Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A Origem do Problema: Presunção e Narcisismo



Sobre o ambicioso vídeo de Pedro Ivo de Souza de Alcântara: "A Ética na Pós-Modernidade - A Origem do Problema"...

Algumas referências respeitáveis em um arranjo confuso e forçado; i.e., o objetivo parece ser provar que existe um tal rótulo ou marco histórico e filosófico chamado de "pós-modernidade"... E daí? Esta me parece uma finalidade pomposa e inútil, sendo a História um processo sincrético... E inútil, sobretudo, por investigar a "História do Erro"; já que a Ética, e.g., é estimulada por outros, em um processo contínuo, contingente e cego - e não por decreto platônico-aristotélico, nem pela apodítica kantiana...

Dava para encher uma enciclopédia de erros com os dizeres da dupla ateniense... Enquanto Kant, acometido por um tumor cerebral, faz uma reviravolta em seu pensamento para a sua "Crítica" - como na "Aposta" de Pascal -, ensaiando um truque nomotético, e chamando a seu deus de "imperativo categórico"... E daí? Nada além de um turbilhão oncológico e neural, um devaneio filosófico irracional, e medo... Nada mais!

O vídeo, para a audiência despreparada, parece dispor de uma locução interessante, mas não é... Bastaria uma baforada de 'A Sociedade Aberta e Os Seus Inimigos' de Popper, ou uma deliciosa viagem na 'Tábula Rasa' de Pinker, assim como a impagável obra de Tony Judt, 'Pensando o Século XX'... Isso, para não acachapar o autor com os volumes de 'A Contra-História da Filosofia' de Onfray...

A conceituação ética ao longo da História do Pensamento Humano é continuamente revisada, não existindo início ou fim, nem tanta importância ou justificativa na caricatura que pretende debilitar o conceito em um tal "pós-modernismo"... Como se as declarações de Dilma dessem ao autor um salvo conduto para desfilar sua tese: "A Existência de uma tal Pós-Modernidade"...

Um blá-blá-blá pseudo-erudito, onde um autor que declara não ser filósofo se mete a filosofar - e valendo-se apenas da dita "filosofia" consagrada pela pia batismal católica... E isso, indo do nada a lugar algum, em um lugar comum filosófico que discute o sexo dos anjos sem sequer tangenciar o tema fulcral: "por quê acreditamos em anjos se de fato não existem?"... Chega de falar do erro, da crendice, chega de Kant, Aristóteles e Platão... Falemos de Hume, Smith, Camus, e NIetzsche - e sem devoção... Chega de discutir filosofia sem o bom entendimento da natureza humana, diversa, bipolar, e maravilhosamente imperfeita...

Não estou contra o vídeo, só afirmo que não realiza o que promete... O autor alega ter descoberto a pólvora, enquanto não passa de mais um carente de atenção, e repetindo a mesma ladainha "pós-moderna"... E quem se importa com o rótulo de "Pós-Modernidade"? Mais vale dedicar o seu tempo ao estudo dos hemisférios cerebrais, à Ética consagrada em nossa cultura por força de neuropsicologia e sentido de cooperação, e seus inimigos - como o clima, a disponibilidade de água, a densidade demográfica, a vizinhança ou o isolamento...

A cultura reflete a nossa biologia, e não o contrário: "Omnia cultura ex hominem"... Não foram achologistas crentes e tirânicos que encontraram o nosso caminho ético... Tateamos em um processo contínuo, cego e contingente.... e seguimos... Entenda o processo, entenda a realidade, esqueça a idolatria, e não pretenda ser idolatrado - afinal você não acrescentou ou descobriu nada... e lamento dizê-lo... Basta refletir sobre o título para entender tratar-se de "um pouco mais do mesmo": presunção e narcisismo...

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário