador descompromissado e apolítico tentando formar suas próprias opiniões, mas sim uma pessoa mentalmente preguiçosa e de cabeça fechada, que só gosta de se expor às opiniões com as quais já concorda e que se sente extremamente incomodado quando exposto à opiniões diferentes.
É impossível um texto não ter ideologia ou não estar totalmente imerso na ideologia do seu autor ou, no mínimo, da sociedade que o produziu. Quando você tem a ilusão de estar lendo um texto que não é ideológico, isso simplesmente quer dizer que o texto tem a mesma ideologia que você: logo, que a ideologia do texto é invísivel.
Ideologia é como espinafre no dente: a gente só vê o dos outros.
O cartunista Quino, pai da Mafalda, explica a corrupção e o compadrio.
O cartunista Quino, pai da Mafalda, explica a corrupção e o compadrio.

Teste os seus políticos

Convido os leitores a fazerem um teste.
De hoje em diante, sempre que um político, grupo ou movimento se auto-definir, façam a seguinte pergunta:
Alguém tem a posição oposta a isso?
Se um político afirmar defender “mais privatizações”, você se pergunta: existe gente que defende “menos privatizações”? Check. Existe. Então, são ambas posições politicas sérias e válidas. Escolha de que lado você está e bola pra frente.
Se um político afirmar defender “água limpa pra todos”, você se pergunta: existe gente que defende“água suja pra todos”, ou que algumas pessoas não devem ter acesso a água limpa? Não, claro que não existe. Então, é um discurso político vazio e demagógico. Não vote nesse cara.
Para a Revista Veja, criticar o capitalismo é ideologia mas ela mesmo não tem ideologia alguma.
Para a Revista Veja, criticar o capitalismo é ideologia mas ela mesma não tem ideologia alguma.

Todo mundo é a favor de tudo, mas quais são as prioridades?

A questão não é ser a favor ou contra “água limpa para todos” mas sim quais outras coisasdevem ser despriorizadas para que se invista mais em “água limpa para todos”. Todo mundo é a favor de “água limpa para todos”, mas alguns são MAIS a favor de investimentos militares ou de subsídios agrícolas.
Eu, por exemplo, me sinto agredido sempre que vejo equipes da prefeitura fazendo paisagismo nos canteiros da Barra da Tijuca enquanto existem ruas da cidade que não tem aslfalto ou saneamento básico.
Se você é contra a corrupção, parabéns. Todo mundo é. Pare de chover no molhado e vá se engajar nos grandes debates do nosso tempo. Cotas raciais, código florestal, política externa, Belo Monte, tudo isso é mais importante do que faniquitos anti-corrupção que não levam (e nem poderiam levar) a nada.
Alex Castro

alex castro é. por enquanto. em breve, nem isso. // todos os meus textos são rigorosamente ficcionais. // se gostou, me siga no facebook, compre meus livros ou faça uma doação. // não leio comentários dos meus textos. para falar comigo, mande um email.

Outros artigos escritos por 

SOMOS ENTUSIASTAS DO EMBATE SAUDÁVEL

O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Somos um espaço plural, aberto a visões contraditórias. Conheça nossa visão e a essência do que fazemos. Você pode comentar abaixo ou ainda nos enviar um artigo para publicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário