Pesquisar este blog

sábado, 25 de outubro de 2014

I Have a dream



Ao amigo Jean Wyllys e à todos que lutam pelos Direitos Individuais...

Hoje acordei com a frase de Luther King Jr. em minha cabeça, eternizada por seu célebre discurso em favor da igualdade de direitos... Martin Luther King era um líder evangélico, e de grupos que hoje manifestam sua ferrenha oposição ao que chamo de Direito ao Afeto - o epítome dos direitos individuais.

Prezado Wyllys, estou seguro de que falo a um humano de bem, inteligente e responsável... Não incorra na terrível falha, em relação à Integridade Intelectual, de apoiar um discurso apenas pela equivocada hermenêutica de que "quem é inimigo de seu inimigo é necessariamente seu amigo"... Os inimigos de seus inimigos não pensam necessariamente como você, ou agem como você... E nada pode ser mais pernicioso - e pretendo insistir nesta tese - do que o fascismo para as liberdades individuais...

Esta máxima pertence ao precursor de Osama bin Laden, Bin Sabbah... Ele se intitulou a sétima encarnação do Imã Ismael, e possuía um séquito disposto a obedecê-lo cegamente, o que incluía missões suicidas...


"Eu farei todo o Oriente tremer!"

Isso foi no início do século XI, há quase mil anos... No Irã, esta verdadeira 'inspiração vocacional para Che Guevara' criaria os comandos suicidas da seita convenientemente nomeada como "A Ordem dos Assassinos"; uma ramificação ainda mais radical do ismaelismo, perpetrando ataques cruéis na Síria e no Iraque - além de garantir a ordem e o silêncio dentro do Irã -, quase sempre de cunho sectário, religioso ou étnico...

Evidentemente, e como ocorre com todos aqueles que negociam com o sangue e o sacrífico de anônimos seguidores, o corajoso "suicida" não morreu em nenhuma missão suicida, mas em seu palácio, e protegido - aí sim - por fieis e imbecis suicidas... A máxima de Bin Sabbah é invocada pelo personagem de Marlon Brando, no 'Poderoso Chefão':


"Se você fosse meu amigo, os seus inimigos seriam meus inimigos agora."

Corporativo, e pouco comprometido com a Integridade Intelectual, e sobretudo com a 'consciência individual', passo inescapável para que cheguemos ao entendimento do valor das liberdades individuais, onde o Direito ao Afeto constitui, repito, uma condição essencial - ou primal... Sem contar com o risco de que amanhã Brando, ou o poderoso mafioso, desenvolva novos amigos... Veja o que aconteceu, por exemplo, com Celso Daniel... 

Sei que o apelo vem tarde, afinal você está apoiando publicamente uma iniciativa fascista e conservadora, como denunciado por homens conhecedores do tema, como os honrados Hélio Bicudo e Chico Oliveira, fundadores eméritos do PT; como denunciado por Joaquim Barbosa, que os combateu de perto... Sei que os conhece e respeita! Não me escute, escute a eles... Nada pode ser mais pernicioso do que o fascismo contra os Direitos Individuais.

O apoio de escroques e criminosos como Bolsonaro e Feliciano à candidatura de Aécio Neves vem no esteio do apoio a Marina Silva... Não significa em hipótese alguma que Aécio Neves pense como eles - assim como você respeita King sem endossar a "cura gay" que ele prognostica... Caso caso contrário, seria necessário considerar, usando a mesma heurística, que o apoio de Collor, Sarney, e Calheiros, torna Dilma cúmplice de suas andanças... E de fato é, mas isso porque tal apoio vem de longa data, não sendo apenas, embora tristemente, circunstancial...

Se lhe questionar quais são, entre as grandes nações, as que mais atendam contra os Direitos Civis, as Liberdades Individuais, e contra o Direito ao Afeto, se a Rússia e a China não vierem imediatamente à sua mente será um fracasso em termos de boa informação e formação, isenção, e integridade intelectual... Sem contar regimes como Irã, Cuba, Venezuela, amplamente apoiados por Lula e Dilma, em sua sina megalomaniaca e inescrupulosa de manter e conservar o poder adquirido...

O fascismo de regimes 'ditos' de direita e de esquerda sempre serão a maior ameaça às liberdades individuais e não interessam os discursos de ocasião, afinal Lula e Dilma não honram minimamente o que dizem... Isso significa, então, que você não deveria admirar o gesto de Luther King em Washington, já que ele era estupidamente cristão e 'evangélico' como Feliciano e Malafaia, certo? Acho que não! Acho que você deve separar as proposições... E julgá-las uma a uma...

A 'Coalizão de Pastores Afro-Americanos' reunidos em Memphis, Tennessee, em 2012, protestou contra o apoio do presidente Obama ao casamento homoafetivo, negando que a união entre pessoas que possuam genitais similares estaria salvaguardada pelo Movimento dos Direitos Civis; e citando, pasmem você, Martin Luther King Jr - além da bíblia... O grupo atacou aos políticos que, segundo eles, "exploram" os negros ao comparar o casamento interracial - amplamente proibido na mesma bíblia -, com o casamente intersexual.

Laurie Higgins, defensora dos direitos dos 'afro-americanos', à frente da ultradireitista e fascista 'Illinois Family Institute', disse ainda que:


"Durante anos, os ativistas homossexuais e seus aliados têm fabricado e explorado uma analogia absurda e ofensiva entre homossexualidade e raça, com o objetivo de avançar com sua agenda politica."

Nem raça, nem sexo, mas LUCIDEZ! E Haggins tem mais absurdos para vomitar:


"Ativistas homossexuais usam a heroica batalha que acabou com a discriminação racial como um cavalo de Troia para erradicar os julgamentos morais sobre a sua conduta homossexual."

Observe Jean a heurística do "inimigo de meu inimigo é meu amigo"... O que quero dizer com isso? Na luta pelos direitos civis todos estamos juntos, mas na luta pelas liberdades individuais a bíblia fala mais alto; de forma que agora, negros que lutaram por direitos civis cruzam armas com ultradireitistas brancos contra homossexuais de todas as cores...


"Todas as pessoas civilizadas - particularmente Afro-americanos - devem se sentir ultrajados. O uso dessa analogia mostra que os ativistas homossexuais não têm compromissos éticos e nenhuma consideração para com a família negra nos Estados Unidos, que já experimentou lutas tremendas." - Haggins

Que zona! E qual a lição, qual a saída? A lição, Jean, é combater o maniqueísmo, a adesão tácita a bandeiras sem a correta e necessária reflexão sobre proposições específicas... Estar ao lado da liberdade e da justiça, mesmo quando Bolsonaro sobe neste mesmo palanque por outros princípios, é uma questão de integridade intelectual... Não se coloque ao lado de uma tese com o objetivo de justificar outra, pois o tiro pode e vai sair pela culatra...

Dito isso, insisto que se você subisse neste palanque onde a luta pelos direitos dos negros foi travada, você seria demonizado... Leia o que pensa o grupo 'Fé em Contexto':


"O significado da manifestação desses maduros líderes negros, atinge em cheio o plano gayzista de camuflar suas atividades imorais como uma busca por direitos humanos. O grupo de clérigos e líderes negros disseram que é hora de virar a mesa contra o sequestros do Movimento dos Direitos Civis pelo movimento homossexual."

Isso também é o que pensa o 'Reverendo' Bill Owens, que marchou ombro a ombro com o 'Dr.' Martin Luther King na luta pelos direitos civis...


"Os jovens podem ler sobre as lutas e protestos pelos direitos civis, mas somente alguns de nós, que são mais velhos, têm as cicatrizes da batalha para provar nosso comprometimento. [...] Os direitos que tanto lutamos para adquirir não incluem casamento homossexual."

Jean, nem todo 'dito' defensor dos direitos civis defendeu 'todos os direitos civis', de fato; e a maioria deles não estende isso às liberdades individuais... Alguns defenderam interesses próprios, outros étnicos, sexistas, e sobretudo religiosos... a bandeira do 'direito universal' foi empunhada, mas o propósito era falho... O 'Reverendo' Robert Morris, da 'New Jerusalem Church of God in Christ', pensa que os direitos civis não devem considerar o direito ao afeto:


"Casamento do mesmo sexo, eu penso, é uma abominação diante de Deus. É um pecado diante de Deus [...] não aceito que alguém possa comparar o pecado com direitos civis.[...] Ver ativistas, políticos, e agora o mais alto cargo da nação vincular um comportamento sexual que Deus chama de pecado a uma causa justa pela qual Martin Luther King deu sua vida, é abominável em si [...] Não existe direito civil algum em fazer o que Deus chama de errado."

A adesão a padrões genéricos ou posições maniqueístas, vai se tornando complexa com o tempo, afinal 'é tudo ou nada' aqui e ali, e finalmente chegamos a conflitos irreconciliáveis... Já observei, parodiando, que quem come em restaurantes naturais têm que ser de esquerda - mesmo que regimes de esquerda estejam entre os mais fascistas e atentem contra direitos humanos e o meio ambiente -, e têm que ser 'contra o sistema', ostentando roupas exóticas, e falando em "espiritualismo"... O maniqueísmo, o animismo, o intencionalismo, estão entranhados no ser humano... E confio que você, e todos os que realmente lerem o que foi demonstrado aqui, possam estar acima disso...

A filha mais jovem de King declarou durante uma conferência em Auckland, Nova Zelândia:


"Eu sei do fundo do meu coração que meu pai não levou um tiro em prol de uniões homossexuais."

Ela só faltou agregar "nojentos", ou coisa pior... Mas o 'Fé em Contexto' não perdeu a oportunidade:


"Obama em seu pronunciamento gayzista usou as palavras de Jesus para justificar seu apoio ao casamento gay. [...] Mas há uma falha na compreensão do Teólogo-Presidente. Citando o Velho Testamento, Jesus disse: 'Por esta razão, o homem deixará seu pai e mãe e se unirá a sua mulher, e os dois serão uma só carne' (Marcos 10:7-8). Um homem, uma mulher."

Ele esqueceu de dizer que esta mulher poderia ser negociada e comparada a jumentos... Mas todos eles estão certos sobre as convicções de King... Em 1958, enquanto escrevia uma coluna de conselhos para a 'Ebony Magazine', 'Dr. King' foi interpelado por um leitor que se declarava "gay":


"Meu problema é ser diferente da maioria das pessoas. Eu sou um garoto, mas eu me sinto, em relação aos meninos, como deveria me sentir sobre as meninas. Eu não quero que meus pais saibam sobre isso. O que devo fazer? Existe algum lugar onde eu possa obter ajuda?"

A resposta do reverendo King foi assertiva - A CURA GAY:


"O seu problema não é totalmente incomum. No entanto, ele requer muita atenção. O tipo de sentimento que você tem para com os meninos provavelmente não é uma tendência inata, mas algo que foi culturalmente adquirido. Suas razões para adotar esse hábito já foram conscientemente suprimidas ou inconscientemente reprimidas. Portanto, é necessário lidar com este problema voltando a algumas das experiências e circunstâncias que o levaram a este hábito. A fim de solucionar a questão, eu sugiro que você consulte um bom psiquiatra que possa ajudá-lo a trazer para o primeiro plano da consciência todas essas experiências e circunstâncias que levaram ao hábito. Você já está no caminho certo em direção à uma solução, desde que você honestamente reconheça o PROBLEMA - grifo meu - e tenha o desejo de RESOLVÊ-LO."

Abjeto, certo? King recomendando psicanalistas e behavioristas, que hoje sabemos estaremos bem distantes de qualquer bom entendimento sobre a natureza humana - assim como a religião... Jean, a luta de King por igualdade não está invalidade por sua inegável ignorância sobre outras facetas da natureza humana...

Maravilhosamente imperfeitos - todos!!! Seria equivocado se você obstruísse a justa pauta dos Direitos Civis, só porque King pensa que a homoafetividade, que o AFETO, POSSA OU DEVA SER CURADO; e que a nossa natureza deva ser negada... Pense muito sobre isso. E seria absurdo que você discordasse de Joaquim Barbosa sobre o lamaçal de corrupção que assola este país, obstruindo a pauta da justa condenação do Mensalão somente porque "Bolsonaro e Feliciano apoiam a turma que é inimiga deste grupo de facínoras". Feliciano assumiu o controle da Comissão de Direitos Humanos sob apoio inconfesso do PT, que controla o legislativo como você bem sabe, e melhor do que eu... Na 'dança do maniqueísmo' agora estão apoiando o partido oposto, mas isso não significa que Aécio Neves ou que o PSDB endosse suas ideias...

E vamos ao cerne da questão, a "esquerda", "progressista", "apoia os direitos civis", "às liberdades individuais"... Ora, isso não poderia se mais louco e varrido... Somente um aspirante a astronauta-mirim, drogado, ignorante, ou um completo imbecil, sonharia com isso... As sobras de exemplos dariam um livro com milhares de páginas, e não pretendo escrevê-lo hoje... Mas vamos ao sexy-symbol máximo da liberdade, Che Guevara, um psicótico covarde e assassino...

Espero que você nunca tenha usado uma camiseta idolatrando 'el Che', porque não passará de um gesto 'crente', e um asseverado tiro-no-pé! Carlos Santana, um guitarrista que particularmente adoro, não passa de um pobre coitado, sujeito à todo tipo de devaneio místico, e onde se lê na fronte 'creio na crença'; qualquer uma que seja veiculada em restaurantes vegetarianos, de bola de cristal à cristologia do amor ao próximo - uma tremenda e brava falácia... Santana gosta de exibir sua camiseta com o rosto 'crístico' de Guevara...

Henry Gómez, um mero transeunte citado pelo cubano Humberto Fontova em sua biografia não-autorizada - mas muito bem documentada - sobre "el Che", cruzou com seu ídolo Santana, e debateram suas crenças na santidade do herói... Santana disse que usava a camiseta com o rosto de seu "exemplo" de vida, porque...


"[...] Che lutou por negros, mulheres e índios."

Isso não poderia ser mais absurdo, Che era racista, homofóbico, e pouco queria com índios preguiçosos... mas Santana vê espíritos de luz, tem encontros com seres de outros planetas, e alucinações que deixariam Baby Consuelo e Tetê Espíndola no chinelo... Henry ficou decepcionado com Santana e contra-argumentou - como cubano -, ao que Santana arrematou:


"Você se limita aos fatos, cara [...]."

Pois ele disse tudo, Jean! Sim, devemos nos limitar aos fatos e dizer não à República das Opiniões... Afinal, Jean, você é vítima do mesmo tipo de atitude crente e maniqueísta que diz apoiar no fenômeno Lula, Dirceu e Dilma... Atenha-se aos fatos, e serão eles que nos conduzirão à verdade, à realidade objetiva, à tolerância, à paz...

Che Guevara, o REAL, mandava prender e arrebentar a quem se parecesse com Santana, e o tipo de devaneio esotérico e hippie que ele encarnava; isso em sua ilha de opressão, e no melhor estilo Newton Cruz... Nada, em nossos piores momentos ditatoriais, se pareceu com a Cuba de Fidel e Che... Deixemos que Fidel dê o recado, em um de seus intermináveis e hipnóticos discursos, AOS BERROS, na 'Plaza de La Revolución':


"Esses jovens andam por aí ouvindo música imperialista [rock] Eles corrompem nossas jovens e destroem pôsteres do Che! O que será que eles pensam? Que este é um regime burguês, um regime liberal? NÃO! [berra, ordena] Nada temos de liberal! Nós somos coletivistas! Nós somos comunistas! Não haverá Primavera de Praga aqui em Cuba!" (Sauvage; 'The Failure of a Revolution; 1973)

Praga, e a Checoslováquia, invadida e engolida pela sandice soviética, lutava por liberdade... Se não podem nem escolher o que 'ouvir', imaginem 'votar' e optar pela pluralidade partidária? Direitos Civis? Liberdades Individuais? Estão loucos, não é assim que funciona em qualquer tipo de fascismo, e não importa o teor do discurso...

Na ONU, em um discurso idolatrado pelo vão maniqueísmo que teimo em denunciar, Che foi aplaudido de pé ao dizer 'covardemente' que:


"Sim, nós fuzilamos em Cuba! O Nosso Regime é um regime à MORTE!"

Lindo, livre, progressista... Che chamava os roqueiros, a classe que mais gosta de exibir uma idolatria ignóbil a este genocida histórico, de "vagabundos" e "delinquentes"... Em seus diários, escreveu:


"Os dias mais felizes da vida de um jovem são aqueles em que vê suas balas acertando o inimigo."

Esse psicótico não deixa dúvidas sobre seu diagnóstico neuropsicológico... Che tinha mania de perseguição, e assassinou companheiros à sangue frio e pelas costas, conforme registra impunemente em seu 'lindo' diário...

A Secretaria Nacional de Propaganda em Cuba, edita e publica até hoje a cartilha escrita por Guevera, 'Que Debe Ser Un Joven Comunista'. Afora a tremenda arrogância de determinar 'o que deve ser um humano' - assim como Platão, em sua 'República' vegetariana e fascista, ou Lênin, quando encomenda a Pavlov a doutrinação do 'novo homem' -, esta pérola tem surpresas e mais surpresas... Os jovens, segundo a ideia de coletivismo guevarista, não apenas devem sofrer e morrer pelo estado, mas devem fazê-lo:


"[...] alegremente e com muito orgulho [...] entoar slogans oficiais e canções aprovadas pelo governo [...]."

Nem a Alemanha Oriental da Guerra Fria conseguiu ser tão patética... É o fim da linha? Mas pode e vai piorar... Pois o "jovem" deve...


"[...] pensar e agir não por si, mas como parte da massa."

Esse slogan faz um tremendo sucesso na Coréia do Norte... E seria ótimos se fossemos formigas, e estivéssemos seguros de que esta formiga-rainha sabe o que diz... Mas Jean, neste caso sem esquecer que funções sexuais, estas sim, se nem a música deve variar, estariam bem confinadas ao que Che definiu como "normalidade"...


"[vamos] fazer sumir da nação a praga do individualismo! É criminoso pensar como indivíduo!"

E chegou ao disparate de sentenciar que o "espirito de rebelião", do qual foi doentiamente tomado em sua vida, era "repreensível"... Che não pretendeu JAMAIS a liberdade, e não passou de uma arroubo perverso e extremo de AUTORITARISMO... Mas existe uma lição mais importante aqui: o maniqueísmo! Pensar individualmente, SER, manifestar diferenças de pensamento e opinião, não implica em desprezar a coletividade... Não existe oposição dicotômica, senão no discurso daqueles que pretendem que você funcione como rebanho ao empossá-lo de poder, sob alegação de coletivismo... Não aceite tacitamente que aquele que alega lutar por sua liberdade cobre a sua submissão...


"O desejo de salvar a humanidade é quase sempre um disfarce para o desejo de controlá-la." - H. L. Mencken

Charlie Bravo, um notório "delinquente", segundo os critérios guevaristas, e hoje exilado nos Estados Unidos, dispara:


"Eu adoraria ter visto os manifestantes da Sorbone, de Berkeley, e de Berlim, com seus 'incríveis' pôsteres de Che, tentando pontificar em prol do antiautoritarismo, não em seus respectivos países, mas em Cuba. Adoraria ter visto então Che e seus capangas colocando suas mãos neles. Eles teriam uma noção imediata do 'fascismo' de que reclamam sem parar - e desta vez recebido em primeira mão. Eles rapidamente se veriam suando e ofegando nos campos de trabalho forçado de Fidel e Che, e apanhariam de 'incríveis' baionetas caso diminuíssem o ritmo de trabalho, ou talvez perdessem os dentes tomando uma 'incrível' coronhada por terem se comportado diante da milícia de Che do mesmo modo que diante dos policiais de seu campi."

Esta foi a experiência direta de Bravo... Preso e torturado por PENSAR! Quando Eric Burdon, com sua camisa 'del Che' cantou desesperadamente o seu refrão de "We Gotta Get Out Of This Place", ele estava ecoando as vozes de 77.000 cubanos mortos pela patrulha marítima de Fidel e Che, somente para contar os afogados... Tom Morello, um músico "imperialista", mas ignóbil idólatra de Che, disse:


"Ele foi um exemplo incrível, uma cara com ideias humanitárias e força de vontade para colocar em prática. Ele mostrou que havia muita injustiça por toda parte. Isto resume sua atitude."

Isso é louco, insano, absurdamente falso, e ofende com profundidade sem igual à dignidade humana... Assim como ofenderia se endeusássemos um Cristo que vem para executar o juízo final, ou o Hitler que vem coroar o plano de deus - conforme alegou seguidas vezes... Os corpos que foram devorados pelos tubarões, e os corpos fuzilados sem qualquer tipo de direito de defesa, lembram, e muito, aos genocídios indígenas...

O fenômeno aqui e em jogo é claro, e está bem diagnosticado... Conforme nos afastamos no mito, passamos a construir a nossa própria versão deste mito, conjurando as nossas própria expectativas; por isso o 'personal jesus', o 'personal guevara' e o 'personal lula'...

Guevara nunca escondeu como funcionava sua "vontade" e seu sentido de "justiça":


"Meus amigos o são enquanto concordem politicamente comigo."

Perfeito, arrogante, indefectível... Caso contrário, e como escreveria ao seu pai em Buenos Aires, cabeças seriam cortadas:


"Papai, eu queria confessar que agora eu descobri que realmente gosto de matar."

E como escreveria em sua carta para sua esposa abandonada, Hilda Gadea:


"Cara 'vieja', estou agora nas montanhas de Cuba, vivo e sedento de sangue."

Isso pode mexer com certos impulsos animalescos, e provocar injeções de testosterona, mas estou seguro de que não é o que você, Jean, gostaria de dizer ao mundo - e mesmo aos escroques que lhe vilipendiam...

Então onde está o Che de Santana, Burdon, Morello, Maradona, Madona ou Lula? No discurso, na fantasia, e em sua doentia tendencia ao MANIQUEÍSMO... O neto roqueiro de Che, Canek Sánchez Guevara, que fugiu de Cuba e vive hoje exilado no México, tem uma opinião bem mais embasado sobre a realidade em Cuba e sobre a memória do avô do que você e eu - quando diz:


"Em Cuba liberdade não existe [...]. O Regime exige submissão e obediência [...] o regime persegue hippies, homossexuais, livre-penadores e poetas [...] eles estão em constante vigilância, controle e repressão."

A similaridade é a sombra da diferença... Considero a descrição de tal regime similar ao mundo que os pastores afro-evangélicos descrevem acima, em termos de liberdades individuais - ou melhor, a ausência de qualquer liberdade ou sentido de individualidade -, e nisso são unha e carne... Mas sei que são 'domínios' antagônicos... Onde o único evidente e poderoso antagonismo, de fato, reside precisamente na necessidade de poder e controle...

Che chamava particularmente aos homossexuais de "párias", ao que não logro distinguir tal predicado dos ritos bíblicos... Mas você, Jean, dá de ombros, tendenciosamente, ao falar de Che com disfarçada admiração:


“Che Guevara é o macho alfa da revolução socialista. É inegável seu papel na condução da revolução, mas Guevara foi muito ruim para os homossexuais, que foram para o paredão em Cuba. Ele está associado a um espaço da sociabilidade heterossexual masculina.”

Não houve revolução nenhuma e sim INVOLUÇÃO... O que é isso companheiro? Che mandou matar homossexuais, coisa que Bolsonaro, Feliciano, Malafaia, mesmo apoderados, precisariam provar serem capazes de fazer... Sua posição é tão contraditória, que presumo haver perdido o meu tempo... Você parece vítima do mesmo maniqueísmo doentio, humano sim, mas terrivelmente nefasto, considerando a distância de 200.000 anos que nos separa da savana; e todos os avanços conquistados pela civilidade e pelo processo pacificador... "Macho alfa"? "Sociabilidade heterossexual masculina"? Isso é o autoritarismo mais abjeto, louco e assassino, e que devemos combater com entendimento, evidências da verdade, denúncias diretas e claras, e toda a lucidez que pudermos invocar contra toda sorte de MANIQUEÍSMO...

E faço da minha voz a voz do movimento gay da Bahia... Quando encaminharam um pedido de retração ao governo cubano... O Regime Fascista de Cuba definiu penas severas e marciais, do trabalho forçado em campos de concentração ao pelotão de fuzilamento, para aqueles “depravados reincidentes e elementos anti-sociais incorrigíveis”... Homossexuais eram comparados a “marginais”, confinados ao trabalho forçado de 16 horas diárias, algo similar aos horrores da escravidão...

Artistas, escritores, livres-pensadores, ou apenas seres humanos, foram perseguidos por seu AFETO, como Virgílio Piñera, Lezama Lima, Gallagas, Anton Arrulat, Ana Maria Simo, inclusive o poeta norte-americano Alien Ginsberg - expulso por ter divulgado o que circula em Cuba, que Raul Castro é um homossexual preso a um armário de ferro... Outro jornalista gay a ser perseguido foi Allen Young; de garoto propaganda da revolução cubana, tornou-se persona non grata ao denunciar a crueldade homofóbica na ilha da fantasia castrista...

Em 1980, segundo informes oficiais, 1.700 “homossexuais incorrigíveis” de Cuba foram deportados para os Estados Unidos, o que pode ser considerado uma dádiva... O destino comum é a vala ou a escravidão... Mas as organizações de direitos humanos calculam que mais de 10 mil gays e travestis foram expulsos pelo regime fascista e autoritário de Cuba... E existe um esquema nefasto e macabro por trás destas deportações, posto que enfermos e diagnosticados com AIDS encabeçaram as 'exportações' de humanos indesejáveis... Isso me lembra os versículos bíblicos, onde leprosos são chamados de IMUNDOS...

Tenho um amigo e médico cubano, homoafetivo, portador de AIDS, que fugiu da ilha, e realiza trabalhos voluntários no Brasil; ele presenciou as prisões para “sidosos”, e seus relatos sobre as condições destas pessoas não permitem que eu tire a palavra Auschwitz de minha cabeça... Curiosamente o campo de concentração cubano para homossexuais, ou na eufemística e cínica nomeação oficial de "Unidades Militares de Ajuda à Produção", trazia os dizeres de inspiração guevariana no portão principal:


"O Trabalho os Transformará em Homens"

A UMAP copiava o modelo de Stálin com o GULAG... Mas não posso me frutar à analogia funesta e odiosa, com os dizeres do portão de entrada em Auschwitz, onde ainda é possível ler - embora não seja tão simples de aprender:


"O Trabalho os Libertará"

Qual uniforme é o mais perverso? Da direita ou da esquerda? Qual é o fascismo aceitável? Qual é o lado do poder? Um falecido político catarinense desabafou:


"[...] o poder é como o violino, toma-se com a direita e toca-se com a esquerda."

Sim, pois conquistar o poder requer a subversão do poder constituído, e o 'meme' do progressismo revolucionário e messiânico será invocado, inescrupulosamente, e com sobras de eloquência e promessas; assim como o apelo à doutrina do povo escolhido, dos inimigos do povo, do líder indefectível, da revelação, da missão histórica - blá, blá, blá, blá, blá... Seja para invocar as variantes da luta de classes, de sexo, de etnias, de raças, de estados, nações, partidos, credos, seja para invocar a corriqueira VITIMOLOGIA... Qualquer sorte de maniqueísmo serve... Mas depois será necessário 'conservar' este poder, e a prática muda, embora os ritos e cânticos entoados continuem os mesmos...

ACORDEM!!! Escutem a Hélio Bicudo, Chico Oliveira, Joaquim Barbosa! Existem poucos homens como eles, tão próximos ao poder, que viveram sua realidade e intimidade, sem que fossem corrompidos ou seduzidos por suas mazelas...Não escutem a mim, escutem a eles... Digam não a esta corja, a pior que pudemos testemunhar... Não continuem praticando a eurística maniqueísta de considerar que 'o inimigo de seu inimigo necessariamente é seu amigo'... Foquem nas teses e argumentos defendidos... Ninguém é dono da verdade, mas existem proposições verdadeiras e falsas... Tratem de denotá-las e aprender suas lições...

Segundo o Presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira,


“Fidel Castro tem uma dívida histórica a ser resgatada com a humanidade: deve assumir que errou gravemente em tornar Cuba um inferno para os homossexuais e transexuais, causando muita dor, sofrimento, estigmatização e morte de milhares de amantes do mesmo sexo.”

Pois não apoiem um regime que endeusa Castro e Cuba! Em recente entrevista ao jornal mexicano 'La Jornada', a própria sobrinha de Fidel Castro, Mariela Castro, sexóloga, responsável pelo 'Centro Nacional de Educação Sexual de Cuba' (Cenesex), reconheceu que:


“[...] a homofobia oficial desenvolvida pelo regime cubano nas últimas décadas foi um erro.”

Um "erro"? O premiado filme 'Morango e Chocolate', de Reinaldo Arenas, denuncia esta cruel realidade; este “erro” foi capitaneado por 'El Comandante Fidel', porque o regime de Cuba permite que um só home delibere sobre o destino de todos, e sem que nada possamos fazer em defesa de nossa individualidade - já que é 'pecado' invocar tal princípio... Um regime arbitrário, divinal, onde o certo e o errado é o que vai na cabeça de Fidel, e durante 40 anos... A vida das pessoas, dependeu do que vai na cabeça deste louco! Arenas foi vítima direta desta repressão, suicidando-se aos 47 anos, em 1990. Este tipo de "erro" somente é possível em uma DITADURA... Nem no Brasil, sulcado por movimentos religiosos da Idade do Bronze, tais devaneios foram ou serão possíveis...

Isso é um crime contra a humanidade, como foi o holocausto, o racismo, a escravidão, entre tantos outros atentados à vida à dignidade humana - ou de qualquer ser vivo possuidor de um sistema neural e capaz de sentir dor, sofrimento, e angustiar a percepção de sua terrível condição... ACORDEM!

Che Guevara, o herói libertário dos alienados e ignorantes, ao encontrar na Biblioteca da Embaixada Cubana em Argel a obra completa de Virgilio Piñera, homossexual assumido, atirou os livros contra a parede, vociferando:


“Como vocês têm na nossa embaixada livros de um ‘pajaro maricon’!”

O meu sonho é de que o maniqueísmo ceda espaço à lucidez... Que nossos impulsos evolutivos à polarização cedam espaço ao correto e complexo diagnóstico da realidade, para que possamos bem prognosticar nossas ações. Assim como temos lutado para refrear impulsos sectários e uma tendência natural à classificação entre 'nós' e 'eles', assim como cedemos ao impulso natural à cópula com violência diante do respeito às liberdades civis, assim como a violência cedeu 100 vezes desde as sociedades pré ou proto civilizadas, podemos enfrentar o terrível mal do maniqueísmo...

Prezado Jean Wyllys, não escute o meu apelo à razão, escute a Hélio Bicudo, Chico Oliveira, Joaquim Barbosa... Jean, os inimigos de seus inimigos não serão necessariamente seus amigos... E mais, concentre-se em cada proposição, e mesmo que King seja homofóbico, concorde com sua luta pelos direitos civis, e mesmo que Joaquim Barbosa tenha encarcerado os inimigos de seus inimigos, ou os amigos de seus amigos, o que importa são as proposições que ele julgou; sendo estas, notórias e historicamente, verdadeiras... Assim como verdadeiro é que temos um governo corrupto, fascista e inescrupuloso, sem precedentes... Não pactue com isso... Diga não a isso, e se necessário for, diga não à todos...
Não seguir ao 'povo escolhido' religioso não me obriga a seguir ao 'povo escolhido de classe', nem de 'etnia'... Estas são bandeiras genéricas, todas elas vãs e falsas... Não descrevemos verdades com generalizações... Precisamos, insisto, particularizar e abandonar trincheiras... É isso que um homem de bem deve fazer - suponho...

Wyllys, note que tipo de espécime sou eu: não sigo credos, nenhum deles, e nem por isso sou de esquerda - até porque a esquerda é um credo... Muito menos de direita... Respeito o afeto, o direito ao afeto, apoio qualquer união baseada no amor, o que inclui trios, quadras, etc... Mas nem por isso preciso apoiar um fascismo corrupto, só porque os escroques do preconceito correram para o outro lado... Considero Olavo de Carvalho um ser vermicular que se expressa por via anal, mas ambos, ele e eu, somos contra chutar velhinhas que pedem esmola... E daí? Isso nos une?

Não negocie ou macule a sua Integridade Intelectual - JAMAIS! Existem poucos homens desta estirpe, e pensei que você fosse um dos nossos...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário