Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O 'milagre' da saúde cubana...



MAIS UMA NOTÍCIA MENTIROSA E FALACIOSA... Vamos aos fatos, vamos endereçar a verdade... 

Os países citados são campeões mundiais em mortalidade infantil, e tem as piores expectativas de vida do planeta, perdendo apenas para os grupamentos primitivos, com destaque para tribos da África e América do Sul, onde dificilmente um ser humano atinge os 45 anos... Principalmente grupos sem contato com qualquer grupamento precariamente civilizado... Isso posto, antes que invoquem a culpa dos ricos, civilizados, ocidentais, etc, contra "o bom e ecológico selvagem" da fantasia rousseauliana... 

Quem alimenta a África e realmente enfrenta suas mazelas são os Estados Unidos, a União Européia e os programas das Nações Unidas, com destaque para o WFP, UNAIDS, UNDP... Paíse como a China e a Rússia poderiam fazer muito mais, mas sua colaboração é pífia. Na verdade programas capitaneados por Bill Gates, Warren Buffets, e George Soros, superam qualquer ajuda, seja comparando com países e mesmo com a ONU... Cuba não dá conta nem de sua terrível situação interna... É de domínio público o fato de que regimes totalitários como os de Fidel manipulam seus dados... 

Cuba não passa de uma ilhota, com 11 milhões de habitantes, o que é menor do que a população do Rio Grande do Sul... Comparem a qualidade de vida entre os dois países? O descaramento é tal que a mortalidade infantil informada pelo falacioso regime cubano é melhor do que o Canadá, no período de 2005 a 2010... Isso é criminoso... Estive em Cuba, e conheço a realidade do Canadá... É evidente a má capacitação e remuneração dos médicos cubanos, a terrível e sucateada condição dos hospitais, seríssimos problemas de higiene e assepsia dos hospitais e instrumentos, atraso tecnológico, carência de medicamentos essenciais... Em todo o mundo tais vetores induzem a mais mortes ao nascer e menor expectativa de vida, menos na ilha de Fidel... Qual é o milagre? 

A antropóloga Katherine Hirschfeld, que dedicou o seu doutorado ao 'milagre' do sistema de saúde cubano, passou nove meses em pesquisas de campo em Cuba... Segundo Hirschfeld, o controle e a propaganda da saúde pública cubana criminaliza a sua análise crítica e objetiva... Ou seja, o governo trata qualquer tipo de análise crítica de seu sistema de saúde como um atentado à nação, à revolução... "Suscitar formalmente especulações críticas sobre sobre o sistema de saúde é visto como um ato criminoso, tanto para mim como pesquisadora, como para as pessoas que conversavam abertamente comigo" - Hirschfeld. A situação é gravíssima, em função do cinismo com que é tratada, no melhor estilo soviético... "Não há direito à privacidade na relação médico-paciente em Cuba, não existe o direito de livre consentimento e esclarecimento, ou o direito de recusar o tratamento, e nenhum direito de protestar ou mover processos por negligência" - Hirschfeld. Na opinião da antropóloga a situação cubana é falaciosa e claramente "desumana". 

Hirschfeld explica ainda que o Ministério da Saúde de Cuba (MINSAP) estabelece metas estatísticas que são encaradas como "quotas de produtividade", e fazem parte essencial da propaganda do governo... O segredo mais bem guardado é a taxa de mortalidade infantil. Para ilustrar isso, Hirschfeld descreve o caso de um médico que, no exame de ultra-som - onde o paciente aguarda por "meses" em uma fila de espera pela falta de equipamentos - observou "algumas anomalias fetais". Não são relatados maiores, e foi apenas informado à mãe que ela "faria um aborto", com o objetivo de evitar um aumento na taxa de mortalidade infantil. Cuba é campeoníssima em abortos, e isso manipula a taxa de mortalidade, já que a mesma considerar apenas a morte de crianças nascidas vivas... Cuda copia práticas do regime soviético e chinês, os famosos "esforços revolucionários", que certamente, e principalmente, incluem a "prática deliberada da manipulação das estatísticas de saúde", além de "intromissão estatal agressiva nas políticas de saúde - terapias - e na tomada de decisões médica"... O regime "criminaliza a dissidência, além de outras formas de policiamento autoritário do setor de saúde, projetado para garantir que as melhorias na saúde reflitam as (muitas vezes utópicos) previsões da teoria marxista". Mas, de acordo com Hirshfeld," a verdadeira extensão destas práticas ainda é desconhecida ou ignorada pelo Ocidente, onde "os cientistas sociais citam estatísticas de saúde favoráveis ​​fornecidas por tais regimes, sem analisar criticamente a maneira como estes dados foram obtidos e manipulados pelo poder do Estado". 

Hirschfeld conclui que "os indicadores de saúde de Cuba são [...] obtidos mediante a imposição de custos significativos à população cubana - custos que os impotentes cidadãos cubanos não podem contestar ou confrontar, e que os pesquisadores estrangeiros são incapazes [e impedidos] de investigar empiricamente", E assim, e mais uma vez, endereço a verdade...

Esta é a "Cuba linda", e fantasiosa... Estudem, e contribuam com uma mundo menos cínico...

Carlos Sherman 

P.S.:

Bárbara Pascoal, revisei mais de 2.000 páginas, posso indicar duas dezenas de livros e trabalhos... Prefere assim ou é adepta das 'curtinhas e populares'? O pior em tudo isso é a sua réplica... Ou seja, não diz nada, não contesta nada, apesar de eu haver indicado as fontes... Você conhece o WFP? Conhece o Given Pledge? Conhece os programas da ONU? Conhece Cuba? Não perco o meu tempo esperando que pessoas como você se preocupem em verificar suas 'parcas' e falaciosas fontes; dedicouo meu tempo esperando que outras pessoas mais interessadas em como a realidade funciona - e menos preocupadas com o número de 'curtidas do Facebook' - possam ACORDAR... Apologias, apologias, apologias, curtidas, rapidinhas... Você tem sido rápida no gatilho, mas trabalhei por mais de dez anos para ousar abrir a minha boca sobre este tema... Tenho muito mais do que fontes, tenho conhecimento, responsabilidade e um sentido de consequência com os demais... Este é, antes, um gesto de amor... Mas, assim caminha a humanidade, não é mesmo? De confusão em confusão... Se acreditaram que um ser mítico nasceu de uma virgem, andou sobre as águas, e ressuscitou dos mortos, por que não render glórias ao milagre cubano e sua catequese cínica?

E, a propósito, a maconha é ilegal em Cuba, e a repressão é bárbara - sem trocadilhos... A polícia é super reacionária, e para o estado cubano maconheiro é marginal e merece mofar na prisão. Muito cuidado se visitar a 'ilha da fantasia'! Sendo assim, os cubanos ainda não forma beneficiados pelos maravilhosos e igualmente milagrosos efeitos da maconha... Eles conseguem todo este milagre na saúde sem aludir ao milagre da maconha - que você também tem defendido... Viva Cuba!

Nenhum comentário:

Postar um comentário