Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

AQUI E AGORA


AQUI E AGORA

Um querido amigo especulou e convidou ao debate, disparando:

"Estou com insônia e o Facebook me pergunta: 'o que você está pensando'? Bom, lá vai: Se a teoria de alguns físicos modernos estiver correta e o Tempo for relativo e descontínuo, sendo possível viagens no tempo... E, ao mesmo tempo a teoria de reencarnação também estiver correta... seria possível morrer e renascer no passado???? Se você acredita nessas duas possibilidades, gostaria de saber a sua opinião..."

Então lá vai:

Rssrssr... A Relatividade é assunto sério... E não existe nenhuma teoria sobre reencarnação, sendo essa uma crendice infundada, e fundada no medo de morrer... O conjunto das proposições acima não passa de um raciocínio do tipo tautológico, donde devo insistir que nos adaptemos à realidade... Mas farei melhor do que isso...

Em Física, o enunciado da Relatividade Geral (1915) de Einstein prevê a generalização da Teoria da Gravitação de Newton. Trata-se de uma extensão da Relatividade Especial, e generaliza o princípio da "relatividade do movimento para sistemas que incluam campos gravitacionais". Este passo tem implicações profundas no nosso conhecimento sobre relação espaço-tempo, e de onde decorre que a matéria ou energia curva o espaço e o tempo à sua volta, naquilo que foi batizado como "continuum espaço-tempo". Em resumo, a Gravitação Universal não passaria de um efeito da geometria deste espaço-tempo.

É importante entender a obra de Einstein e o importante conceito do "continuum [e não descontinuum, rsrsrsrs] espaço-tempo" - e sobre como esta conceituação física afeta o imaginário popular ou a mente dos aficionados pelas missões da Enterprise... Einstein realmente elucubrou sobre algumas implicações teóricas de suas sacadas, como: (1) a velocidade da luz, 300.000 km/s, é a mesma para todos os observadores no universo - estejam eles em movimento ou não; (2) qualquer observador em velocidade constante deve "perceber" os efeitos das leis da física da mesma forma... Juntando as peças, teorizou que, como o tempo e o espaço são relativos - à velocidade da luz -, um observador em movimento poderia "sentir" a passagem do tempo em uma taxa mais lenta do que outro observador em repouso... Como o marco para esta relativização é a LUZ, os efeitos desta percepção seriam tão mais sensíveis quanto for a razão entre o nosso movimento e a velocidade da luz...

Sendo assim, quando viajamos em um avião a cerca de 1.000 km/h não percebemos que "o tempo passa relativamente mais devagar" - mas esta relatividade existe em relação apenas à velocidade da luz... Para uma vaga ideia de como isso nos afetaria, bastaria dividir 1.000 por 300.000.000, e esta seria a correção relativística necessária... A Teoria foi provada, quando relógios atômicos de altíssima precisão viajaram com foguetes em "alta" velocidade, retornando à terra um pouco atrasados em relação aos relógios que permaneceram em repouso...

As sondas espaciais da família Helios viajaram a 252.792 km/h, sendo os objetos mais rápido construído pelo homem... O problema de incluir humanos em missões espaciais não seria tanto a velocidade, e sim a ACELERAÇÃO... Os nossos melhores pilotos de caça, seres humanos notavelmente saudáveis, podem aguentar até no máximo 12 "g" de aceleração (algo em torno de ~120 m/s2); os astronautas estão submetidos a limites inferiores a isso... O corpo sofre muito com este nível de aceleração, com vômitos, desmaios etc.; além dos efeitos deletérios, em uma viagem espacial, da ausência ou diminuição dramática da gravidade...

De forma que, como precisamos acelerar para atingir velocidades "inter-galácticas", como no caso da turma do capitão Kirk, o assunto estaria fora de questão - seja ela física ou teórica, considerando as limitantes dos fenômenos biológicos... Isso sem contar os efeitos neuropsicológicos... Mas, se magicamente nos transportássemos à uma certa velocidade constante muito elevada, e apenas em princípio teórico, os limites seriam inimagináveis... Viajamos nos espaço, neste exato momento, a cerca de 108.000 km/h em torno do Sol, que por sua vez viaja a cerca de 1.000.000 km/h em torno de um Buraco Negro no centro na Via Lactea... Mas estamos em velocidade constante...

Como os princípios da Relatividade estão demarcados pela luz, sabemos com certeza que somente ondas eletromagnéticas podem se aproximar deste feito - e sem direito a Sursis... Apenas para curtir uma VGM clássica (Viagem Geral na Maionese), e satisfazer a fantasia popular, se a Enterprise estivesse viajando segura e constantemente à uma velocidade próxima à luz, dirigindo-se ao centro de nossa galáxia a partir da Terra, levaria cerca de 25 mil anos em tempo terrestre, enquanto a tripulação sentiria somente 10 anos de convívio... Em todo este tempo e alheios ao convívio na nave, uma terrível Federação Inter-galáctica poderia tramar a tomada do poder na Terra, e quem sabe em toda a Via-Láctea [sic] - afinal, somente na ida e volta, 50 mil em mudanças nos esperariam... E quem sabe os símios, nossos primos primatas, estivessem no poder! Quem sabe? Rsrsrsrsr, ai ai...

Mas o buraco é mais embaixo, e por quê? Porque, por exemplo, devo dizer que o Universo está em expansão, acelerando acima da velocidade da luz... Sim senhor, e isso é possível, mesmo considerando a Relatividade Geral... Explico: imagine um balão de aniversário, e imagine que desenhamos galáxias em sua superfície... Agora imagine que estamos enchendo o balão... Não podemos superar a velocidade da luz na superfície do balão, e entre outros motivos devo esclarecer que o Universo está conformado e feito de LUZ, de forma que não podemos desconsiderá-la jamais... Mas a velocidade de enchimento do balão, ou expansão do Universo pode e é maior do que a velocidade da luz... e continua acelerando por força da "energia escura"... E esqueça o Darth Vader - o papo aqui é sério e reto, rsrsrsrs...

E escrevi alguns livros para elucidar a questão, explicando porque a velocidade está limitada pela luz na superfície do balão - nosso universo -, mas pode ser superada fora dela... com destaque para 'FIAT LUX - O Homem, Memória do Universo', que estarei disponibilizando para compra na Internet em alguns dias... mas que terei o prazer de doar a quem não puder comprar...

E tem mais, muito mais, pois quando discutimos sobre Relatividade, como um refinamento da Gravitação de Newton, nos esquecemos de que a Teoria Padrão da Física Quântica revisou toda a questão, explicando por meio da Mecânica Quântica todas as forças no Universo: nuclear fraca, forte, electromagnetismo e gravitação... Sendo a última a força mais fraca no Universo; e podemos constatar que sim, quando um simples imã de geladeira ganha a luta pelo controle de uma folha de papel, contra toda a força gravitacional exercida pela Terra... 

Sendo assim, deveríamos também incluir esta discussão, e o "graviton" entraria em cena - assim como o bóson de Higgs... A Relatividade "sabe que", enquanto a Teoria Padrão trata de "saber como" tudo funciona... E estamos com o dever de casa quase concluído, embora já possamos afirmar que o modelo esteja validado... E isso não abre espaço para mais elucubrações "quânticas", "princípio da incerteza" etc... Afinal a abrangência da Física Quântica está regida pela Constante de Planck, e ponto final... Só podemos incluir neste debate fenômenos relacionados a partículas subatômicas, e nada mais...

Finalmente precisamos incluir a Termodinâmica nesse papo... Sendo a Entropia uma irrevogável SETA DO TEMPO... De forma que os mais românticos devaneios sobre "volta ao passado" estarão, após este arrazoado, fadados às telenovelas... As leis fundamentais da física não distinguem passado de futuro! MAS, os fenômenos à nossa volta, estes sim são inescapavelmente irreversíveis... A seta do tempo aparece com a complexidade, ou quando o número de partículas constituintes de um fenômeno é grande - como no caso dos fenômenos macroscópios que regem a vida e a vida do homem, e contam com cerca de 10^23 partículas... E por quê? Porque cada partícula jogará o seu destino individual... de certa forma imprevisível...

Devemos muito de este entendimento a Boltzmann, quando analisamos que um sistema de muitas partículas não passa espontaneamente de um estado de alta multiplicidade para um de baixa multiplicidade; i.e., e citando a belíssima e elegante Segunda Lei da Termodinâmica, "a Entropia de um sistema isolado nunca diminui", sendo a Entropia uma medida do grau de "desordem das partículas de um sistema físico"...

Isso sela definitivamente o assunto sobre voltar no tempo ou na vida...

"O tempo acaba o ano, o mês e a hora, a força, a arte, a manhã, a fortaleza; o tempo acaba a fama e a riqueza, o tempo o mesmo tempo de si chora." - Luís de Camões

De forma, meu amigo, O MELHOR - E ÚNICO [GRIFO MEU] - LUGAR DO MUNDO É AQUI E AGORA...

"O melhor lugar do mundo é aqui e agora. Aqui, onde indefinido, agora, que é quase quando. Quando ser leve ou pesado, deixa de fazer sentido." - Gilberto Gil ('Aqui e Agora')...

Já a "reencarnação" é um assunto neuropsicológico ou de aplicação do Código Penal - respectivamente vítima e algozes... Reencarnação é um assunto relacionado à mais ampla ignorância sobre todos os fenômenos que regem a vida e a cognição humana.. E não devemos perder tempo algum com estes delírios... Mas a fantasia e a crendice são preocupações REAIS, e existe uma "Biologia para a Crença", sendo esta amplamente estudada pela Neurociência Cognitiva, no capítulo Desvios Cognitivos de Percepção, onde figuram ilusões, delírios e até alucinações... E está dito e feito...

Tenham um lindo dia, AQUI E AGORA... Não existe vida após a vida... A morte será implacável, então cuidemos de não haver desperdiçado este maravilhoso tempo nesta maravilhosa realidade... maravilhosamente imperfeitos... Humanos, troppo umanos, 'EnFim' - título de meu livro sobre a morte...

P.S.: Assuntos complexos exigem respostas complexas, e o que pode ser afirmado sem provas pode e deve ser descartado sem provas... A ausência de evidências não é evidência da ausência, E MUITO MENOS DA EXISTÊNCIA... Consideremos, ao escolher as proposições sobre as quais gostaríamos de debruçar, que a vida é finita... A Metafísica é um bom lote de questões mal colocadas, então não desperdice sua vida em besteiras... Existe muito trabalho a ser feito...

TRY REALITY!

Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário