Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Sobre Roberta Baêta - seu sofrimento, confusão e trágico destino



Sobre Roberta Baêta - seu sofrimento, confusão e trágico destino

Amigo, eu acompanhei este assunto de perto, conversei várias vezes com ela, e tenho horas e horas de papo pelo Facebook, tendo sido uma das últimas pessoas a conversar com a Roberta Baêta... Estudo o comportamento humano, e afirmo que não podemos, sob nenhum pretexto, culpar a família da Roberta por seu suicídio; a começar pelo fato de que a cegueira religiosa e a intolerância que professam, também os caracteriza como vítimas - com severas limitações neuropsicológicas e de instrução... Seus despropósitos decorrem da natureza psicológicas que os aprisiona... Eles não são culpados por serem quem são, e não passam de um rebanho de pobres coitados... Podemos focar a artilharia em seus algozes do púlpito, mas ainda assim, e mesmo quando o vento sopra a favor de minhas teses, devo insistir que a Roberta vivia o seu próprio calvário neuropsicológico... Sua morte tem relação direta com sua natureza, sua personalidade, e com a bioquímica de seu cérebro... 

Nem o mais afrontado ou vilipendiado dos ateus negaria o prazer de continuar a existir... A pulsão de morte, e Freud estava mais uma vez equivocado, não é natural em nossa espécie... Para tirar a própria vida, ou estamos por um fio e em sofrimento extremo - o que não é o caso -, ou padecemos de profundos desafios neuropsicológicos - e a Roberta deixou poucas dúvidas sobre seus problemas... Discordo também da consciência política da Roberta, e não a vi em mínimas condições de "mudar o nosso cenário" e nem o seu próprio destino privado... Perdão por discordar; e preocupo-me também com o sofrimento desta família, e com injustiças cometidas durante o dramático episódio de sua morte... 

Eu publiquei a minha última conversa com ela, e realmente não percebi o quanto estava perturbada - apesar do mar de contradições no qual estava imersa naquele dia:

"O ódio é o lado negro do amor, alguém que não teremos de forma branca e o temos na forma negra. (..) A verdade não odiamos ninguém que não tenha valor para nós, se bem analisarmos poderíamos amar muitos dos quais dizemos odiar. " - Roberta Baêta (26 de Dezembro de 2012)

Discordei, argumentando: 

"Por quê? Que ideia absurda... ÓDIO POR QUEM TEM VALOR PRA NÓS??? Uma contradição em si... Por quê? Por favor, desenvolva este conceito? Insisto que tal visão te levará por um 'sendero' de confusão... E desejo uma linda vida, um lindo 2013... Com muita saúde - e sem ódios... [...] E daqui vejo claramente enorme confusão... Amar, verbo intransitivo, é dar... Dar sem esperar receber nada em troca... Amar é empenhar seus esforços para fazer outra pessoa feliz... O bem de amar está na sensação que sentimos... É pessoal e intransferível, e fica retido na fonte por quem DÁ... Fazer o bem a alguém pelo bem de fazer..." - Carlos Sherman 

Lamento a morte de uma jovem, lamento o seu tormento particular, lamento a dor de seus amigos e parentes, mas não façamos de sua memória um martírio... Simplesmente por que não é verdade... Ela só tinha 17 anos...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário