Pesquisar este blog

domingo, 19 de janeiro de 2014

'Mais Feliz'?!?



Parafraseando Bernard Shaw:

O fato de um crente ser mais feliz que um cético não é mais pertinente que o fato de um homem bêbado ser mais feliz que um sóbrio...

Sobre ‘ser feliz’, comento que estava assistindo a um programa de televisão, quando deparei-me com a afirmação de que o ‘povo mais feliz do Brasil é o povo nordestino’, e em especial, pessoas humildes e residentes em regiões desoladas, acossadas pela seca, pouco habitadas, e esquecidas... Mas, dizia a pesquisa, eles são mais ‘felizes’... Dizia ainda que a pobreza nos grandes centros não era suficiente para este mesmo sentimento de ‘felicidade’...

Questionei a minha mulher, e refutei a pesquisa – que também parecia bastante superficial e piegas -, alegando que ‘felicidade’ é um estado deveras ‘subjetivo’, e o que a pesquisa estava de fato medindo era a ‘falta de noção’ daquele povo, a falta de parâmetros e referências - o que não acontece nos grandes centros... Não estou sendo agressivo, e sim descritivo, e esta não é uma declaração baseada em prévio conceito, senão em um conceito bem desenvolvido... Estas pessoas ‘não tem noção’ da realidade, ‘não tem noção’ de suas potencialidades, e portando não dispõe de REFERÊNCIAS para alegar ‘felicidade’... 

Se morrem mais ao nascer, se assistem com mais frequência a morte de seus filhos, e vivem menos, se não podem compartilhar mais tempo ao lado de seus pais e avós pela baixa expectativa de vida e elevada mortalidade infantil, se passam fome, se são mais violentos, por que seriam mais felizes senão pela falta de clareza sobre o que é felicidade, ou como ‘ela’ pode ser??? A falta de referências é um ponto central em minha reflexão, ou melhor dizendo: a necessidade de estabelecer referências que enderecem a verdade... 

Não podemos reescrever o nosso código genético, nem fazer nem rebobinar a fita de nossa gestação e desenvolvimento, mas podemos ‘sendo quem somos’, adquirir novas referências... E este é o ponto... 

Carlos Sherman

Parafraseando mais uma vez a Bernard Shaw, ‘se não podemos mudar a forma de pensar – em busca da verdade [grifo meu] -, não poderemos mudar nada em nossas vidas’... Isso elimina a necessidade de sábios que alcançaram à condição de autoridade por meio de dogmas, em favor de exemplos e corolários cada vez mais completos, detalhados e VERDADEIROS, que possam ser compreendidos por homens comuns, mas éticos, logo céticos...

A inspiração da Bíblia depende da ignorância da pessoa que a lê.
— Robert G. Ingersoll

Um dogma é a mão dos mortos na garganta dos vivos.
— Lemuel K. Washburn

A mente do fundamentalista é como a pupila do olho: quanto mais luz você joga, mais ela se fecha.
— Stephen Hawking

Rezar para o Sol ou rezar para Deus resulta na mesma proporção de pedidos atendidos.
— Isaac Asimov

Não basta apreciar a beleza de um jardim, é preciso também acreditar que há fadas nele?
— Douglas Adams

Alegações extraordinárias requerem evidências extraordinárias.
— Carl Sagan

Render-se à ignorância e chamá-la de Deus sempre foi prematuro. E continua prematuro até hoje.
— Isaac Asimov

Renunciar à materialidade, à razão, é o caminho mais curto para renunciar à tudo que temos: A REALIDADE...
Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário