Pesquisar este blog

sábado, 2 de novembro de 2013

AOS FILHOS DE GANDHI



Publicaram a hipocrisia acima... Desembainhei:

É sim 'senhor Gandhi': "Acreditar em algo e não viver é desonesto"... Muito... Incoerente, hipócrita, e desonesto... Mas vamos aos fatos... 

Gadhi abandona a família - sua mulher desposada aos 13 anos, e 04 filhos: os filhos de Gandhi - com o pretexto de que gostaria de viver de forma 'celibatária' para provar a retidão e "pureza" de seu "espírito" - seja lá o que isso signifique... Mas na 'verdade', Gandhi corre para os braços de Hermann Kallenbach, um arquiteto e fisiculturista alemão com quem Gandhi passa a viver em Joanesburgo... 

Gandhi não assume o affair, e pior, passa a pregar descaradamente um puritanismo radical em relação ao sexo... Deixemos que Gandhi nos fale mais sobre esta 'crença': 

"Quando o marido e a esposa desfrutam da paixão, não fazem mais do que atender a ao instinto animal. Este desfrute, a não ser para fins de preservação da espécie, é estritamente proibido. Mas um resistente passivo tem que evitar até mesmo este desfrute bastante limitado porque não pode ter nenhum desejo de ter uma prole. Um homem casado , portanto, pode observar a castidade perfeita." (Mohandas Gandhi; 'Hind Swaraj: Autogoverno da Índia' - p. 87; 1909)

Um tremendo problema  para os "resistentes passivos", e 'naturalmente' para a humanidade, que deixará de existir em pouco tempo; e será extinta como os pandas, por problemas relacionados com a procriação... Mas o sexo para o seres huanos é ainda muito mais importante do que fins procriativos... É interessante notar ainda que Gandhi escreve sempre aos homens, afinal as mulheres não passam de 'mulheres'... 

Mas vejam o que este canastrão e mega-hipócrita escreve em suas longas cartas ao 'namorado' não assumido, enquanto o último viajava: 

"Seu retrato (o único do quarto), fica em cima da lareira do meu quarto. O aparador da lareira fica diante da cama. O algodão e a vaselina são uma lembrança constante."

Nada contra a relação homoafetiva, mas tudo contra a hipocrisia... Gandhi posa de celibatário, faz o proselitismo da purificação, enquanto a "o algodão e a vaselina são uma lembrança constante"...

Neste período, Gandhi publica estritas normas puritanistas, em relação ao sexo, em suas fazendas "experimentais"... Mas faz "experimentos" ainda mais bizarros, como ele mesmo nos explica em sua autobiografia em 1928:

"O meu experimento consistiu no seguinte: mandei os garotos mais levados e as jovens moças para tomar banho no mesmo lugar, ao mesmo tempo. Eu havia explicado claramente a todos eles quanto à obrigação de autocontrole [...]" (Mohandas Gandhi; 'Satyagraha in South Africa' - p. 151)

Eram crianças entre 12 e 13 anos... Gandhi, além de sádico e pedófilo, era um 'voyeur', afinal assistia aos experimentos de camarote... E não para por aí, ele também participava dos "experimentos de purificação", no melhor estilo 'Michael Jackson', dormindo nu com este meninos e meninas de 12 e 13 anos.. ... Em 'Satyagraha' Gandhi descreve ainda que:

"Fiz o experimento acreditando que garotos e garotas poderiam viver juntos sem perigo, e os pais deles, com imensa fé em mim, me autorizaram a isso." (idem)

Gandhi era o perigo, e o trauma não resultava apenas da 'penetração', seja lá porque orifício for, mas sim da tensão psicológica criada... Evidentemente, para a nossa cultura, estes seriam crimes de abuso sexual contra menores; e as consequências psicológica de tais "experimentos" são difíceis de precisar...

Evidentemente os experimentos não funcionaram e a nossa 'natureza sexual' emergiu por sobre a doutrinação... E Gandhi castigou as 'meninas' e somente as 'meninas', raspando suas cabeças, e submetendo-as ao escárnio público... 

Mas 'Satyagraha' é um termo hindi, criado por Gandhi, e composto por duas palavras: 'satya', que significa 'verdade' - pasmem vocês -, e 'agraha', que significa 'firmeza' ou constância - o que reflete exatamente o oposto do que Gandhi praticava... É bem verdade que o auto-gurú aferrava-se teimosamente às suas crenças, mas é igualmente verdade que suas crenças refletiam os seus desejos e vontades meramente 'circunstanciais'... O que caracteriza a atitude de um manipulador hipócrita... 

Martin Luther King gostou do conceito de "Satyagraha", que foi empregado em sua nobre campanha contra a discriminação racial contra os negros nos Estados Unidos... Mas deixemos que Gandhi nos fale mais sobre suas 'crenças' em relação aos "negros" - como King: 

"[...] os negros são, em geral, encrenqueiros e imundos [...] cuja maior ocupação é caçar e a única ambição é conseguir gado para comprar uma esposa e passar o resto da vida na vadiagem e na nudez" (Mohandas Gandhi; Jornal 'Indian Opinion')

É mole ou quer mais??? Tais absurdos racistas e decorrentes de 'crenças ignorantes' na contra-via da VERDADE, no que se refere à Genética Comportamental, Psicologia Social, Psicologia Evolucionária, Antropologia, Sociobiologia, Paleontogenética, Paleantropologia, Etologia etc...inundam as páginas do livro 'Gandhi: Behind the Mask of Divinity', publicado em 2004 por  G. B. Sing... 

Você pode até argumentar que 'tais conhecimentos não estavam disponíveis no início do século XX', e hei de concordar; mas devo salientar com ainda mais propriedade que é exatamente aí onde reside o problema de CRER - do desespero por crer -, em lugar da paciência de esperar para SABER. Invocar o sobrenatural, deuses e divindades para justificar o inexplicado, FOI E É INJUSTIFICADO E PERIGOSO... Inexplicado 'sim', inexplicável 'não'... O conhecimento depende somente de critério, tempo e atitude...  

Mas voltemos à pureza sexual de Gandhi... Depois de uma traumática separação de Hermann, seu namorado alemão, Gandhi desenvolveu o "divino" fetiche de dormir pelado com moças que recém completaram 18 anos, e a começar pelas suas familiares, e esposas de amigos... Gandhi dormia entre os corpos nus de várias moças... Elas não aceitavam a tarefa com facilidade, mas a lábia de falso guru era forte, e contava com apoio dos 'homens', maridos, irmãos, e pais das moças: "Nós dois podemos ser mortos a qualquer momento pelos muçulmanos. Temos que submeter a nossa pureza ao  teste mais extremo, para então sabermos se estamos oferecendo o nosso mais puro sacrifício. Por isso devemos dormir nus e juntos a partir de agora." (Adams; 'Thrill of the chaste: the truth about Gandhi´s sex life'; 2010')... Uma destas moças era a sua sobrinha-neta, Manu, sendo que as marcas da experiência foram nefastas para ela... Gandhi mudava a versão sobre suas 'crenças' de acordo com a situação, como convém a um perfeito e desonesto hipócrita... Sushila, outra jovem que participou dos "experimentos de purificação" de Gandhi, retrata a verdade: "Só depois, quando as pessoas começaram a perguntar a Gandhi sobre o seu contato físico com mulheres - com Manu, com Abha, comigo -, é que a ideia dos experimentos de pureza foi inventada." (idem)... Não precisamos de 'crenças', precisamos de motivos, critérios e atitude... O desejo de salvar a humanidade sempre escondeu o desejo de dominá-la... Gandhi foi um tremendo hipócrita doentio, e desonesto em suas supostas 'crenças' até o fim... As 'crenças' e falsas referências de Gandhi e seus seguidores, serviu para aumentar o sectarismo, cristalizar o sistema de castas, destruir a economia indiana; erigindo um conjunto de falsos conceitos, propagados por meio de uma sútil e refinada eloquência - ALÉM DE MUITA CARA-DE-PAU -, da qual toda uma gigantesca população e cultura ainda não pôde se desvencilhar... Mas a verdade insiste, resiste, persiste e finalmente PENETRA - sempre... 

Carlos Sherman


Nenhum comentário:

Postar um comentário