Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Dedicado a Jenifer Bruna

Tenho uma amiguinha no Facebook chamada Jenifer Bruna; ela nasceu em Sato André, em 9 de março de 1997. Um dos maiores prazeres intelectuais e como ser humano que experimento é responder às excelentes questões deixadas por ela, com imperscrutável doçura à soleira de minha reflexão... Aqui está mais uma questão de Jenifer, e nosso papo pelo FB:

Oi, td bem com senhor ??? Então, não querendo abusar, mas o senhor poderia me tirar uma dúvida sobre esse tema "Felicidade e compromisso consigo e com outro".

Claro querida....
Aliás, é bem pertinente em minha vida neste momento...
Veja onde começa a complexidade do assunto:

(1) Somos diversos, certo? De forme que nos sentimos felizes por motivos diferentes...

(2) Além disso, esta diversidade também se refere à maneira com que nos relacionamos com os outros... 

(3) Na base de toda esta discussão, deveríamos estabelecer que 'somos quem somos sem intencionar ser'... E é o que denoto...

O livre-arbítrio, de certa forma, é uma má-interpretação da realidade, e somos muito mais dirigidos por nossa genética comportamental do que pelo meio ou pelo aprendizado... De forma que me sinto bem em ajudá-la... Isso me faz bem; mas por que eu sou assim... Sinto-me feliz com isso...

Conheci pessoas que sentiam-se bem em enganar os outros...
Em submeter pessoas.... Não posso dizer se são infelizes ou não, posto que a minha referência de prazer e felicidade é pessoal... Aí temos outra encrenca... A linguagem... A semântica, as referências... Como definir felicidade?

Finalmente, querida, analisando toda esta encrenca - rsrsrsrsrs -, e para não confundi-la tanto, busquei um parâmetro que não dependesse tanto assim de cada um, ou do bom uso da linguagem, das referências pessoais... E o que encontrei? COERÊNCIA...

Ou seja, alinhar o que pensamos, dizemos e fazemos... E nem assim podemos garantir que não estejamos confusos sobre o que pensamos, dizemos e fazemos, rsrsrsrsrs... Mas tentar alinhar estas questões vale realmente a pena... De forma que relaciono a felicidade com a coerência... Uma sensação de bem estar PURA, límpida...

Se isso faz algum sentido, podemos arrematar dizendo que primeiro precisamos de coerência própria, para então ajudar aos demais a encontrarem seus próprios parâmetros de coerência... Em um universo onde não denoto sentido moral, alcançar um pouco disso já é um ótimo começo... 

Querida, tenho uma vida super atribulada, mas falar com você e ajudá-la tem um espaço delicado em minha vida... Mas eu SOU assim... Também devo dizer que a coerência depende de conhecer a si mesma... Todo conhecimento que nos permita descrever a realidade, e nos inserir nela, serve para que nos conheçamos....

No final, querida, podemos ser quem somos de propósito, rsrsrsrs... Conhecer mais, estudar, nos permite encontrar o nosso lugar no cosmos, e ser quem somos de propósito... Livres de uma tremenda teia de significados que só nos conduzem a ilusões, mistificações e massificações... 

Mesmo assim, e ao dizê-lo, não estou pretendendo nenhuma sorte de revolução; ao contrário, tenho carinho por aqueles que não sabem o que fazem... No final, mesmo os durões, os malvadões, e etc., também estão perdidos, também estão confusos, também estão presos à sua própria natureza... Melhorar o mundo é entendê-lo, entender a nós mesmos, e buscar coerência... Este é ao mesmo tempo o meu sentido de ser feliz e ajudar aos demais a serem felizes à sua maneira: COERENTES...

Perdão pelo excesso do discurso, mas estive debruçado neste assunto por meses, rsrsrsrsrsrs...

Imagina, vc já me deu uma ideia de como seguir as pesquisas para o meu trabalho ,estamos em meio há discussões sobre a felicidade dentre todos os parâmetros.
Fico FELIZ querida... de verdade... Alegrou meu dia... Mas estou escrevendo um livro, gerindo uma empresa, rsrsrsrs, e tenho uma vida bem agitada... E o que mais curti foi respondê-la... Mas não se esqueça, este sou eu... As pessoas serão, todas elas, e naturalmente, distintas... 

O erro querida, por uma questão de solipsismo, ou seja, de achar que nossa percepção é tudo, é rotular temas amplos como felicidade, e altruísmo - ajudar os demais... Para conversar produtivamente sobre qualquer assunto importante, é necessário bem definir os termos mais importantes da proposição... O que é felicidade, o que é ajudar ao outro? É complexo, mas os conceitos, como pode ver, são simples... 

Mas você precisará lidar com outras questões escabrosas:

(1) Não existe livre-arbítrio!

(2) A genética comportamental é mais importante que o aprendizado!

Você está aqui conversando comigo por sua natureza... Você está buscando mais do que uma boa ideia, está interessada na verdade....
Fosse uma mocinha narcisista e que só escuta a própria voz, estaria dedicada a falar mais do que pensar... Sua natureza permite que esteja aqui... Aí sim pode aprender... E conte sempre comigo...

Tenho duas filhas, uma de 20 e outra de 21... A de 20 foi adotada como filha, não sendo minha filha biológica... Precisei dar enorme atenção a ela para mudar suas chances, e desenvolver suas potencialidades adormecidas pela falta de estímulo... Quero fazer isso pelo maior número de pessoas que puder... E isso só me faz feliz porque sou assim....

O que te faz feliz? Rsrsrsr...

Recebo muitas críticas por passar meu tempo ajudando pessoas, que muitas vezes nem conheço... E aqui vai uma última ideia, e esta é bem legal:

Em minha vida finita, quero deixar um legado que seja maior que a minha própria existência... Aqueles que são diferentes, simplesmente o são... Não os desmereço... Sei que não podem ser diferentes... Mas existem pessoas que podem, e precisam apenas de uma luz, e essa é a ideia de meu legado: servir de luz...

Pronto, rsrsrsrsrs... Vou publicar este monólogo, rsrsrsrs, em meu blog...

Publica sim  e obrigada por me ajudar ,vou me aprofundar um pouco mais no tema , e tentar quebra uns paradigmas que muitas  vezes são impostos a mim.

Isso querida, os 'paradigmas'... Sim... Mas 'eles', aqueles que cuidam dos paradigmas, também estão assustados, perdidos... Apegam-se a 'paradigmas' por MEDO... Vamos avançando, iluminando o nosso caminho e o deles, rsrsrsrsrs... Com isso respondo sua questão!

Rsrsrs... Sim, a melhor forma de viver com coerência é ter um pensamento além do que se pode ver.

Sim... E desafiar a nossa própria compreensão... Quem tem icterícia vê tudo amarelo... Mas na realidade as cores da realidade são outras... Como saber se o que 'vemos' está lá? Estudando, conjugando o método científico... A nobre arte de tornar-se ciente pela prova...

Outra tentativa é relativizar a realidade, como em Matrix, o que é um besteira... Aos que creem que não podemos dizer como o mundo é, ou se as cores que vemos estão lá, basta um pouco de conhecimento sobre como funciona um espectrofotômetro, e logo se darão conta que a realidade pode ser sim validade... Esta é a melhor forma de ajudar-nos, a ajudar aos demais...

Quando questionamos os deuses descobrimos - por exemplo - que a polimielite era causada por três tipos de vírus... Antes disso os pais penduravam medalhinhas com santos protetores nos pescoços de seus amados filhos em todos os verões... Mas centenas de milhares deles, todos os anos, eram acometidos da doença... Erradicamos este mal, entre outros, fustigando a verdade, conhecendo e aprendendo a amar a poesia da realidade...

Mas isso não é para todos... Alguns estarão presos ao efeito rebanho, outros preocupados em rezar para deuses que salvem sua própria pele... Outros serão sempre do contra, outros viverão de conpsiracionismos de ocasião, outros hastearão bandeiras políticas e religiosa... Afial, querida, a LUCIDEZ não é a regra... E este é um papo bem avançado para sua idade, rsrsr...

Beijos, boa sorte, e tenha uma linda vida... Aqui estarei para ajudar sempre que precisar...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário