Pesquisar este blog

domingo, 7 de setembro de 2014

Polêmico...




O POLÊMICO

Tenho sido acusado por pessoas diversas, e entre elas alguns de meus amigos e parentes, de ser POLÊMICO... Pois devo objetar, e na verdade tal injustiça ocupa lugar de destaque na intimidade de minhas decepções... 

Não tenho o poder de ser ou não 'polêmico', posto ser este o predicado dos temas em debate... Os temas são polêmicos... E se o que os meus detratores realmente pretendem é acusar-me de ser um 'polemista', então devo objetar com ainda mais veemência... E por quê? Em primeiro lugar porque trato de refletir, estudar e refutar os meus melhores argumentos, antes de publicá-los... 

E em consideração à todos os debatedores sempre apresento o meu conjunto de princípios, assim como os dados que corroboram minhas hipóteses pelo confronto com a realidade... Isso enquanto os meus adversários em debates, ou aqueles que me tomam como 'polêmico', não apresentam, com o mesmo e recíproco respeito, os seus argumentos... Nenhum dos que me acusaram de ser polêmico - vide 'polemista' - de fato apresentou qualquer tipo de justificativa, como se sua sentença bastasse, e como se a sua indireta fosse suficiente para que a carapuça service... Pois não serviu!

A polêmica está no abismo que separa a minha e a sua visão... Trato de demonstrar as bases que suportam os meus argumentos; então, suporte os seus... O que está denotando é a emoção contida em minha indignação... Se alguém publica que retornar à selva na condição de silvícolas é melhor, e que somos - o homem civilizado - mau e ganancioso, precisarei refutar tal impropério com 5 estrelas... Tal devaneio crente, que conjura diversas ignorâncias - antropológicas, históricas, paleontológicas, genéticas, neuropsicológicas, etc. - e tem causado e causam mal-entendidos exemplares ao longo da História... 

Uma senhora publica a foto genérica de um bebê na UTI de algum hospital de primeiro mundo, onde na tela do monitor ela estampa - com uma montagem digital - a careta de seu salvador - responsável por todo o amor que há, além de todo a horrenda vingança que virá... Este vingador desmascarado embala os negócios de alguns dos mais vis estelionatários e organizações estelionatárias do planeta, foi a motivação para quase todas as importantes guerras em nossa História, e agora posa para a foto como garoto propaganda de uma apologia barata e SÓRDIDA... 

Sórdida sim, por que é sórdido jogar com o sofrimento de um bebê, não importando ser anônimo... Por que é sórdido considerar que devamos nos submeter à um determinado credo, e por ser o credo 'correto', e negando a possibilidade de outros credos, ou mesmo da descrença... Isso enquanto aponta como justificativas para tal adesão tácita: o poder inconteste, a onipresença sem igual, e a onisciência absoluta de seu deus supremo... Pois bem, se ele pode escutar apelos e curar este bebê, por que permitiu que tal desgraça se abatesse sobre esta pequenina vida? Para nos dar uma lição? Uma lição aos pais do bebê? Ao bebê? Ou para que imploremos e imploremos sua misericórdia? Ou será a motivação é mais sutil e de ordem econômica?

O que é, de fato, 'polêmico'? Propagar tais absurdos, ou a coragem de contestá-los? Ora, queridos amigos, se nem tais argumentos são capazes de demovê-los de sua cegueira e sono, o que mais poderei fazer? Sou julgado por polemista, sem sê-lo - afinal participo de incontáveis causas educativas e de esclarecimento cientifico -, e devolvo a vós a alcunha... Vós sois o problema aqui, e não eu... Não por serem meros 'polemistas' - muito embora este traço de personalidade atrapalhe a vida de crentes e descrentes em igual proporção - mas pela covardia de suas débeis posições... 

O que presenciam aqui é a minha justa indignação... Presos ao próprio solipsismo e medo, pretendem que sorvamos passivamente o ‘anestésico da zona de conforto’ até a sua última gota; negando a experiência pura de encantos maiores e diversos, deflagrada na atitude científica... Acorrentando-nos a cotidiano cativo e familiar, vocês insistem em privar a mim e a humanidade da excitante aventura de viver... 

Também sei que não escolheram esta prisão; e que, de certa forma, também não suportam tal escravidão... Somos quem somos sem intencionar sê-lo... Mas aqui, e antes, defendo-me de vossos covardes ataques... O que pretendem, inconscientemente, é que eu me torne um igual, para que não sejam obrigados a encarar a mediocridade de vossa condição... 

Na verdade, e em suma, represento o contraste vivo da condição funesta de vossa intelectualidade... Topar com minhas palavras deflagra vosso sentimento de vergonha... Então, para vós, é melhor que eu me cale...  E este é ponto aqui: a coragem da verdade... 

Não pretendo calar, e lamento por seus grilhões... Conte sempre comigo se pretender afrouxá-los ou detoná-los por completo...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário