Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Durma com este barulho...

Nem a falácia do livre-arbítrio, nem o mito do determinismo genético, nem a tábula-rasa, nem o fantasma da máquina - ou alma -, nem o bom-selvagem, nem a imortalidade, nem semi-deuses, nem criaturas divinas...

Somos quem somos sem intencionar sê-lo... mas somos, e respondemos por isso...

As suas potencialidades estão fortemente conjuradas em sua genética, vida gestacional e imprintings, e a sua experiência tratará de realizar ou não os seus potenciais... Mas estamos muito mais marcados ao nascer do que seremos influenciados em nossas vidas... Genética, neurofisiologia, bioquímica e aprendizado... Mas sempre lembrando que o próprio aprendizado se dá por meio de nossa neurofisiologia e de nossa bioquímica, que depende de nossa genética...

Some a tudo isso o 'acaso' que nos cerca... Não gostamos de aceitar nada disso, primeiro por desconhecimento, e depois porque quando avaliamos a vida e o universo, tendemos a ver exatamente aquilo que gostaríamos que fosse verdade, e não o que realmente conjura a realidade... Definimos o talento, a virtude e as habilidades de uma pessoa em função do seu sucesso ou notoriedade... E não funciona assim... Somos 'intencionalistas', vemos intenção em tudo, e intenção no sucesso... O que não perfaz a verdade...

Assim como os autores deveriam ser julgados pela qualidade de sua escrita e não por sua fama e êxito, todos deveriam ser julgados por suas habilidades, independentemente do sucesso financeiro... É fácil endeusar as ideias que venceram como as melhores, a posteriori; transformando os mais bem-sucedidos em heróis, mas não funciona assim...Assim, além do embaralhamento genético, do acaso gestacional, da força involuntárias dos imprintings, devemos adicionar na equação a aleatoriedade do meio e dos eventos que impactarão nossas vidas...

Isso me remete à humildade e à esperança... Humildade por saber que as minhas conquistas também dependeram de alinhamentos involuntários, e esperança porque os meus insucessos não representam 'biunivocamente' a minha falta de qualidades... Pense sobre tudo isso, e investigue sobre quem somos... o poder da genética, da vida gestacional, dos imprintings, do condicionamento, dos traumas, do aprendizado, da bioquímica, de nossa alimentação, da cadeia de eventos de nossa vida, e do meio... O intento vale à pena, e posso assegurar que nos torna verdadeiramente HUMANOS - Troppo Umanos...

Durma com este barulho...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário